Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR.com – Videogames Brasil | 17 de agosto de 2017

Ir para o topo

Topo

Um Comentário

Hellblade: Senua’s Sacrifice – Análise

Hellblade: Senua’s Sacrifice – Análise

Review

Hack'n'Slash com narrativa complexa

Uma experiencia diferente de tudo que já tive com um game tenso, macabro e insano tratando temas muito complicados. Experimental e interessante, mas não deve agradar a todos.

Hellblade é o novo jogo do aclamado estúdio inglês Ninja Theory (DmC, Heavenly Sword e Enslaved) e foi desenvolvido exclusivamente para PC e PS4. Uma aventura sombria, macabra e completamente insana o aguarda. Será que você está preparado para conhecer a complicada história de Senua?

Welcome to Helheim

Eu não vou te contar praticamente nada da história, mas vou te falar da maestria com que ela foi criada. Senua é uma guerreira celta que sofre de psicose e o jogo inteiro se passa dentro de um surto psicótico da personagem. Só isso já é louvável, abordando um tema altamente complicado trabalhado dentro de uma cultura/mitologia muito aclamada nos videogames.

Ocultismo macabro, violência brutal, alucinações insanas, pesadelos pesados e vozes do passado. O jogo inteiro gira dentro de um turbilhão de temas que são bastante trabalhados dentro dos jogos mas nunca da forma e com a união que foram em Hellblade. Do início ao fim da jornada você será jogado em momentos de tensão e sequências de tirar o fôlego e do meio pro final isso só intensifica.

A ambientação do jogo está no mesmo nível de jogos como Bloodborne, Metroid, Dark Souls, ou seja, você encarna no personagem e sabe que está ferrado. O jogo te deixa tenso a jornada inteira e os sons são trabalhados para intensificar essa tensão.

Mas embora a história, a ambientação e os momentos proporcionados ao jogar Hellblade sejam espetaculares o game tem um problema de narrativa que vai deixar tudo bem difícil de entender. A maneira de contar a história é muito complexa e desconexa ao mesmo tempo e provavelmente você vai precisar da ajuda dos universitários.

O legado nos Hack ‘n’ Slashs

O gameplay de Hellblade não tem nada demais e não tem nada de menos. O game oferece um bom sistema de combate, sistemas de puzzles bem interessantes e longas pausas mas que estão longe de dar tranquilidade ao jogador. O foco nesse game não é no fator “jogar” (mesmo oferendo bastante conteúdo de jogo), mas claramente é na experiência de jogo.

Eu não encontrei nenhum puzzle complicado mas eles não são necessariamente fáceis. Eu não fui muito desafiado pelo combate mesmo jogando no hard e o game oferece pouca variedade de inimigos,  mas eles são tão espaçados entre si que não dá tempo de enjoar.

Todos os momentos de jogo, sejam os puzzles, sejam os combates ou sejam as longas caminhadas são muito bem construídas para não cansar. Os que esperam gameplay e novidades mecânicas podem se decepcionar. Na minha opinião eles foram um pouco conservadores demais nas lutas e nos puzzles que inclusive tem bastante profundidade.

Experiencia Mitológica

Paguei exatamente R$ 55,00 em Hellblade no Steam, um preço anormal para um título AAA mas até normal para um game independente. O game é uma produção AAA mas com investimento de jogo indie. Graficamente é um game muito bonito, tecnicamente é perfeito para qualquer configuração de nova geração e além disso oferece uma imensa variedade de cenários, efeitos visuais e cutcenes cabreiras.

Agora o show mesmo fica pelo sistema de som 3D Binaural que eu nunca havia visto sendo usado da mesma maneira como foi utilizado aqui. Indo além eu duvido que existam jogos que usem essa tecnologia de forma melhor. E indo mais longe ainda, depois de Hellblade eu sinceramente gostaria de ver TODOS os jogos usando esse sistema. Me senti como se as vozes na cabeça da personagem estivessem na minha. Sério caras é absurdo o nível de cuidado com isso.

Visualmente espetacular e praticamente um show auditivo, a parte técnica de Hellblade é perfeita, principalmente dentro da proposta de criar cenas e momentos de agonia e tensão. Jogue no escuro e com fones de ouvido de alta qualidade. Não há outra maneira de apreciar esse game em toda sua forma.

O que esperar?

Hellblade: Senua’s Sacrifice é uma experiencia diferente de tudo que já tive jogando videogames. Um game tenso, macabro, insano e tratando temas muito complicados. Não acredito que todo mundo possa apreciar o game, mas àqueles que derem uma chance e imergirem na triste história de Senua garanto que terão uma experiência de jogo como nenhuma outra.

A qualidade de tudo é muito alta para algo que custou uma onça no Steam. O game tem uma boa quantidade de horas (7h à 9h) e talvez o trabalho técnico primoroso não te deixe enxergar, mas Hellblade é fruto de um estúdio independente que atingiu seu ápice no dia 08 de agosto deste ano.

Asgard:

  • Experiência Audiovisual espetacular. O som 3D Binaural é impressionante
  • Uma das melhores ambientações dentro dos videogames, garantia de imersão absoluta
  • Combate interessante e que faz bom uso de todas suas mecânicas
  • Puzzles simples, mas efetivamente inteligentes

Hel:

  • Gameplay no geral é muito arroz com feijão. Eles poderiam ousar mais tendo um DmC na bagagem
  • Narrativa complexa e sem muita coesão, propositalmente ou não, pode fazer o jogador não entender nada do que está acontecendo

Danilo Morim

É Rhazo como um Pires ou A Voz da Rhazão? Trabalha como gamer e dorme com o controle na mão.