Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR.com | 15 de novembro de 2018

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

Rigid Force Alpha – Análise

Rigid Force Alpha – Análise
Pedro Kakaz

Review

Nota
8
8

Clássico de "navinha" old-school

Rigid Force Alpha lembra o clássico R-Type e não traz muitas inovações. Peca graficamente mas entrega um gameplay divertido e desafiador.

Rigid Force Alpha é um shoot’em up clássico com modelagens em 3D, o game foi desenvolvido e distribuído pela com8com1 Software para os PCs na Steam.

O enredo do game é simbólico. Em uma missão você é mandado para “defender” uma base com recursos tecnológicos, em uma outra destruir um comboio que está atravessando o hiperespaço. Que seja, todas as missões são pretextos para rumar para o canto direito da tela e destruir todos os inimigos possíveis. Porém existem sim algumas linhas de diálogos, situações e até voice-actors que tentam emular algo, mas acaba ainda assim sendo desinteressante.

Vou falar primeiro do ponto negativo do game, que pra mim é todo o aspecto artístico. Os gráficos não são péssimos mas não me agradaram nem um pouco, a escolha pela modelagem em 3D é pobre em detalhe, efeito e iluminação. Gráfico pra mim não é o fator mais importante de um game, mas é com certeza um cartão de entrada, e eu entrei de mal gosto nesse aqui. Um contraponto interessante a esse ponto negativo são os ambientes do game, são bem variados em cores e conceitos, não só visual mas até de como se comportar na tela.

A trilha sonora por outro lado é divertida e nostálgica. Algumas missões com trilhas bem marcantes e frenéticas, um lado positivo sempre nos shoot’em up são as trilhas sonoras, e aqui não é diferente. A trilha original foi atribuída ao artista Michael Chait, um nome a se ficar de olho.

O ponto mais forte do game é com certeza a jogabilidade. Não só a movimentação super dinâmica, os obstáculos serem destrutíveis, o que acaba dando uma fluidez interessante para o jogo, mas também o sistema de power-ups e super tiros. Existem diversos de power-ups diferentes, que vão acumulando de acordo com o avanço do personagem mas se perdem quando acontece uma baixa. Também existe uma barra de energia que quando acumulada habilita um super tiro que ajuda e MUITO principalmente nas boss fights.

Outro ponto muito positivo é a dificuldade elevada do game, que lembra muito os shoot’em up old school, os clássicos rouba fichas. No game você possui vidas e continues, e amigo, quando os continues acabam o jogo simplesmente volta tudo, como nos velhos tempos. O que torna a experiência extremamente desafiadora.

Além do modo história temos um arcade mode, para desafios e pontuações e um boss rush game, para enfrentar os chefes em sequência, também é um gimmick legal e divertido.

O game não tem tradução para o português, mas isso não prejudica a experiência.

Rigid Force Alpha lembra o clássico R-Type e não tem muitas inovações. Peca graficamente mas entrega um gameplay divertido e desafiador.

Pontos positivos:

  • Gameplay divertido e fluído
  • Desafiador
  • Trilha sonora original bem feita

Pontos negativos:

  • Não tem legendas em português
  • Gráficos me incomodaram
Pedro Kakaz

Pedro Kakaz

Pedro Kakaz é apaixonado por Dark Souls, eterno hero of time, jogador de Dota que ama o trabalho que faz.