Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR.com – Videogames Brasil | 27 de junho de 2017

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

STRAFE – Análise

STRAFE – Análise

Review

FPS estilão 1996

STRAFE é gore, nostálgico e frenético com sangue e muita explosão. Um FPS muito divertido e compra certa para quem ama um clássico e gostava dos jogos de tiro de antigamente.

STRAFE® é um game de tiro em primeira pessoa retro, desenvolvido pela Pixel Titans e distribuído pela gloriosa publisher dos indies Devolver Digital. O game está disponível para Playstation 4 e PC.

A sensação de jogar DOOM pela primeira vez marcou minha infância e a de muitos gamers. Aquele gráfico, as armas, trilha sonora e o sangue espalhando pela tela foi algo no mínimo revolucionário na época. Foram horas de diversão gasta em um gênero que se consolidou no mercado, mas não é novidade que o FPS mudou muito em todos esses anos e é ai que STRAFE aposta na volta do clássico.

O jogo não tem uma super história com trezentas linhas de diálogo e cutscenes intermináveis, e na verdade seria um saco se tivesse. O game aposta na atmosfera e um enredo simples, o jogador controla um Scrapper, um batedor e sucateiro do espaço que vai explorar lugares terríveis e perigosos nos limites da galáxia. Simples assim, escolha uma arma e avance até morrer. A ambientação sci-fi anos 80 é presente o tempo todo com referências não só a DOOM mas também Alien, Bladerunner entre outros, sempre parodiando e puxando pro cômico de maneira fantástica.

É importante apontar que o game é um roguelike, ou seja, quando morrer o mapa será gerado novamente. Eu particularmente me interesso por esse sub-gênero e me divirto toda vez que morro e tenho que refazer algo mas de uma forma diferente.

O game é um FPS clássico com uma gama de armas a nossa disposição. Podemos melhorar nossa armadura e comprar munição com as sucatas que recolhemos, mas sempre seremos o mesmo batedor, sem melhorias absurdas. São mais de 30 armas diferentes e mais de 20 tipos de inimigos espalhados por 4 zonas únicas.

Os gráficos são foto realistas com a pegada retro de DOOM. É uma combinação inicialmente bizarra mas que é divertida e agrada. Não é nada de última geração e você não vai ver efeitos de luz e sombra magníficos. Muitas texturas são fotos e o que não é uma foto é modelado com pixel-art e cores fortes. Uma coisa que torna tudo muito interessante é que os corpos e o sangue permanecem no lugar quando mortos. Parece bobagem mas isso transforma o local completamente depois de alguns minutos de matança, é incrível.

Um ponto negativo aqui é a modelagem de alguns inimigos. Não achei legal a nostalgia aqui e muitos deles acabam só sendo feios mesmo, mas esse é claramente o intuito então é só um ponto de vista meu.

A trilha sonora é fantástica e remete automaticamente aos clássicos, mas não fica só nisso e evolui com a progressão do game para coisas novas e diferentes. O game está localizado em português o que é sempre válido para o entendimento dos gamers brasileiros.

STRAFE é gore, nostálgico e frenético com sangue e muita explosão. Um FPS muito divertido e compra certa para quem ama um clássico e gostava dos jogos de tiro de antigamente.

Pontos Positivos

  • Nostalgia pura
  • Gameplay divertido
  • Referencias incríveis

Pontos Negativos

  • Modelagem de alguns inimigos
Pedro Kakaz

Pedro Kakaz

Pedro Kakaz é apaixonado por Dark Souls, eterno hero of time, jogador de Dota que ama o trabalho que faz.