Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR.com | 9 de dezembro de 2018

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

Shadows Awakening – Análise

Shadows Awakening – Análise
Pedro Kakaz

Review

Nota
8
8

RPG isométrico estilão Diablo

Com belos gráficos, jogabilidade afiada e uma premissa diferente, Shadows Awakening é um jogo extremamente competente no gênero, rendendo boas horas de diversão com um visual muito interessante.

Shadows Awakening é um RPG com combate em tempo real e visão isométrica, o game foi desenvolvido pela Games Farm e distribuído pela Kalypso Media Digital Ltd e está disponível para PC, Xbox One e PS4.

O enredo tem uma premissa simples porém original.  Você controla o Devourer, um demônio que foi invocado por um mago misterioso e dali em diante você possuirá seu primeiro corpo. Todos os corpos possuídos por você são personagens que você poderá controlar, sempre alternando entre os corpos e a forma diabólica com um único clique. A primeira escolha é importante e guiará boa parte do seu gameplay, você escolherá entre um guerreiro, um arqueiro e uma feiticeira. Eu joguei com o guerreiro e depois um pouco com o arqueiro para entender as diferenças desse início. Basicamente os personagens seguirão a mesma jornada, porém com pontos de vistas, diálogos e habilidades diferentes. O replay é interessante mas não muito mais que isso.

Os gráficos são excelentes, desde a modelagem aos efeitos, iluminação, cores. Tudo me agradou muito. Óbvio que é impossível não comparar esse game ao Diablo III, a comparação será feita ao longo da análise começando pelos gráficos. É semelhante a escolha da arte e da plástica do game, mas por ser mais recente Shadows Awakening me agradou mais. Gosto da ideia como ele escolhe a identidade visual dos mundos distintos. Enquanto demônio você transita por um mundo de sombras, que é um espelho distorcido do mundo dos homens, e a transição ser feita com um clique apenas é fantástico, é um deleite visual e não apenas isso mas também usado de forma incrível como mecânica de gameplay.

Por falar nisso, a mecânica do game é simplesmente fantástica. A movimentação das criaturas e dos personagens é algo que eu tenho que aplaudir, até agora a melhor animação de movimentação dos RPG de visão isométrica de longe. Toda a forma como o personagem bate, com uma gama de movimentos, fluidez, peso ou leveza, é sem igual. A transição de mundo funcionará como parte do gameplay, as vezes uma ponte no mundo dos homens está caída, quando acessada no mundo das sombras ela está inteira possibilitando a passagem. Essa mecânica permite puzzles interessantes, além de uma forma nova de se visualizar os mapas desse gênero. Sabe aquela sala sem graça que todos RPG visão isométrica tem, você encontra um punhado e ouro, mata dois inimigos e é isso? Aqui você sempre irá transitar para o outro mundo quando encontrar uma sala dessa, podendo encontrar mais inimigos, mais itens, uma fonte que enche o hp entre outros.

O game tem uma dificuldade interessante, ele não é dos mais difíceis, porém você irá perder algumas fontes de restauração de HP por falta de costume de transitar entre mundos e quando isso acontecer, aquele boss que muitas vezes seria tranquilo de enfrentar se tornará um empecilho. A árvore de habilidades e a forma com que manuseamos e administramos os itens é algo que não tem novidade, aquela velha fórmula Diablo, itens no chão, alguns bons, outros ruins, árvore de habilidades que acionam pra dar mais dano, alguma magia, tudo com cooldown variado, sem segredo.

A trilha sonora e a dublagem dos personagens também não é algo extremamente relevante, está tudo muito ok mas só. O jogo também não possui legendas em português. Pelo menos não na versão que joguei (PC), o que pode ser um ponto negativo para quem curte acompanhar o enredo inteiro e não sabe inglês.

Shadows Awakening é um jogo extremamente competente no gênero, rendendo boas horas de diversão com um visual muito interessante.

Prós

  • Enredo interessante com diálogos variados entre personagens
  • Combate dinâmico, difícil e com animações fantásticas
  • Gráficos muito bonitos.

Contras

  • Não está localizado em português
  • Trilha sonora nada demais
  • Apenas para um jogador
Pedro Kakaz

Pedro Kakaz

Pedro Kakaz é apaixonado por Dark Souls, eterno hero of time, jogador de Dota que ama o trabalho que faz.