Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR.com – Videogames Brasil | 27 de junho de 2017

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

Flat Kingdom Paper’s Cut Edition – Análise

Flat Kingdom Paper’s Cut Edition – Análise

Review

Indie plataforma

Flat Kingdom Paper's Cut Edition trava o gameplay com um enredo fraco e genérico que é forçado goela abaixo com modelagens mal feitas.

Flat Kingdom Paper’s Cut Edition é um game de plataforma 2D, desenvolvido pela Fat Panda Games e distribuído pela Games Starter.

Há muito tempo atrás todo o lugar era assolado pelo caos, toda a maldade do mundo 3D assolava o reino 2D. Um dia um sábio desceu dos céus e selou esse mal, entregando jóias para os reinos para que ficassem protegidos. Anos depois uma das jóias é roubada junto de uma princesa sequestrada e cabe a você Flat o pequeno herói transformador, salvar o reino das antigas mazelas.

Flat Kingdom a primeira vista parece um game promissor e carismático. A interface lembrando a de jogos clássicos como Legend of Zelda: Link to the Past remete ao jogador a nostálgica sensação de jogar um título de aventura, sensação que logo passa. A história não é nada demais para quem joga videogame há quase 20 anos. Princesas e jóias sequestradas, vilões que forçam mistério que ninguém quer saber na real e cutscenes a todo momento atrapalhando o ritmo do gameplay são só alguns dos problemas do jogo.

No gameplay temos uma função interessante e crucial. Flat é um heróis transformador, em formato de círculo iremos realizar saltos maiores e temos uma velocidade de movimento média, no formato de quadrado somos extremamente lentos e pesados e como triangulo temos movimentação rápida e quebramos alguns obstáculos. O game explora bem isso, resolvendo inclusive a “batalha” do game como um jogo de pedra-papel-tesoura, onde como círculo matamos criaturas quadradas, como quadrado matamos criaturas retangulares e assim por diante, o jogo faz questão de lembrar isso de maneira irritante durante toda primeira tela, repetindo as mesmas informações exaustivamente atrapalhando o ritmo de gameplay novamente. O game é dividido em telas temáticas e vão desdobrando o enredo como qualquer bom plataforma.

Os gráficos são bem ruins e a modelagem de alguns objetos chega a incomodar de mal feita. As moedas do game são mal modeladas e tem um efeito bem ruim quando pegamos ela, os objetos de madeira e a inexistência de efeitos de luz e sombra torna tudo muito desagradável de se ver. Porém os personagens são bem desenhados, sempre caricatos e com expressões faciais bem divertidas e como são feitos a mão diferem de todo o ambiente sendo bem coloridos e carismáticos.

A trilha sonora do game é genérica e nada memorável. O game está localizado em português e isso é uma boa notícia.

Flat Kingdom Paper’s Cut Edition trava o que deveria ser seu foco, o gameplay com um enredo fraco e genérico que é forçado goela abaixo e modelagens bem mal feitas.

Pontos positivos

  • Personagens carismáticos
  • Ideia interessante de gameplay

Pontos negativos

  • Modelagens ruins
  • Gameplay travado com cutscenes
  • Enredo desinteressante
Pedro Kakaz

Pedro Kakaz

Pedro Kakaz é apaixonado por Dark Souls, eterno hero of time, jogador de Dota que ama o trabalho que faz.