Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR.com | 22 de outubro de 2018

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

Sega Mega Drive Classics – Análise

Sega Mega Drive Classics – Análise
David Signorelli

Review

Nota
9
9

Ótima coleção de clássicos

Mais de 50 dos melhores jogos do Mega Drive. Coletânea competente, mas jogos como Sonic 3, Sonic & Knuckles e um bom jogo de luta fizeram falta. Mesmo assim, recomendadíssima para os fãs do console.

A SEGA sempre lançou diversas coletâneas de jogos clássicos do Mega Drive (Genesis nos EUA) ao longo dos anos e agora temos a primeira grande coleção de games do console para a geração atual no PlayStation 4, Xbox One e PC.

SEGA Mega Drive Classics traz mais de 50 jogos do mais famoso console da empresa em um menu simples, com emulação muito competente. Nesse review falarei um pouco de cada um dos games dos quais boa parte joguei na época, enquanto alguns poucos conheci aqui mesmo nessa coletânea, mas antes vamos falar sobre as funções do emulador.

O QUARTO GAMER

Antes de entrar no mundo mágico dos clássicos do console, nós temos um quartinho “gamer” interativo onde podemos configurar várias coisas como som, características gráficas da emulação(tem filtros excelentes) e até mudar a iluminação do quarto baseada no horário do dia, bem legal.

Outra característica legal é poder jogar alguns jogos online, ainda não consegui encontrar jogadores, mas por mais doido que pareça jogar Streets of Rage com seu amigo que está em outro estado, agora isso é possível! Já pensou nisso na época? Nem em sonho.

Funções básicas de emulação como poder salvar e carregar progresso a qualquer momento estão disponíveis com facilidade. Mais legal ainda é o recurso de poder aumentar a velocidade do jogo ou mesmo voltar no tempo, isso tudo usando os botões de gatilho do controle! Agora dá até para terminar Kid Chameleon, né?

Alguns jogos tem conquistas também, algo que nunca dei muita importância, mas para quem curte é bacana.

Alex Kidd in the Enchanted Castle

O último jogo da franquia do antigo mascote da SEGA e eu pessoalmente considero o melhor da série. Me diverti demais com ele mesmo sendo curtíssimo.

Alien Soldier

Um Boss Rush de dificuldade suprema, controles precisos e complexos somados a um visual animal, um jogo único que poucos tiveram oportunidade de jogar quando saiu.

Alien Storm

Alien Storm é daqueles jogos que não cansam. Se trata de um beat ‘n up com segmentos de shooter on-rails. Problema são os efeitos sonoros horríveis, mas a trilha compensa.

Altered Beast

Esse dispensa comentários, o jogo vinha estampado na caixa do console nacional e traz uma versão bem fiel dos fliperamas para sua casa. Curto e fácil, porém super divertido.

Beyond Oasis

Jogo produzido por um estúdio fundado por Yuzo Koshiro, o lendário compositor das trilhas de Ys e Streets of Rage. É um RPG de ação com visão superior no estilo de The Legend of Zelda, e não fica devendo nada para a série da Nintendo. O combate é bem bacana.

Bio-Hazard Battle

Jogo de “navinha” pouco lembrado pelos jogadores. Não gosto muito dele por por causa dos controles, mas a trilha sonora pesadona compensa.

Bonanza Bros.

Pega o ladrão! Bonanza Bros. é um jogo bem discriminado na minha opinião. É um Keystone Capers ao contrário (afinal, você é o criminoso) com fases bem elaboradas e jogar com um amigo deixa tudo mais divertido.

Columns

Clássico jogo de puzzle da Sega, muitos chamam de clone de Tetris, mas tem suas diferenças e pessoalmente acho um jogo bem mais difícil. Eu jogo Columns até hoje.

Columns III: Revenge of Columns

Mais do mesmo, só que com alguns modos novos e com a possibilidade de jogar com até 5 jogadores.

Comix Zone

Gosta de quadrinhos? Esse jogo é uma HQ jogável e um dos jogos com visual mais impressionante do console.

Crack Down

Port dos Arcades, se trata de um jogo de tiro com visão superior. Uma pena que metade da tela seja o mapa, deixando o visual bem prejudicado.

Decap Attack

Plataforma dos melhores, Decap Attack é divertido, tem um estilão macabro, excelentes músicas e uma dificuldade alta. O controle lembra bastante o jogo Psycho Fox do Master System e leva um tempinho até se acostumar.

Dr. Robotnik’s Mean Bean Machine

O vilão da série Sonic agora tem seu próprio jogo e é um puzzle estilo Columns, nada de muito especial, mas bem divertido.

Dynamite Headdy

Plataforma com um personagem louco que usa sua cabeça para atacar, é excelente como todos os jogos da Treasure.

ESWAT: City Under Siege

Saudades extrema desse jogo, joguei muito na época e encarnar um policial combatendo o crime é sempre bacana. Controles precisos, trilha sonora linda e visual de tirar o fôlego.

Fatal Labyrinth

Um dungeon-crawler fraquinho onde os inimigos só atacam se você se mexer, lembrando bastante os jogos Mystery Dungeon da Chunsoft.

Flicky

Esse é um dos mais antigos da coletânea, Flicky é aquele típico jogo Arcade onde controlamos um pássaro azul e o objetivo é salvar todos os amigos pássaros.

Gain Ground

Talvez o pior jogo dessa coletânea, aqui podemos controlar alguns personagens com armas distintas e o objetivo é matar tudo que tem na tela. Primitivo e lento.

Galaxy Force II

Esse é bom, Galaxy Force II é um jogo de naves espaciais e conta com uma visão por de trás da nave, os gráficos são bem bacanas e o desafio elevadíssimo.

Golden Axe

O que falar desse jogo maravilhoso que ainda não foi dito? Escolha entre 3 heróis e derrote Death Adder em um beat ‘n up delicioso com gráficos lindos e uma trilha sonora inesquecível.

Golden Axe II

Dá pra melhorar Golden Axe? Sim, a Sega conseguiu. Esse jogo é ainda melhor, mais desafiador e com controles mais aprimorados. Se gostou do primeiro, jogue a sequência já!

Golden Axe III

Ovelha negra da série por alguns motivos. Um deles é que o jogo não teve versão física lançada para o console, ele foi distribuído apenas por um serviço online extinto que o Genesis teve e muita gente só foi jogar ele anos depois por emulação.

Pessoalmente acho bem fraco, feio, lento e muito aquém da qualidade dos anteriores, mas vale pela curiosidade.

Gunstar Heroes

Um dos melhores jogos de Genesis com toda certeza. Novamente a Treasure impressiona e mostra um run ‘n gun frenético, original e divertido elevado à décima potência. Eu amo esse jogo.

Kid Chameleon

Talvez o jogo mais estiloso dessa coletânea e provavelmente o mais difícil. Kid Chameleon é um jogo de plataforma com mais de 100 fases (sim, isso mesmo) e nosso herói pode coletar máscaras para se transformar em várias formas como Samurai, Jason Voorhess, Cavaleiro e muito mais.

Landstalker

RPG de ação dos melhores. Produzido pela Climax, Landstalker traz Nigel e a fadinha Friday em sua primeira aventura, conta com um visual isométrico e músicas lindas. Nigel aparece novamente em Time Stalkers para Dreamcast.

Light Crusader

Uma surpresa esse, não tinha jogado ele na época e fiquei surpreso pela qualidade. É um RPG de ação estilo Diablo e produzido pela Treasure, ou seja, é no mínimo bom. Vale a pena!

Phantasy Star II

A mais famosa série de RPGs da Sega chega aos 16 bits com um desafio extremo e uma excelente história. Recomendo jogar esse jogo com um caderno para ir desenhando os mapas pois você vai se perder.

Phantasy Star III: Generations of Doom

Esse Phantasy Star não foi bem recebido pela crítica e realmente não dá para discordar muito, ele é lento e com visual morto. O ponto forte é que ele tem um sistema de gerações(vide sub-título) onde podemos casar, ter filhos e continuar a aventura com eles, lembrando bastante Dragon Quest V.

Phantasy Star IV: The End of the Millenium

Sem dúvidas o melhor RPG do console. Tudo aqui é de extrema qualidade, desde o visual até o enredo, a Sega se superou nesse título. Fãs do gênero precisam jogar já!

Ristar

Personagem estilo mascote em forma de estrela vem para agregar qualidade a biblioteca do console. Ristar tem carisma, visual bacana e um controle fenomenal. Só de lembrar dele já dá vontade de ir jogar.

Shadow Dancer: The Secret of Shinobi

Ninja e seu fiel cachorro encaram uma das melhores aventuras no console da Sega. A série Shinobi brilhou nessa geração e Shadow Dancer: The Secret of Shinobi mostra isso com maestria. A fase de bônus com uma música estilo beatbox nunca será esquecida por mim.

Shining Force

Representação suprema do gênero de RPG de estratégia no Genesis. Shining Force é maravilhoso, os gráficos são lindos e o sistema de combate até hoje funciona muito bem, esse deu saudades.

Shining Force II

Ok, conseguiram melhorar Shining Force. Essa sequência é mais divertida, mais desafiadora e compre sua coletânea agora para jogar ela, é bom pra caramba.

Shining in the Darkness

Muitos acham que os spin-offs de Shining começaram quando a Sega parou de lançar Shining Force, mas não, ele começou aqui mesmo com Shining in the Darkness. Pega todo aquele universo da série e coloca em um dungeon-crawler em primeira pessoa(pense nas dungeons do Phantasy Star original), difícil à beça.

Shinobi III: Return of the Ninja Master

Perfeição. O melhor Shinobi do console e o jogo que mais tive dificuldade de largar quando joguei para escrever essa análise. É um jogo atemporal que sempre será divertido, sempre será bonito, sempre terá um controle preciso e sempre estará nos corações dos jogadores! Um jogo que faz valer essa coletânea inteira.

Sonic 3D Blast

Quem imaginava que o estúdio que produz os jogos de LEGO atualmente tinha feito um jogo do Sonic, hein? Ele é bem diferente dos jogos do Sonic que conhecemos em praticamente tudo. O mundo dele é isométrico, simulando um 3D, mas forçando muito.

O objetivo não é mais simplesmente ir para direita, agora precisamos salvar os amigos da floresta e a exploração se torna necessária. Não gosto dele, mas sei que tem seus fãs, a versão de Saturn é bem melhor.

Sonic Spinball

Sonic vira uma bolinha de “fliper” nesse Pinball super lento e com músicas insuportáveis, joguei pra caramba na época, mas hoje não aguentei mais de 10 minutos.

Sonic the Hedgehog

Velocidade, muita velocidade. Isso que Sonic trouxe para nós quando foi lançado, não tenho palavras para definir o que esse jogo significa pra mim, quando joguei fiquei fascinado e não conseguia pensar em outra coisa. Para falar a verdade, só de estar falando sobre ele já me dá vontade de ir lá dar uma lição em Robotnik.

Sonic the Hedgehog 2

Esse jogo é uma aula de como melhorar o que já era excelente. Se trata de um dos meus jogos favoritos de todos os tempos, daqueles que posso ligar a qualquer momento e jogar como se fosse a primeira vez. Aqui temos Sonic correndo em fases com um level design impressionante, todas as fases são fantásticas e a trilha sonora é divina

Quando vi Sonic e Tails (um personagem legal da série, coisa rara) na fase de bônus senti até vertigem, era algo de outro mundo.

Space Harrier II

Confesso que só fui conhecer a série Space Harrier quando joguei Shenmue e até então nunca tinha jogado sua sequência. Space Harrier II é um jogo mais do mesmo, mas isso não significa que sua existência não tem valor, é divertido sim.

Streets of Rage

Tenho a trilha sonora desse jogo na minha cabeça como se fosse um disco no modo repetir, acho que só isso já dá uma ideia da importância que ele tem para mim. Streets of Rage não somente tem músicas de outro mundo como é um beat ‘n up de extrema qualidade que garantiu muitas horas de diversão para os apreciadores do gênero.

Streets of Rage 2

Melhores gráficos, melhores fases, melhores controles e uma trilha sonora levemente inferior, definem a sequência de Streets of Rage com poucas palavras. Acho que foi o jogo que mais aluguei na minha vida, deveria ter comprado.

Streets of Rage 3

Esse jogo é bem controverso e até hoje não sei porque. Ele não tem a qualidade e o carinho que tiveram com os anteriores, mas ainda é Streets of Rage do começo ao fim. Só evite jogar na dificuldade mais baixa se quiseres termina-lo.

Super Thunder Blade

Lembra de Galaxy Force II? Super Thunder Blade é basicamente ele só que na Terra e com visual terrível, controles imprecisos e música ruim. É um jogo de lançamento do console, mas existiu opções melhores mesmo na época

Sword of Vermilion

RPG esquisitão feito pelo Yu Suzuki, sendo seu primeiro projeto para consoles. O jogo inova por trazer umas perspectivas diferentes para cada situação, em especial nas batalhas. Não é jogaço, mas dá uma conferida.

The Revenge of Shinobi

O primeiro Shinobi para o Genesis chegou arrasando. Jogo fenomenal, do começo ao fim e que fim, hein? Última fase ainda me traz pesadelos.

ToeJam & Earl in Panic on Funkotron

Sabe quando resolvem mudar totalmente uma franquia e dá errado? Esse jogo é completamente diferente do original e não tem graça alguma, fique longe.

ToeJam & Earl

Outro jogo que alugava muito. Eu considero ele um dos melhores do Genesis e é um exemplo de produto que exala anos 90 pelos seus pixels. Tem um estilão funk norte-americano em seu visual e uma jogabilidade de visão superior onde controlamos 2 aliens muito loucos em busca de partes da sua nave espacial.

Cada jogatina é única por conta dos mundos aleatórios e jogar com seu amigo só duplica a diversão, se quer um jogo imprevisível e engraçado, jogue Toejam & Earl.

VectorMan

Homen Vetor? O visual dele é bem impressionante, usa uma técnica avançada de sprites que na época surpreendeu, pena que o resto do pacote não tem muita graça, pelo menos na minha opinião. Nosso personagem é bem ágil para um robô e as fases são difíceis.

VectorMan 2

Saindo dos cenários futuristas e indo para um ambiente mais urbano, VectorMan 2 é um pouco mais divertido que o original e ainda traz aqueles belos gráficos.

Virtua Fighter 2

Ninguém esperava um jogo desses no Genesis. Como converter um jogo conhecido por seu visual poligonal para um console que não tem capacidade para tal? Transforma-lo em 2D! Os jogos de luta ficaram mal representados nessa coletânea.

Wonder Boy III: Monster Lair

Joguinho divertido de plataforma com leves elementos de RPG, esse vale bastante a pena pois é garantia de um bom entretenimento.

Wonder Boy in Monster World

Parecido com o anterior, mas com melhores gráficos e desafio. Não entendi porque deixaram o melhor da série de fora dessa coletânea, que é o IV, mas dá pro gasto.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Essa não é a primeira e também não será a última coletânea do Genesis que veremos. Ela é bem competente, mas jogos como Sonic 3, Sonic & Knuckles e um bom jogo de luta fizeram falta, quem sabe na próxima?

Até então recomendo fortemente ela, os fãs do console não podem deixar passar.

Pontos Positivos

  • Jogos clássicos em grande quantidade
  • Filtros que deixam a imagem linda em TVs novas
  • Conveniências como save/load é bom para jogos mais difíceis

Pontos Negativos

  • Faltaram games importantes como Sonic 3 e Sonic & Knuckles
  • Tempo bom que não volta mais
David Signorelli

David Signorelli

Amante de jogos japoneses, foi responsável por derrotar os Weapons de Final Fantasy VII que iriam afundar a Ilha da Rainha da Morte, conhecida como Florianópolis. Se arrepende disso até hoje.