Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR.com – Videogames Brasil | 17 de outubro de 2017

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

Jogamos o acesso antecipado de Fortnite

Pedro Kakaz

Há mais de 3 anos a Epic Games mostrou algo que no papel parecia promissor. A sua nova Unreal Engine 4 não havia mostrado todo seu potencial e Fortnite era uma promessa que parecia ser grande demais. Ansioso esperei, até que pude colocar as mãos no acesso antecipado do game, e aqui estão minhas impressões.

O game estará disponível para PC, Xbox One e PS4 e como dito acima, está sendo desenvolvido pela Epic Games na incrível e poderosa Unreal Engine 4. Falo isso pois o primeiro aspecto que quero apontar aqui que foi surpreendente e incrível são os gráficos do game. Assim que o jogo iniciou cheguei a pensar que os gráficos mostrados nas cutscenes não seriam os do game e foi grata a surpresa. Fortnite tem os gráficos caricatos e cartunescos, com texturas não muito realistas e algumas coisas chegam a ser meio lisas demais como troncos de árvores e folhas, mas a cor e a iluminação são muito caprichadas.

Mas não interessa o game ser magnífico graficamente se for apenas isso, então vamos discorrer sobre o gameplay, que é o que de fato importa.

Vou explicar minha má impressão inicial. Eu não gosto de games onde o foco é unicamente o cooperativo online. Em Fortnite você e seus amigos vão defender um forte das criaturas que vão tentar invadir. É basicamente um Tower Defense misturado com shooter em terceira pessoa. Você não controle a base e as “torres” de cima em visão isométrica. Você controla tudo de dentro, planta armadilhas, constróis muros e ataca com armas os inimigos enquanto eles destroem e tentam invadir. O time tem de ser coordenado ou as coisas não vão funcionar.

O enredo é simples: o mundo acabou em uma tempestade inexplicável que surgiu e dizimou a maior parte da humanidade e os poucos que sobraram defendem essas bases dos zumbis. O jogo é claramente focado na mecânica, no gameplay e na diversão, pois até mesmo enquanto o narrador descreve os acontecimentos ele o faz de forma cômica.

O game segue missões onde você vai desbloqueando conteúdo, heróis novos, equipamentos, armas e etc. Você decide se faz as missões com um amigo, dois, um time ou sozinho. Para defender o forte você controla um herói de sua escolha que irá exercer a função que foi designado. A maioria são combatentes ao mesmo tempo que são construtores. A mistura dos gêneros Tower Defense com TPS é maravilhosa e você pode optar por atirar desenfreado nos inimigos mas muitas vezes será útil coletando itens espalhados pelo cenário e construindo rampas, paredes, portas e armadilhas para fortalecer sua base. Isso da uma dinâmica completamente diferente e é ai que o time vai administrar os recursos e habilidades de cada herói para pensar na melhor estratégia de defesa.

O jogo é muito fluído, a movimentação e animação dos personagens andando, correndo, pulando e atirando é polida e sólida ao mesmo tempo que é dinâmica e leve. A Unreal Engine 4 me surpreende cada vez mais não só com seu poder gráfico mas com tudo que ela é capaz de fazer.

O game está no Acesso Antecipado e já me empolgou e não vejo a hora de estar liberado (será gratuito para jogar) e conseguir jogar essa beleza com meus amigos. Fortnite deve garantir divertir horas e horas montando estratégias para superar os desafios das missões insanas de invasões.

Pedro Kakaz

Pedro Kakaz

Pedro Kakaz é apaixonado por Dark Souls, eterno hero of time, jogador de Dota que ama o trabalho que faz.