Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR.com – Videogames Brasil | 25 de setembro de 2017

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

Digimon World: Next Order – Análise

Digimon World: Next Order – Análise

Review

Digimons voltam ao PS4

Digimon World: Next Order é um game divertido, mas os gráficos poderiam ser mais caprichados. Recomendado aos fãs da série ou aos que gostam de jogos de criação.

Digimon World: Next Order é um jogo produzido pela Bandai Namco para PS4 e PlayStation Vita e é o terceiro título da sub-série “World” que teve sua origem no PlayStation 1 em 1999, ficando bem popular na época como uma “alternativa” a Pokémon.

18 anos se passaram e uma nova versão é lançada, mas será que ficou bom? É o que vamos saber nesse review.

A história é bem simples e nela o Digimundo corre perigo e o jogador terá que escolher entre um menino e uma menina para salvá-lo de uma iminente destruição.

Gráficos

Apesar de simples os gráficos desse jogo são bem produzidos, com algumas texturas bem feitas como a água e os modelos dos Digimons tem uma boa qualidade.

Por outro lado, os efeitos visuais deixam um pouco a desejar e os golpes como o ataque de fogo de Meramon parecem ser de 3 gerações atrás.

Os cenários são bem bacanas, vastos e variados, diferente do jogo anterior Digimon Story: Cyber Sleuth, aqui os Tamers (nós!) vão explorar ambientes mais fantasiosos como planícies, cavernas e até desertos.

Um detalhe que eu achei meio estranho é que o jogo tem um ciclo de dia/noite e quando muda para o entardecer não é algo orgânico. A tela simplesmente dá um “flash” e muda as cores, como um truque usado para simular troca de luz, algo parecido com a passagem de dia/noite de Xenoblade Chronicles só que nesse caso bem melhor aplicado.

Ninguém espera muitos gráficos de um título de Digimon mas o que foi feito aqui ficou bacana e em matéria de performance o jogo roda estável em 30 quadros por segundo, sem quedas notáveis.

digimon world ps4 (5)

Som

Vozes e efeitos sonoros bem básicos é o que vemos nesse jogo. Os “grunhidos” dos bichanos virtuais são bem irritantes.

O destaque aqui fica para a surpreendente trilha sonora. Já sabia que não iria ser algo j-techno/pop como em Cyber Sleuth por causa de sua temática mas também não imaginava que ficaria tão bom.

Músicas como a área do deserto (puxado pra um nu-jazz) e a primeira área (pense em algo que se encaixaria com Sonic) são muito boas e no geral a qualidade sonora é bem bacana e variada.

digimon world ps4 (7)

Gameplay

Digimon World: Next Order traz como grande destaque a possibilidade de treinar 2 Digimons ao mesmo tempo, diferente dos outros jogos da série World onde só podia treinar apenas 1 por vez.

O jogo possui um mapa aberto com bastante desafios opcionais, Digimons para recrutar e batalhas diversas. O sistema de batalhas consiste em comandos pré-definidos pela IA e em alguns momentos podemos interagir com os nossos aliados dando um boost em seus status. O sistema é bem elaborado e funciona bem, no entanto quem gostaria de ter um controle mais direto dos bichinhos ficará bem decepcionado pois eles se movem por conta própria.

Fora das batalhas nós ficamos encarregados de cuidar da cidade dos Digimons que mais serve como um quartel general com diversas funções, entre elas o sistema de treino. Apesar dos Digimons ganharem status após os confrontos, é na parte de treino dentro da cidade que nós evoluímos eles de fato.

Jogadores menos pacientes com certeza vão se irritar com os bichinhos já que eles vivem reclamando e pedindo coisas para os treinadores. Mas se você curtia os Tamagotchi nos anos 90 vai se sentir em casa.

Veredito

Se você era fã do Digimon World original ou gosta muito desses jogos de criação de monstros eu recomendo muito o  Next Order. Fora desse grupo de pessoas eu aguardaria um belo desconto pois apesar do robusto sistema de criação/desenvolvimento dos Digimons, os demais aspectos deixam a desejar.

digimon world ps4 (10)

Pontos Positivos

  • Sistema de treinamento muito eficiente e prático
  • Os Digimons ficaram bem modelados e são mais de 200 monstros
  • Explorar o mundo é empolgante

Pontos Negativos

  • Gráficos poderiam ser melhores, em especial a luz
  • Digimons reclamam muito
  • Câmera durante as lutas podem ficar caóticas
David Signorelli

David Signorelli

Amante de jogos japoneses, foi responsável por derrotar os Weapons de Final Fantasy VII que iriam afundar a Ilha da Rainha da Morte, conhecida como Florianópolis. Se arrepende disso até hoje.