Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR.com | 22 de outubro de 2018

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

A Way Out – Análise

A Way Out – Análise
Átila Graef

Review

Cooperação com enredo de qualidade

A Way Out apresenta uma fuga da prisão com personagens interessantes numa aventura linear cooperativa do início ao fim. Recomendado para quem procura um coop diferenciado com temática mais adulta.

Desenvolvido pela Hazelight Studios e publicado pela EA sob o selo EA Originals, A Way Out é um game de ação-aventura totalmente cooperativo para PS4, Xbox One e PC. É o segundo jogo dirigido por Josef Fares após seu trabalho em Brothers: A Tale of Two Sons.

Anunciado na E3 de 2017, o game tem como característica principal a obrigatoriedade de ser jogado cooperativamente entre dois jogadores e usa para isso um cenário de fuga da prisão. Seja em modo online ou cooperativo local com tela dividida, A Way Out não oferece possibilidade de ser jogado com apenas um jogador, mas isso é algo muito positivo, principalmente por causa da temática e narrativa.

Você e seu amigo vão escolher entre protagonistas distintos, Leo e Vincent, dois malandros atrás de vida fácil que acabaram em cana na mesma penitenciária. Unidos com o objetivo em comum de fugir da prisão, eles também querem vingar-se do homem responsável por colocá-los atrás das grades: Harvey, o chefão do crime na cidade.

Cooperação para fugir da prisão

Apesar de ser totalmente cooperativo,  A Way Out oferece uma experiência cinematográfica com muitas cutscenes que ajudam no desenvolvimento da narrativa. No gameplay a tela fica dividida entre os personagens, destacando Leo ou Vincent conforme a importância das ações dos jogadores. Dentro da prisão vocês terão que conversar com NPCs para pegar informações, investigar locais e ficar de olho na rotina dos guardas, tudo isso com variações interessantes na jogabilidade, que sempre vão adicionar novos elementos conforme o objetivo atual.

O gameplay é simples do tipo, ande do ponto A ao B e faça alguma coisa, mas a forma como as ações se desenrolam com o elemento cooperativo é onde o jogo mostra seu diferencial. Algumas ações específicas só podem ser realizadas entre os dois jogadores. Essas interações vão desde coisas simples como forçar uma porta emperrada, passando por situações tensas e complexas, como contrabandear um objeto não permitido para dentro da sua cela. Alguns dos melhores momentos do game exigem a cooperação entre os dois jogadores e esse é o maior acerto de A Way Out: ninguém fica assistindo o outro ser o herói sozinho.

Os dois personagens são igualmente importantes na trama com seus estilos e personalidades distintas. Leo é mais explosivo e prefere resolver as coisas na base da porrada, partindo pro tudo ou nada, enquanto Vincent tenta ser mais sutil e  passar desapercebido. Esses estilos diferentes de resolver os problemas colocarão os jogadores em decisões complicadas em momentos chave da história.

Ligue as legendas!

O título está com áudio em inglês e textos localizados para o português e a recomendação é de que mesmo jogadores fluentes em inglês façam o uso das legendas. Isso porque um dos problemas mais chatos de A Way Out é que como os dois personagens estão aparecendo ao mesmo tempo, as vozes nos diálogos se atropelam, falando por cima em conversas paralelas no mesmo volume, embolando tudo e fazendo com que as legendas sejam obrigatórias para compreensão da trama.

Outra sacada genial dos desenvolvedores foi permitir o gameplay cooperativo com apenas uma cópia do jogo. Isso significa que você pode convidar um amigo que não tenha o game para encarar a aventura com você até o final, inteiramente de graça, sem pagar outra cópia por isso. O único porém é que o jogador convidado não vai ganhar as conquistas/troféus.

A Way Out foi lançado bem estável e a experiência do jogo transcorreu sem grandes problemas. Em nossos testes tivemos apenas um bug do controle desconectar e a mensagem para reconectá-lo mantendo-se estática no meio da cutscene, sem possibilidade de remover o aviso mesmo com o controle reconectado. Porém ao recarregar o save foi possível continuar a aventura sem maiores problemas.

A temática de fuga da prisão aliada ao cooperativo obrigatório são o brilho de A Way Out que traz uma aventura linear totalmente cooperativa, com aproximadamente 6 a 8 horas de duração. Mais para perto do final, as mecânicas tornam-se repetitivas e você vai se ver refazendo muitas das coisas que já viu ao longo do game. Mesmo assim a progressão da trama segura essa barrigada e não chega a dar tempo do jogo se tornar cansativo. Recomendado para quem procura um cooperativo diferenciado com temática mais adulta.

Pontos Positivos

  • Cooperativo diferenciado inovador
  • Trama adulta
  • Momentos de tensão

Pontos Negativos

  • Sons dos diálogos se atropelam
  • Mecânicas repetitivas perto do final do jogo
Átila Graef

Átila Graef

Átila Graef é fanático por conquistas do Xbox 360, General aposentado em Halo Wars, colecionador de placas de Arcades, e apaixonado por F-Zero GX.