Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR.com – Videogames Brasil | 16 de dezembro de 2017

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

Spintires: MudRunner – Análise

Spintires: MudRunner – Análise
Pedro Kakaz

Review

Simulador de atoleiro

Os gráficos e a física são excelentes mas a câmera é irritante e a campanha inexistente. Tem seus pontos positivos e pode divertir quem curte desafios de simulação.

Spintires: MudRunner é um game de simulação de transporte off-roads desenvolvido pela Saber Interactive e distribuído pela Focus Home Interactive disponível para PCXbox One e PS4.

Confesso não ser fã do gênero simulador de trabalhos e poucos foram os títulos que consegui tirar proveito. Por mais que MudRunner seja um game bem feito ele não foi exceção.

O game não possui um enredo, não que esse estilo de jogo necessite de um, mas é algo que pra muitos pode ser revelante. O modo “campanha” também não deveria ser chamado assim já que o jogo é constituído basicamente de desafios,  sem um gerenciamento da empresa, motorista ou nada do gênero, sem personagens. Mas como eu disse, isso não é necessariamente um ponto negativo, apenas um detalhe dentro do game.

O jogo possui um modo single player, um modo de desafios e um modo multiplayer online. Todos os modos são baseados no mesmo conceito de resolver tarefas com os caminhões. São 19 veículos off-road únicos, cada um com sua característica, potência e gama de equipamentos e cabe a você decidir o que usar na situação dada e administrar combustível, peças, peso e recursos do veículo para realizar a tarefa em um cenário sandbox. As tarefas são em sua maioria entregas em percursos difíceis. O jogador inicia com o caminhão, equipa ele com as peças que julgar necessário (que vão de carretas adicionais a tração nas rodas), faz o percurso e tenta não danificar o motor. O percurso em si é um fator importante. Você vai encarar lama, poças d’água, subidas ingrimes e terá diversos empecilhos que não só dificultarão sua vida mas que podem fazer tudo dar muito errado. Peso demais e falta de ajustes podem fazer a gasolina acabar, atoleiros podem travar seu caminhão e subidas muito íngremes podem até tombar a carga e a carreta.

O multiplayer é o mesmo conceito com três jogadores cooperativos. Enfrentei bastante dificuldade com lags e perda de pacotes durante o gameplay online porém as partidas foram bem rápidas para encontrar jogadores e iniciar.

Um ponto extremamente negativo do game é a câmera. Ela é mal otimizada, mal posicionada e a decisão dos desenvolvedores em deixá-la livre foi mal acertada. Durante todo meu gameplay tive problemas com a câmera, tirando a “câmera de manobra” que é aceitável.

Mesmo não sendo minha praia, não tendo um enredo ou uma campanha e com uma câmera extremamente irritante tem um ponto positivo que chamou minha atenção e com certeza merece ser levado em consideração: os gráficos são excelentes. Os carros são muito bem modelados e você consegue ver a riqueza de detalhes das peças, o motor e todas as “engrenagens” funcionando ali. Parece realmente que os caras montaram um carro peça por peça. Toda a movimentação também está incrível com ótimos efeitos para a água, iluminação e sombras. A física do game é impecável e a forma que o carro retorce nas pistas disformes, , os amortecedores, pneus cheios de lama atolando, a marcha dando potência pro caminhão que modifica a forma como ele reage na estrada… essa parte do game é realmente demais!

Os efeitos sonoros são competentes com o som do motor, barulho das árvores, água, lama, escapamento são ótimos. O jogo está em português o que facilita o entendimento das mecânicas e objetivos.

Spintires: MudRunner é um game de nicho, focado para quem curte desafios de simulação e os veículos do game, com gráficos excelentes e uma câmera irritante, tem seus pontos positivos e pode divertir quem procura algo diferente.

Pontos Positivos

  • Gráficos excelentes
  • Efeitos sonoros competentes

Pontos Negativos

  • Câmera extremamente mal feita
  • Falta de uma campanha de fato
Pedro Kakaz

Pedro Kakaz

Pedro Kakaz é apaixonado por Dark Souls, eterno hero of time, jogador de Dota que ama o trabalho que faz.