Jump to content

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 08/04/2018 in all areas

  1. 13 points
    Acho que cabe uma reflexão de todos. Vocês acabaram com um fórum de videogames que frequentavam diariamente por causa de briguinhas de política. Todos perderam o fórum e absolutamente NADA mudou no âmbito da política. Nenhuma opinião mudou. Ninguém parou de se odiar. Ninguém aprendeu nada com isso. Parabéns a todos os envolvidos.
  2. 10 points
    Falei com Carneiro e ele me disse que vai reabrir o fórum no final de semana sem o Geral, que é impossível ser moderado. Pelo menos nesse primeiro tempo, porque ali tem muita coisa que vai precisar sair. Ficamos tocados com a disposição da comunidade em manter o contato, isso mostra a força que a Players tem e que construiu ao longo dos anos. ps: pedi autorização ao LOP pra postar isso em respeito ao fórum dele e a amizade que nós criamos ao longo dos anos. É um cara que virou meu parceiro mesmo e que ainda vamos trabalhar muito juntos.
  3. 9 points
  4. 5 points
    Vou pegar o FF7, por exemplo. Você começa o jogo controlando o Cloud, um Soldier renegado que tá junto de um grupo terrorista, cujo objetivo é acabar com a Shinra, corporação que está drenando os recursos do planeta. O jogo começa e se passa inicialmente na cidade de Midgard e seu objetivo é a Shinra e pronto. Dá a impressão que o jogo vai se passar todo na cidade. No meio do caminho, você vai conhecendo os personagens, a relação do Cloud com a Tifa, o Barret com sua filha, acaba esbarrando na Aeris que te ajuda e o enredo de cada personagem vai sendo desenvolvido. Eu, pelo menos, me senti instigado a conhecer mais sobre a Tifa, Barret e cia. De repente o jogo dá uma guinada pra outro rumo, com a aparição do Sephiroth, e você passa a perseguir ele saindo de Midgard. Aí, de repente, se abre um mapa e um mundão pra você. Enquanto vai seguindo os rastros do Sephiroth, o jogo vai explicando mais sobre a história do mundo, você conhece mais personagens cujas histórias vão sendo desenvolvidas também e você vai tendo cada vez mais empatia pelos personagens. E aí vão acontecendo os plot twists que todo mundo ficou boquiaberto até o jogo culminar na batalha contra o Sephiroth pra salvar o mundo. O jogo todo te instiga a curiosidade, os personagens interagem bastante entre si (lembro que eu ficava na dúvida se queria que o Cloud ficasse com a Tifa ou a Aeris) e a história do mundo é cheia de referências, como a teoria de Gaia. Poucas coisas são mal explicadas no jogo. Talvez eu tenha terminado ele sem entender direito o que eram as Weapons, mas só. Daí, fazendo um paralelo, você pega o FF15. O jogo já começa com você na estrada, indo se casar com a Luna e o jogo não nem explica direito o porque. Daí do nada, você que é a porra de um príncipe com um carro chique, está sem dinheiro e precisa fazer trabalhos mundanos pra consertar o carro. Nesse meio tempo, o jogo te enche de quests inúteis, sendo que você deveria estar com pressa pra se encontrar com sua noiva. Aí sua cidade é destruída, seu pai morre e o que você faz? Continua caçando bichos e colhendo comida. Em nenhum momento o jogo apresenta os personagens e você tem empatia zero com eles. Do nada aparecem os Summons, que aparentemente são coisas importantes, te atacam sem motivo e você é obrigado a matar eles. Aí você fica o jogo todo na expectativa do Noctis se encontrar com a Luna e ela morre da forma mais imbecil possível e você resolve viajar pra capital da cidade inimiga. Descobre que seu objetivo é morrer pra salvar o mundo, morre e fim. Nisso o jogo acabou e não desenvolveu NENHUM personagem. Você tem empatia Zero com Noctis e seus amigos e com a Luna, que aparentemente seriam todos personagens importantes. A narrativa é cheia de buracos também.
  5. 5 points
    Joguei essa obra prima e já dou GOTY por antecedência hahahahaha. Minhas impressões: O jogo é bem Souls no feeling e na estrutura de jogo mas é mecanicamente bem mais complexo que de todos os jogos que seguem essa formula. É um Soulsborne Ninja literalmente. Ele é mais rápido que Bloodborne e que o próprio Nioh. O char não tem estamina decrescente e sim uma barra que cresce e não pode chegar no máximo, e os inimigos tem essa mesma barra. Ela é o principal medidor do combate e quando chega no limite é um estado critico que é basicamente um momento de morte seja pra quem estiver nesse estado(alguns inimigos aguentam mais de uma). Essa barra aumenta se você for parryado, se não parryar direito e se tomar dano. Ela desce se você se manter fora de ação, fugindo usando o hook, se mantendo na esquiva ou correndo pra longe. O Hook com certeza é a maior novidade e tem vários usos. Eu achei extremamente versátil no combate, no stealth e na navegação pelo mapa, que é bem mais livre, vertical e tático que Souls. O uso hook é muito orgânico e tem um learning curve interessante. Eu queria ter tido mais tempo mas gostei muito de usar. Os itens especiais do braço prostético são bem variados e tem usos completamente diferentes. Toda vez que você usa um equipamento especial ele gasta um item (limitado) que é recuperado ao matar inimigos ou ir na “bonfire”. Eles também adicionam ao moveset e são combados com os ataques. Também tem um tipo de suco estilo estus para recuperar HP. O Stealth achei bem natural e serve mais como um meio do que como forma de jogar. O jogo te permite “limpar” um pouco os inimigos da área antes de enfrentar um mais forte, já que nem todos morrem no monohit ou são facilmente suscetíveis ao stealth. É um sistema completamente opcional e nada forçado, gostei muito da implementação e do feeling ninja. Morrer como já haviam falado é algo que serve inclusive de estratégia. Você pode “morrer” e reviver até 2x seguidas. Tem duas bolinhas em cima do HP que indicam suas vidas, se você morre e revive perde uma e fica impossibilitado de reviver novamente até matar alguém. Elas se regeneram conforme você mata ou descansa nas bonfires. Não é uma mecânica muito explicita ainda e eu precisaria de mais tempo com o game pra entender melhor, mas pelo que testei é mais ou menos isso. Acredito que seja possível reviver mais de 2 vezes se você conseguir completar essa bolinha gasta. Como falei é bem familiar a Souls, assim como Bloodborne era, mas é um game com coração próprio e será um jogaço obrigatório para quem é fã da From. Tem coisas que estão em embargo e não posso sequer mencionar. A demo é relativamente curta, muito bem feita e eu joguei algumas vezes.
  6. 5 points
    Enquanto eram gamers baixando pra jogar em casa nunca deram bola, mas a explosão desses controles arcade com raspberry que qualquer pé de chinelo tá montando e vendendo com pacotão de 8000 roms provavelmente abriu os olhos pra Nintendo ver a grana que tão fazendo em cima dos jogos dela.
  7. 4 points
    Fiquem tranquilos. No primeiro indício de avacalhação eu fecho o Café. Nosso fórum é de videogames. Geral não é prioridade.
  8. 4 points
  9. 4 points
    Esse pularei lindamente. Eu deveria ter pulado o Rise... Mas já que comecei vou até o fim... Mas... Jogou o primeiro, jogou TODOS. Não há a mínima necessidade de gastar tempo nesse.
  10. 4 points
    Kojimão criou uma explicação pra isso: ela é resultado de uma série de experiências genéticas e uma das características dela é que ela não respira pelos pulmões como nós, ela respira pela pele como insetos...portanto ela precisa ter a sua pele em contato com o ar E vc achando que era por perversão sexual chapa Billy...
  11. 4 points
    Sim. Jogabilidade muito da hora e dá pra você jogar escolhendo os comandos mais eficazes ou os comandos mais bonitos de se ver, Logo no começo do jogo, já lhe é apresentada um enxurrada de comandos (até demais para um começo de game). O balançar de teias obedece bastante as leis de física e são coerentes com o cenário. Ou seja... nada de mandar uma teia lateral se não existe uma parede de um prédio para isto. E isso lhe faz se locomover como se fosse em um filme, bem bonito de se ver. As mecânicas de combate podem ser absurdamente complexas para quem tem habilidade para isso. Com traje default vc já tem uma porrada de comandos para usar, e a medida que usa outros trages (trocáveis a qualquer instante) você habilita poderes especiais de cada um deles, acumulando 3 ao todo. E também tem 3 arvores de habilidades, que vão adicionando uma porrada de novos comandos com pontos de experiência. O traje o Iron-Spider, do Filme dos Vingadores Guerra Infinita por exemplo, tem aquelas patas metálicas de aranha. A jogabilidade como Peter Parker inclui investigação e resolução de puzles. O jogo é cheio de easter eggs e mochilas presas nas teias de quando o Parker era mais njovem. Tem muitos colecionáveis para pegar também. O jogo é de "mundo aberto" e você tem a liberdade total por optar ou não por atender a um assalto por exemplo.
  12. 4 points
    Anthem é um daqueles projetos que já começa inchado e já vimos tantas vezes isso acontecer na indústria que não vai ser novidade pra ninguém quando o jogo flopar forte e a Bioware for pro saco. Lacração. Agora tudo tem essa palhaçada de inclusão forçada. Por mim poderiam remover toda essa parte sexual desses jogos. Recurso inútil. Videogame e sexo não tem nada a ver.
  13. 4 points
    Deve ser sensacional. Agora se eu não gostasse de super heroi eu nem entraria em tópicos assim. Na verdade eu não entendo muito bem pra q viver se não gosta de super herois??
  14. 4 points
  15. 4 points
    Parei aqui. LOL Mentira. Li tudo. Não acredito que esses putos acertaram a colcha de retalhos que é esse jogo. Pra mim é o pior FF da história e concorre, cabeça a cabeça, com FF13 e todo aquele lixo injogável que veio depois (13-2 e Lightning Returns)... Espero, sinceramente, que a Square dê uma guinada (que é como ela normalmente faz) e leve a franquia pra outros ares.
  16. 4 points
    Cheguei as 400 horas de Overwatch no Xone, sem contar o que já tenho no Playstation 4 também, jogo da geração <3
  17. 4 points
    Se vc aguenta os graficos de Mario 64, a versão de PC de Grandia 2 vai ser de boa. Enredo é legal, mas o gameplay é muito bom. Não jogou FFT? Agora eu não levarei mais nenhuma opinião sua sobre RPG a sério, larga todos esses lixos existentes e vai jogar o que importa
  18. 3 points
    brancos e nulos representam o xhamster e o xvideos respectivamente
  19. 3 points
    Terminei Spiderman, esse foi com direito a platina, segundo game que pego platina no Playstation 4, o outro havia sido Bloodborne, eu preciso gostar muito de um jogo para me dedicar a isso, eu achei o game do Homem Aranha o melhor jogo de herói de todos os tempos, ele não teve a importância de um Batman Arkham Asylum, mas é o game que mescla a nata da jogabilidade existente em outros games de forma primorosa. O game é lindo até mesmo no Playstation Vanilla, HDR dele é um espetáculo, todos já sabem de suas qualidade então não vou ficar repetindo o já falado, só vou fazer uma observação a respeito da Mari Jane, ela não é apenas um NPC que interagem com o Spiderman, fizeram um gameplay bem bacana com ela, um stealth vem muitas complicações que é uma delicia de se jogar, as missões secundárias são bem bacanas também. A cidade é super movimentada para um game de herói, lembra até um GTA, é um baita jogo e para mim está figurando entre os melhores do ano.
  20. 3 points
    Capcom está de parabéns nesta produção. Espero que seja sucesso e abra os olhos da "Team Ninja"dormindo no ponto sem Ninja Gaiden novo, e da "Platinum" perdendo dinheiro com Bayonella exclusivo.
  21. 3 points
    Pois é, minha esposa fez uma cara... Tô por volta do capítulo 7. Ontem mesmo tinha um anjo clonando a Bayonetta, daí ficou uma disputa de dança no solo, com closes e mais closes. No final a clona arreganha as pernas, um flare de luz verde sai da bayonetta do anjo-clone, enquanto ela passa a mão no capô do fusca... WTF Eu devo ter perdido a parte que o Michael e Trevor fazem algo assim em Los Santos... Quanto a desculpa, soa como "ir na Bubu só pela música", confere? huahuahauhauhau :-P
  22. 3 points
    Enfim zerei FFXV. Só falta o Comrades DLC, mas é online. é bem triste o tanto que esse jogo é decepcionante. Tirando a trilha sonora (que tanto faz tanto fez, por melhor que seja, podia ser nivel Chrono Trigger/Cross de memorável que não ia salvar o jogo), é TUDO muito defeituoso. Bom que valeu pra dar um gas de jogar algo bom de verdade pra limpar a alma.
  23. 3 points
    Eu que o diga! Se não fosse esse esquema da Blizzard de abrir o Overwatch pra jogar de graça em alguns períodos, eu jamais pensaria em comprá-lo. Testei e adorei o jogo. Vou comprar uma cópia pra mim e outra pra patroa pra jogarmos, e olha que o valor do jogo tá longe do valor que consideramos razoável pra se pagar em um jogo de pc, mesmo com 50% de desconto, hehe.
  24. 3 points
    Como é que vocês gostam desses jogos em que os inimigos ficam parados?
  25. 3 points
    O futuro de Diablo pra mim e voltar ao passado e reviver a Blizzard North que aquela BOSTA de Vivendi Universal matou. Jogar Diablo com rostinho e corpinho de Warcraft não dá. Quero PVP decente e um jogo que cultua o capiroto. Essa merda de Blizzard Irvine descaracterizou demais no 3, dando aquele toque teletubbies especial dos seus jogos.
×