Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR.com | 19 de agosto de 2018

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

Sea of Thieves – Análise

Sea of Thieves – Análise
Danilo Morim

Review

Pirataria cooperativa

Extremamente divertido e com senso de cooperação único, para quem não tem medo de rumar sem objetivos claros e está disposto a curtir momentos épicos com muita diversão Sea of Thieves é mais que recomendado

Sea of Thieves é o novo game da Rare, exclusivo para plataformas Microsoft. O game foi criado com o intuito de te botar na pele de um pirata e toda experiência do jogo é apoiada nesse conceito.

BEM VINDO AO MAR MARUJO

Sem enredo, cutscenes, narrativa ou qualquer tentativa de contar uma história, Sea of Thieves é um game que tem como único objetivo te botar na pele de um pirata, te levando aos mares para praticar a tenra bandidagem. Toda experiência de jogo é apoiada na pirataria e no oceano do game, portanto tudo é construído para esse mar imenso fazer sentido, desde as mecânicas de navegação até as ilhas exploráveis, e isso pode ser bom ou ruim, dependendo das suas expectativas como jogador.

Diferente de outros MMOs, a Rare não teve a pretensão de te levar por uma história te enchendo de objetivos repetitivos para passar de nível e ficar mais poderoso, mesmo porque a toda progressão no game é 100% cosmética, ou seja, apenas vai mudar o visual do seu personagem, barco ou equipamentos. Isso não quer dizer que Sea of Thieves não oferece objetivos. Na verdade temos 3 tipos de missões que servem para fazer dinheiro e aumentar sua reputação dentro das 3 facções do game. Mas infelizmente esse conteúdo ainda é muito cru e bastante repetitivo.

Falando do que interessa, o foco é realmente na experiência de pirataria usando a navegação sem rumo que é onde moram os melhores momentos que tive nas minhas mais de 20 horas de jogo. Batalhas navais, furtos sorrateiros, saques marítimos, derrota, raiva, felicidade e vitória são apenas algumas das experiências que você vai ter ao jogar Sea of Thieves. O game realmente não oferece muito conteúdo objetivo, mas isso torna-se irrelevante dado que as mecânicas de jogo e universo criado são únicos e vão oferecer muitas horas de diversão para quem abrir o coração para conhecer o Kraken.

O CAPITÃO MANDOU

Você pode aproveitar Sea of Thieves de três formas: Sozinho, com avulsos ou com amigos. Existem dois tipos de barcos: um grande, para até quatro piratas e um pequeno, para até dois. Eu joguei das três formas, nos dois barcos e tive excelentes momentos em todas possibilidades, mas com certeza foi em quatro jogadores que o game fez mais sentido pra mim. Acredito que essa tenha sido a forma como idealizaram a experiência de jogo mais completa.

A experiência de navegar em um galeão que é a maior embarcação do jogo, exige cooperação de pelo menos 3 jogadores para ser plena. No entanto em quatro é mais seguro e tranquilo navegar pelos mares do game. Um terá que tomar controle do leme do navio, outro do mapa e direcionar a navegação e um outro observar os perigos no mar, sejam uma pedra, uma tempestade ou um polvo gigantesco.

Seja na navegação, na exploração ou nas batalhas, a cooperação é crucial para o game dar certo e todas as mecânicas foram minuciosamente trabalhadas para que a jogabilidade de Sea of Thieves funcione dessa forma cooperativa. Esse com certeza é o game com maior senso de cooperação que eu joguei na vida.

SENTE ESSA ONDA

Pude jogar no PC e Xbox One padrão e ambas versões estão 100% na parte técnica. O visual do jogo é espetacular e no Xbox One X a coisa fica ainda melhor por conta da implementação incrível de HDR no game. As únicas diferenças notáveis do PC para o console são os tempos de carregamento mais rápidos e a taxa de quadros superior no PC.

O grande destaque da parte visual em Sea of Thieves é com certeza o mar, que é simplesmente a melhor implementação de água e oceânica em qualquer jogo que já tenha sido criado. Se você já jogou The Legend of Zelda: The Wind Waker, saiba que Sea of Thieves se inspirou bastante nesse game, só que elevou a navegação a décima quinta potência.

A trilha sonora do game também é muito boa e tem bastante inspiração em canções e instrumentos usados pelos piratas. Não se deixe enganar pelo tema cartunesco adotado pela Rare na arte do game, a parte audiovisual do game é espetacular e com certeza oferece algumas das cenas mais bonitas que já vi em videogames.

Outro ponto importante é que no game não tive problema nenhum com glitchs ou bugs, então pode navegar despreocupado. Sobre a dublagem não temos em português, o que não é relevante porque o game praticamente não tem diálogos falados. Temos legendas e localização em português com uma linguagem bem simples de entender. Somente as ilhas mantém o nome em Inglês para ser mais fácil cooperar com jogadores desconhecidos que podem vir a ser estrangeiros.

BEM VINDO DE VOLTA MARUJO

Com Sea of Thieves, a Rare mostrou que está de volta em um game que falha bem pouco na sua proposta e tem a mesma aura mágica dos jogos que fizeram sucesso nas plataformas da Nintendo. Um jogo extremamente divertido e com senso de cooperação que nenhum outro nessa indústria conseguiu proporcionar até agora. Sendo bom ou sendo ruim, você vai se sentir útil e imerso na proposta do game.

Com muito tempo de vida pela frente, com certeza terá muitas histórias a proporcionar durante sua vida útil. Se você está com medo de não gostar e tem um Xbox One ou um PC capaz, eu recomendo juntar seus amigos e assinar o serviço do Xbox Gamepass, pelo menos durante 14 dias de testes. Você vai poder aproveitar o game de graça e acredito que não vai se arrepender.

Para quem não tem medo de rumar sem objetivos claros e está disposto a curtir momentos épicos com muita diversão Sea of Thieves é mais que recomendado. Se você precisa de objetivos e uma história para te manter interessado em um game passe bem longe. Eu recomendo aproveitar o jogo em pelo menos 2 pessoas, principalmente se forem amigos ou conhecidos. A experiência será bem mais memorável e divertida.

ENTRE PIRATAS

  • Sistema de jogo impecável
  • O mar é algo glorioso de vivenciar
  • As embarcações são espetaculares de controlar
  • Um dos melhores usos de cooperação nos videogames
  • Descompromisso e diversão garantida

NADANDO COM O KRAKEN

  • O game oferece pouco conteúdo na janela de lançamento
  • Não tem história
  • Explorar as ilhas sem objetivo não é recompensador
  • O combate entre personagens poderia ser melhor executado e melhor explorado
Danilo Morim

Danilo Morim

É Rhazo como um Pires ou A Voz da Rhazão? Trabalha como gamer e dorme com o controle na mão.