Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR.com – Videogames Brasil | 17 de agosto de 2017

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

Micro Machines World Series – Análise

Pedro Kakaz

Review

Não faz jus ao legado da série

Micro Machines World Series não é bom, tem um gráfico terrível, física esquisita e não diverte como os antigos games da série.

Micro Machines World Series é um MOBA, um game de estratégia online de arena com carros, desenvolvido e distribuído pela Codemasters e está disponível para PC, PS4 e Xbox One.

O gênero MOBA, tem crescido com os esports  e títulos como DOTA 2League of Legends e Heroes of the Storm tem inspirado desenvolvedores a pensar games nessa linha. É aqui que entra a proposta de Micro Machines World Series. O game não possui enredo e são apenas carros de brinquedo se enfrentando em uma pista que lembra móveis e objetos do cotidiano.

O gameplay é todo baseado em jogos de MOBA, com uma arena e locais para dominar e matar os oponentes. Cada carro possui uma gama de habilidades específicas. O carro de polícia por exemplo, atira, marca o inimigo que irá tomar mais dano, liga a sirene tomando menos dano e protegendo os amigos e a habilidade ultimate é chamar um helicóptero que irá matar seus adversários próximos. Todos seguem a mesma linha com suas habilidades próprias. Eu não curti a física do game, os carros fazem curvas muito fechadas e o impacto é nulo, são coisas que fariam a mínima diferença em uma primeira jogatina, mas depois de algumas horas se torna irritante.

As pistas são diversas e possuem algumas peculiaridades interativas como obstáculos, ventiladores, rampas, teletransportadores e afins. As localidades das pistas em si são interessantes e prestam homenagem aos games antigos da série com a mesa de sinuca, pia da cozinha, mesa de trabalho e etc. Mas o principal elemento em um jogo de corrida são os carros e infelizmente aqui eles são sem graça. Carro de polícia, guincho, carro de bombeiro, barco, é tudo meio clichê e o jogo não tem vida, a imersão é quebrada pela HUD fraca e o mal gosto nas escolhas.

Os gráficos são outro ponto fraco. As pistas em si não são feias, mas os efeitos de fogo, água e os carros deixam muito a desejar. Os veículos são serrilhados e parecem estar em resolução inferior a da tela e é nítido que poderia ter sido melhor do que o que é apresentado. O que não é tão ruim são as texturas das pistas. Os materiais que são feitos passam uma sensação interessante de realismo, que infelizmente é quebrada no modo corrida com os rabiscos que dividem a tela.

O jogo possui licença de diversos brinquedos da Hasbro e coloca tudo isso no game. Poderia ser mais divertido se o jogo em si fosse inteiramente fantástico já que as licenças das armas Nerf, dos GI Joe não são o suficiente pra salvar a diversão quase inexistente aqui.

Eu consegui salvar minha experiência no modo offline do game. Muitas empresas simplesmente se esquecem de colocar um modo multiplayer local e é aqui que o jogo se fez mais divertido pra mim. São quatro amigos na arena se enfrentando e esqueci completamente do modo online e até do modo ranqueado para ficar horas jogando com amigos aqui em casa.

Bem, Micro Machines World Series não é bom, tem um gráfico terrível, falta de personalidade, e não diverte como os antigos games da série. É um título que poderia ser bem melhor se tivesse recebido mais atenção em detalhes importantes.

Pontos Positivos

  • Modo local com quatro amigos é divertido

Pontos Negativos

  • Gráficos ruins
  • Sem personalidade
  • Física esquisita (falta impacto)
Pedro Kakaz

Pedro Kakaz

Pedro Kakaz é apaixonado por Dark Souls, eterno hero of time, jogador de Dota que ama o trabalho que faz.