Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR | 20 de abril de 2019

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

Dragon Marked For Death – Análise

Dragon Marked For Death – Análise
Fábio Kraft

Review

Nota
8.5
8.5

Old-School bonitão

Uma aventura belíssima com dificuldade de gente grande Vai agradar fãs de RPGs e também os que gostam de uma boa aventura 2D, estilão Castlevania/ Megaman.

Dragon Marked for Death  desenvolvido pela Inti Creates para o Nintendo Switch é uma das surpresas mais legais que pude jogar nos últimos tempos. 

Os trailers empolgaram bastante porque o gênero do game me agrada muito, um RPG-Ação/ Sidescroller-2D. Traz lembranças excelentes de títulos como Castlevania Symphony of the Night, Odin Sphere ou Demon Blade: Muramasa para o Wii/ Vita no qual joguei incansavelmente.

Dragon Market for Death tem inspirações fortes na série Mega Man Zero, algo confirmado pelos próprios desenvolvedores, então qualquer semelhança não será mera coincidência. É uma aventura que pode ser curtida sozinho ou em até 4 jogadores localmente e online. Uma aventura entre batalhas e conflitos para retomar as terras e a honra de seu clã dracônico das mãos de um império maligno. Forjando um pacto especial, você receberá novos poderes que lhe darão forças para se opor ao mal.

A versão que eu joguei possui dois personagens habilitados, a Empress e o Warrior, então vou focar bastante nestes dois ao longo do review.

Gameplay

Os elementos de RPG são muito presentes neste game, desde subir de nível e melhorar seus atributos até comprar ou adquirir novos equipamentos. O jogo exige que você trabalhe bem seus ataques e resistências elementais e também saiba se proteger contra muitos dos status negativos que os inimigos causam a você, e causam com muita frequência. Dentre eles, os que acabam mais incomodando são: Poison que drena muito rápido seu HP, Freeze que limita seus movimentos e Paralyze que impede você de executar qualquer ação por um curto período de tempo.

Seu personagem poderá carregar 10 itens diferentes na categoria “poção”, dois acessórios que agem como armaduras e duas armas. Os únicos locais onde você poderá equipar seu personagem são as lojas e no INN, então não esqueça de se preparar bastante antes de tocar para cada missão, pois cada uma delas irá lhe render cerca de 10-15 minutos de aventura em média e para um jogo com uma dificuldade avançada, isso é bastante tempo.

Além das tradicionais lojinhas de itens e armas, vários NPCs estarão rondando pelo vilarejo ocasionalmente lhe dando side-quests com o progresso da história. É importante também visitar o seu oráculo dragão de 5 em 5 níveis para ele ir revelando acontecimentos do passado da trama.

Falando da progressão de jogo, Dragon é RPG baseado em missões. A lista de missões é bem extensa caso o jogador procure realizar o conteúdo opcional e o fim do game será por volta de 30 ~ 40 missões, cada uma contando um trechinho da história.

Cada uma dessas missões possui um seletor de dificuldade. A primeira missão começa como uma quest de nível 1 e ao completá-la você habilita a mesma fase no nível 10, depois no nível 20, e por assim em diante. Todas as quests do jogo possui esse contador de dificuldade.

O legal é que os ataques e padrões dos chefes mudam conforme a dificuldade escolhida, tanto os ataques quanto a frequência deles, tornando-os mais violentos e desafiadores. Como esperado as missões mais difíceis lhe entregam itens mais raros, mais fortes, assim como uma recompensa maior de experiência e dinheiro também.

Empress

Falando um pouco sobre como o combate funciona com a Empress, você terá uma aventura mais balanceada entre agilidade, ataques e magia. Sendo a agilidade o ponto mais forte e principal do personagem. Ela no multiplayer pode ser considerada o DPS (Damage per-second) principal da equipe.

Empress conta com golpes rápidos de espada, um ataque físico especial em área com sua Dragon Sword, que é capaz de arremessar seus inimigos pra longe cancelando suas ações, uma magia de fogo a longa distância que lembra muito um Mega Buster de Megaman e um ataque mágico carregado que drena continuamente seu MP ao segurar o botão (A).

A personagem tem agilidade para executar combos e sair do perigo com corridas e saltos longos na maioria dos casos, porém é sempre bom se atentar que ao ser acertado por algum nimigo, seu HP sofrerá perdas enormes. Embora seu forte não seja a defesa mágica e física, as possibilidades de esquiva compensam na balança caso o jogador tenha bastante experiência com jogos desse gênero.

Ao avançar pelos cenários do game, alem de poder correr indefinidamente, Empress poderá usar uma espécie de chicote dracônico para lançar-se verticalmente nas plataformas para alcançar certos itens ou passagens que os outros personagens não terão acesso.

Warrior

O tanque da equipe no multiplayer, o personagem que está ali para aguentar o tranco. Warrior é o personagem que trabalhará com o controle de pestes, a grande quantidade de inimigos na tela.

Seus golpes de machado são mais lentos que de os da Empress, porém em contra partida são muito poderosos. Segurando o botão de ataque (Y), ele carregará e causará uma onda de choque que viajará nas duas direções, varrendo tudo o que vier pela frente e por trás.

Ele atravessa as dungeons empurrando os obstáculos com uma investida, derruba arvores quebradas, pedras e outros objetos mais pesados. O Warrior é capaz de correr pequenas distancias e não consegue saltar muito longe e agilidade não é de fato o ponto forte dele. Porém combinando sua investida com o machado, ele consegue jogar-se contra os inimigos, causando um efeito devastador em área. Sua força dracônica é o Berserk, sacrificando sua defesa em troca do aumento de ataque fisico considerável que em muitos casos é ótimo como último recurso.

A característica principal dele na minha opinião é poder anular 100% do dano causado com uma espécie de Parry, feito em uma curta janela de tempo. Se o jogador dominar bastante o tempo dos ataques desferidos contra ele, o Warrior dificilmente será derrotado.

Som

A composição das trilhas deste game claramente foram desenvolvidas com um carinho especial. Com uma boa variedade de faixas, as músicas se encaixam perfeitamente aos diferentes ambientes do game, não deixando eles monótonos e cansativos. Infelizmente não vamos escutar temas agitados de batalha ou de dungeons, algo que ficaria fenomenal em um jogo como este.

Eu acredito que nesse aspecto eles conseguiram entregar no que a proposta do game trouxe, embora não seja minha preferência pessoal.

Por fim, Dragon Marked for Death é um jogo que agrada a galera que gosta de RPG e também os que gostam de uma boa aventura 2D, estilão Castlevania/ Megaman. Quem gosta de um jogo com bastante profundidade em single player também vai se amarrar.

O game proporciona uma aventura com um altíssimo grau de dificuldade, então espere algo bem desafiador mesmo. Quem é mais casual pode acabar se afastando por conta disso, infelizmente.

Pros

  • Aventura extensa
  • Cenários e personagens em um lindo ambiente 2D
  • Gameplay rico e diversificado

Contras

  • Algumas dungeons são muito longas
  • Desafio no nível frustrante
  • Algumas mecânicas importantes que são aprendidas ao acaso
Fábio Kraft

Fábio Kraft

Um jogador de RPG e amante de batalhas finais e odiador de joguetes bugados sem fim e com música tosca.