Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR | 25 de maio de 2019

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

Análise – Not a Hero

Análise – Not a Hero
Pedro Kakaz

Review

Nota Final
6.5
6.5

Old school desafiador

Not a Hero é um indie pra se divertir em períodos escassos de lançamentos. Frenético e violento, com tiros, mortes, sangue e bom desafio. Porém é curto demais e pouco inovador.

Not a Hero, título da Roll7 (empresa responsável pelo título anterior Olliolli) é um jogo de tiro em plataforma 2D, lembrando muito jogos como Bionic Commando, porém com extrema violência e algumas mecânicas diferentes.

História

Uma história simples e divertida, porém que da toda uma razão para a matança aparentemente gratuita que o jogo proporciona. Um coelho roxo do futuro se candidata para o governo e dentre suas propostas está a limpeza do crime na cidade, contratando um matador de aluguel aposentado para o serviço sujo. A história é sarcástica e irônica, e os poucos diálogos que existem são divertidos e ácidos, trazendo um tom diferente para o jogo que se arrisca ao cativar o público com um tema tão polêmico.

not a hero (4)

Jogabilidade

E aqui é o forte do jogo, aparentemente uma mecânica simples, você anda, atira, da rasteira e da cover, entre outras coisas, porém a forma que essa mecânica é utilizada somando aos desafios bonus que o jogo te proporciona é o que funciona perfeitamente e diverte por algumas horas.

Desafios esses que consistem muitas vezes em terminar a fase em um tempo específico, matar todos os inimigos, terminar sem tomar dano e diversos outros. Esses desafios muitas vezes vão deixar as fases mais divertidas, mas você também tem a opção de terminá-las sem cumpri-los, o que fará que seu jogo seja mais breve e drasticamente menos desafiante.

not a hero (10)

Você conta com 9 personagens jogáveis, e aqui os personagens são tão importantes quanto as armas. Cada um deles conta com uma peculiaridade, armas diferentes, e uma personalidade sublime e cativante. Ainda temos armas especiais, granadas, armas lasers, shotguns, metralhadoras entre outras.

O gráfico adota um estilo retro 8/16 bits bastante simples. Para alguns esse será com certeza um ponto fraco do jogo, mas para outros a nostalgia é o que vale.

Not an epic game

É um jogo frenético e violento, com tiros, mortes e sangue, com um bom desafio. Porém é curto demais e pouco inovador. Não é um jogo que te faz voltar a jogar caso você pare sua jogatina antes de finalizar e não é um jogo memorável. Not a Hero é um joguinho indie para se divertir enquanto estamos escassos de lançamentos.

Pedro Kakaz

Pedro Kakaz

Pedro Kakaz é apaixonado por Dark Souls, eterno hero of time, jogador de Dota que ama o trabalho que faz.