Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR.com | 21 de outubro de 2018

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

Soldiers of the Universe – Análise

Soldiers of the Universe – Análise
Pedro Kakaz

Review

Um dos piores jogos do ano

Nada se salva aqui: Gráficos, controles, enredo e efeitos sonoros. Soldiers of the Universe é um desastre total.

Soldiers of the Universe é um game de tiro em primeira pessoa com um enfoque na narrativa, desenvolvido e distribuído pela Rocwise Entertainment.

Eu costumo não entrar no mérito se um jogo é bom ou ruim, mas tento analisar os pontos negativos e positivos apontando o que me interessou no game e o que me desprendeu do motivo principal de se jogar, a diversão. Mas seria impossível analisar Soldiers of the Universe sem dar uma opinião mais franca e dito isso vamos ao texto.

O enredo é simples mas faz questão de tornar mirabolante cada diálogo de forma cafona. Basicamente seria: Você controla um cara que tem o pai morto por terroristas e vai buscar vingança. Mas você é Hakan, um turco fanático por seu país e pela religião. Seu pai é assassinado mas tudo foi premeditado pois ele faz parte de um culto tecnológico turco e islâmico de controle. Você descobre toda a verdade e se une em um cargo ultra secreto e altíssimo para matar os infiéis e esse culto existe há milhares de anos sempre mantendo a paz e o controle. As linhas de diálogos são tão absurdas que em alguns momentos pensei estar acompanhando uma paródia, como “Todo mundo em pânico”, mas não parece ser o caso. A história seria irrelevante, se o game não insistisse em cutscenes longas e dramáticas, com uma dublagem risível e escolhas de roteiro que são tão clichês que é inacreditável alguém fazer isso pleno 2017.

O gameplay é horrível e ultrapassado. Imagine o pior FPS que você imaginar, agora transporte esse FPS pra 2003, ele com certeza será melhor que Soldiers of the Universe. Um game de FPS tem como premissa o combate, matar inimigos e progredir em um cenário. Temos exemplos de games que se deram muito bem nessa ideia com missões memoráveis em Call of Duty, Battlefield e etc. Aqui não temos sequencias de combates épicos, não temos cenários memoráveis, armas poderosas, companheiros interessantes, não temos sequer inimigos consideráveis. O que temos: um cenário genérico com inimigos que ficam parados em pontos específicos esperando ser mortos. Sem brincadeira, os inimigos não se movimentam, eles ficam no mesmo local, abaixando e levantando tentando acertar você. Numa missão vi um inimigo parado em pé no meio do cenário olhando pro nada, ele me viu e começou a tentar me matar… PARADO. Sim, é ridículo.

A estrutura das missões também são extremamente genéricas, me senti jogando um CS 1.6 piorado offline. Qualquer game de PS1 do gênero fez algo mais complexo e elaborado do que esse jogo. Teve UMA coisa que achei interessante mas que nem de longe salva qualquer aspecto do game, aqui se estou mirando em um inimigo e ele me acerta eu perco o controle da mira e a visão fica um blur, atrapalha demais e torna o game muito mais “tático” com aspas infinitas. Esse conceito em outros games ficaria interessante, mas aqui… É só uma maçã bonita em uma macieira completamente estragada.

Os gráficos são uma piada, o game é extremamente mal otimizado. Meu computador que roda Battlefield 1 no ultra penou pra rodar esse jogo. As texturas são horríveis, tudo extremamente liso, a iluminação é até bacana mas a ausência de sombra é bizarra, as armas variam, umas são extremamente bonitas outras parecem que foram tiradas de jogos da década retrasada, mas tudo no geral é de extremo mal gosto. O game é completamente linear, cheio de paredes invisíveis e limites sem sentido nenhum.

Da mesma forma é o som com uma dublagem que parece Tela Class do Hermes & Renato. O som dos tiros e a falta de efeitos sonoros é muito forte. As cutscenes são muito feias, os bonecos são extremamente engessados e sem expressão, mal modelados, lembrando 007 Goldeneye de N64 (um jogo de 1997). Juntando esses bonecos de plástico, diálogos clichês sem sentido e a dublagem ridículo, o jogo realmente parece ser uma piada.

O game parece que está sendo vendido antes de ser finalizado. Eu já tive a oportunidade de jogar jogos em processo de desenvolvimento mais acabados que esse que é um game completo. Há um modo Co-op mas não encontrei ninguém online pra testar comigo. Alguns podem falar que to sendo maldoso e que a empresa é indie, mas Braid foi feito quase que por uma pessoa só e o jogo ser indie não é desculpa pra ser de extremo mal gosto.

Soldiers of the Universe é um dos piores jogos que já joguei na minha vida. Sem pontos positivos o game é um desastre total.

Pedro Kakaz

Pedro Kakaz

Pedro Kakaz é apaixonado por Dark Souls, eterno hero of time, jogador de Dota que ama o trabalho que faz.