Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR.com | 10 de dezembro de 2018

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

Battlefield V – Análise

Battlefield V – Análise
Danilo Morim

Review

Nota
7
7

Retorno a 2ª Grande Guerra

Mesmo com o capricho da produção, a campanha é fraca. A DICE tem potencial para algo melhor do que pequenas histórias genéricas. Recomendado para os fãs da série e do multiplayer que continua muito bom.

Battlefield V foi anunciado em evento próprio pela EA um pouco antes da E3 2018. Eu assisti boa parte do evento de revelação do game que causou diversas diferenças de opinião por tentar ser inclusivo mesmo sendo ambientado em uma época que esse conceito de “inclusão” nem existia.

Particularmente não é algo que me incomoda ou mesmo faça qualquer diferença desde que a entrega seja de acordo com a minha expectativa. BFV foi atrasado por pouco mais de um mês por conta do conturbado outubro e para dar polimento final e a mais ou menos uma semana pudemos experimentar o game e suas novidades.

Depois do glorioso sucesso de BF1 é fácil entender porque a EA resolveu manter BFV seguindo a linha histórica. O único obstáculo seria atender a expectativa de melhorar o que a DICE entregou no game anterior e minimizar as reclamações dos jogadores sobre a inclusão fora de contexto.

Infelizmente e na minha humilde opinião BFV é uma sombra de BF1 e sinceramente não consigo pensar em nada que não seja pior ou igual ao game anterior. A campanha por exemplo não chega nem perto de ser boa e é ridiculamente curta. Você vai ter um tutorial e 3 missões que podem ser jogadas na ordem que você quiser. Cada uma conta a história de um personagem diferente e que se passa em frontes distintos que estão sofrendo com a guerra.

Eu gosto da estrutura de mini campanhas com histórias e personagens diferentes desde que sejam boas, o que não é o caso. Comparando com BF1 até tiraram um pouco da linearidade dessas histórias de guerra, mas acho que no game anterior eram história e personagens melhores resolvidos e tinham uma duração levemente maior. Entre 3 e 4 horas eu já tinha fechado todas as histórias que tentaram ser comoventes e emocionantes, mas ficaram bem genéricas e mal desenvolvidas.

Já no multiplayer, que é o grande carro chefe do game, Battlefield V apresenta algumas diferenças. Vou falar brevemente sobre cada uma das principais mecânicas do multiplayer e vou iniciar falando sobre as quatro classes clássicas de infantaria: assalto, médico, suporte e batedor. Falando um pouco sobre as classes de forma simples:

Assalto possui os armamentos anti-veículos, Médico tem os kits de cura, o Suporte usa armas pesadas e tem os kits de munição, Batedor são os famosos snipers que possuem rifles de precisão e também munição anti-blindagem para serem usados contra veículos pesados como os tanques.

Além das classes agora temos subclasses que aumentam ainda mais a customização do seu soldado, sejam pelas armas ou pelas habilidades.

Acho que a melhor parte de BF, seja ele qual for são os veículos e nesse game eles mantiveram o nível. A jogabilidade dos veículos em geral foi melhorada nesses dois últimos games, principalmente os aviões que estão espetaculares e as batalhas aéreas ficaram muito divertidas e disputadas, simplesmente porque agora os aviões não têm mais mísseis teleguiados.

Os veículos de combate terrestre aparecem em menor frequência, mas estão mais resistentes e mais “apelões” o que é bom pois em BF4 era ridiculamente fácil explodir um tanque de guerra.

A grande novidade do multi está nos modos de jogo: Operações Grandiosas que consiste em misturar os objetivos dos modos de jogo padrão de BF e fazer com que as batalhas sejam mais longas perdurando vários “dias”, o que na verdade seria um modo de jogo emendando no outro para realmente parecerem uma guerra. Dentro desse modo você tem algumas novidades como o Modo Aéreo onde você cai de paraquedas num campo de batalha onde deve atacar ou defender a artilharia. Outros modos como Ruptura é basicamente uma renomeação do modo Operações além outros modos que vão tornando essa experiência bem duradoura.

O principal modo de BFV continua sendo o Conquista, eu encontrei algumas dificuldades em achar salas para testar as Operações Grandiosas enquanto era bem fácil encontrar partidas do modo Conquista que o famoso capture a bandeira em larga escala. Acredito que a maior parte dos jogadores compre BF para se internar nesse modo e aqui não tenho nenhuma reclamação.

Nos testamos o jogo no PC usando a plataforma Origin numa máquina equipada com um i7 6600k, uma GeForce GTX 1080  (e uma GTX 1070 Ti) e 16 giga de RAM DDR4 HyperX Savage. Nessa configuração o jogo rodou tranquilamente bem em 1080p e 60 FPS cravados com todos os efeitos no Ultra. Em 4K não foi tão bem mas ainda sim funcionou de forma satisfatória com alguns ajustes nas configurações. Infelizmente na minha configuração mais modesta com um i5, 16 GBs e uma GTX 970 o game enfrentou sérios engasgos nas cutcenes da campanha no high e no multiplayer tive que deixar tudo no low para manter nos 60 FPS.

Sinceramente não vi não vi nenhuma melhoria gráfica para o game anterior, que já era um showcase de gráficos. Talvez com o Ray Tracing ligado impressione mais mas infelizmente não tenho acesso a essa tecnologia. Acredito que tirando a direção de arte mais colorida não achei que o game tenha melhorado nos visuais e não fiquei tão impressionado quanto em BF1.

World War II

Ano passado tivemos um Call of Duty na Segunda Grande Guerrae Battlefield V deixa seus rivais ainda mais para trás, principalmente na sensação de colocar o jogador em grandes batalhas numa grande guerra. Infelizmente a campanha de CoD foi muito mais interessante e acredito que a DICE tem potencial para entregar algo muito melhor que pequenas historinhas sem graça e genéricas.

Os pontos fortes do jogo foram mantidos e inovações foram trazidas para melhorar a experiência online. Minha única queixa é a otimização para GPUs poderosas e de séries mais antigas que parecem ter sido esquecidas nessa edição.

Eu acredito que Battlefield precisa de uma reboot para dar uma revigorada. Eu mesmo nem jogo mais como antigamente e acredito que a onda crescente dos shooters “battle royale” a DICE e a Eletronic Arts tenham que realizar ajustes e ampliar a franquia. Eu recomendo o game se você quiser jogar o multiplayer e gosta de BF, senão é o caso fica difícil recomendar um game que pouco fez para sair do lugar e está a quase 20 anos no mercado.

Prós

  • Graficamente é muito bom mesmo sem muitas melhorias
  • Multiplayer que é bom continua sendo o carro chefe da franquia

Contras

  • Campanhas fracas e muito curtas
  • Falta de novidades e pouco conteúdo inicial
  • Mal otimizado nos PCs, principalmente o multiplayer
Danilo Morim

Danilo Morim

É Rhazo como um Pires ou A Voz da Rhazão? Trabalha como gamer e dorme com o controle na mão.