Jump to content

Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 02/21/2019 in all areas

  1. 3 points
    Fui convidado para participar do Sextou Xbox de hoje a noite. Vamos jogar Anthem e Apex Legends ao vivo no canal do Xbox Brasil. O programa começa as 20:00. Não deixem de mandar um oi lá no chat! Os links pra acompanhar: 👉http://www.mixer.com/XboxBR 👉 http://www.facebook.com/XboxBR 👉 http://www.youtube.com/XboxBR 👉 http://www.twitch.com/XboxBR Valeu!
  2. 2 points
    Eu achei DMC5, de uma maneira geral, mais bonito que RE2R.
  3. 2 points
    Finalmente ganhei uma partida nesta desgraça!
  4. 2 points
    Vídeo voltou. Fair Use no cuzinho. Comprem brigas que podem ganhar seus parasitas. Façam a merda do trampo de vocês e tirem o zoião do que é nosso.
  5. 2 points
    Esse sim é uma pena se fechar as portas. Das lojas mais justas e consumer friendly que se tem. Vale uns 100 Epic store/windows store.
  6. 2 points
    Esse tipo de continha de 300:1 salario médio / "salario" do Bob kotick é de uma estupidez imensa. Coloca no mesmo balaio o dono da porra de empresa (Kotick da ultima vez que eu li tinha quase 25% da Activision Blizzard, uma empreseca de TRINTA E DOIS BILHÕES DE MARCAP) que recebe via opções e que tem infinitamente mais responsabilidade sobre o negocio com o peão que ganha salario e responsabilidade limitada ao cargo médio dele. E para finalizar, taca 300 funcionários médios a mais na empresa e manda o Kotick embora para ver se aquilo não quebra em 5 anos. Como diz codão, nego acha que fazem isso por amor.
  7. 2 points
    Discriminação eu também acho que não foi bem o caso. Foi como o LOP falou, botaram times desproporcionais pra jogarem. A humilhação também acho que foi pelo outro time ser mais fraco. Mas dá pra entender porque levaram pro lado da discriminação, porque as mulheres sofrem isso todo dia. Ou seja, os caras foram mais infelizes ainda por humilharem justo um time feminino. E Seele, você não entendeu ainda que esse tipo de bullying contra um time feminino vai sempre pesar muito mais que o bullying entre homens, simplesmente porque as mulheres sofrem discriminações diariamente de forma muito maior do que nós homens sofremos. A gente só não enxerga o peso que essas discriminações causam na vida das mulheres, porque não somos mulheres e não vivenciamos isso. E é por isso que muitos têm essa opinião de que o mundo tá chato, é tudo lacração etc. Mas quem é que reclama mais disso? Pasme, quem não é o alvo desses tipos de discriminações, no caso, nós homens, como você está fazendo.
  8. 2 points
    O que me deixa mais intrigado, é que esses animais que zoam a mulherada nos jogos são os mesmos que desejam namorar uma mina que joga, ou que se perguntam porque a mulherada é minoria no mundo dos jogos. Bem, a resposta está nessa matéria.
  9. 2 points
    Me corrijam se eu estiver errado, mas se no futebol um jogador resolve humilhar o outro time que está perdendo, brincando com a bola fazendo embaixadinhas, por exemplo, isso é considerado fair play ou não? Imagina um jogo entre o Brasil e o Camarões, por exemplo, e o Brasil começa a zombar dos jogadores do Camarões, julgando-os inferiores. Soaria mal, não? Sinceramente, humilhar os oponentes eu acho patético e típico de um péssimo esportista. Não sei se cabe punição pra isso, mas a reação negativa da comunidade foi mais que coerente.
  10. 2 points
    Como se não fosse punição o bastante jogar essa merda o cara é punido pela desenvolvedora por jogar o jogo.
  11. 1 point
    A Ys Net lançou um novo trailer para o Shenmue III na MAGIC 2019, apelidado de “Ryo and Master”. Shenmue III será lançado no PlayStation 4 e no PC em 27 de agosto. Assista ao trailer abaixo. Para mais novidades, fique ligado no vgBR. Post original em Shenmue III MAGIC 2019 trailer Leia matéria original no site, e comente!!!
  12. 1 point
    Já crackdown3 e mar de piratinhas nem pra jogar serve
  13. 1 point
    Tem essa aqui que achei a mais WTF do jogo todo
  14. 1 point
    Ontem fiquei jogando com Eek por mais de uma hora, ainda sem entender 20% do necessário, o que mais me prende no jogo é a jogabilidade gostosa, além de rápida te da muita liberdade, o estilo de jogo eu não curto muito, ainda mais sem saber a diferença da qualidade das armas e itens que somente com o tempo vou aprendendo, não curto ficar assistindo videos e nem fazendo tutoriais, prefiro sofrer mas aprender na pratica mesmo.
  15. 1 point
  16. 1 point
    Comecei Cosmic Star Heroine. Já fiquei impressionado em como implementaram tudo que sempre sonhei nesses jogos em termos de jogabilidade: 1) Se você morre em um boss, há um botão de retry e a luta simplesmente recomeça!!! Sem loading, sem ter que rever cutscenes, nada!!! É um sonho isso!!! 2) Você recupera todo seu HP depois das lutas. Não há aquela viadagem de ter que ficar contando Potions ou Mana pra se curar entre os combates. 3) Você pode salvar o jogo a qualquer momento!!! Sem viadagem de savepoint. O combate do jogo é beeem divertido e as músicas são simplesmente fantásticas!!! Até agora, o único problema do jogo são os gráficos. Precisava ser com pixels estourados?
  17. 1 point
    Passados mais de trinta anos desde o lançamento do Famicom, é possível afirmar que a distância entre o gamer oriental e o ocidental está cada vez menor. Eles aprenderam a gostar de jogos realistas e FPS, assim como nós abraçamos os RPGs e os jogos mais caricatos, frutos de mentes brilhantes como Hideo Kojima, Shigeru Miyamoto, Shigesato Itoi (Mother), Goichi Suda (Killer 7, No More Heroes) e tantos outros. Se hoje o mundo gamer está passando por um processo de miscigenação, nas décadas de 1980 e 1990 as escolas americanas e japonesas de game design claramente enxergavam os videogames de maneira bastante distinta. Um título que fazia muito sentido para nós, podia representar um fracasso de vendas para os japoneses, e vice-versa. A solução encontrada para resolver esse “problema” foi restringir alguns títulos de cruzarem os oceanos, ou adaptá-los para que se tornassem mais facilmente atraentes para outros públicos. Nesse caso, a opção mais rápida e barata era apenas trocar os sprites dos personagens e tudo certo: um jogo novinho, pronto para as prateleiras. Quem foi craque nesse processo, pelo menos por aqui no Brasil, foi a Tec Toy (hoje se escreve tudo junto, TecToy). A empresa brasileira fez diversas adaptações especiais para cativar o mercado interno, lançando títulos como Mônica no Castelo do Dragão (baseado em Wonder Boy in Monster Land), Geraldinho (personagem do cartunista Glauco, adaptado a partir de Teddy Boy) e outros. Que tal recordar com a gente dez clássicos que foram lançados em outros países com sprites, animações e até mesmo seus títulos trocados? Tem muita coisa boa na lista! 10. Super Mario Bros. 2 / Yume Kojo: Doki Doki Panic (NES/Famicom) Começamos pelo caso mais famoso de todos pra ajudar o véio leitor a entender as motivações das empresas por trás da manobra. Passado o sucesso estrondoso de Super Mario Bros., os japoneses logo receberam uma nova versão do título, mas com um nível de dificuldade ligeiramente superior. Imaginando que o público norte-americano não lidaria bem com o nível de desafio proposto, em vez de lançarem o jogo por aqui, trataram de adaptar uma versão de um outro título que nada tinha a ver com o original. Dessa forma, Yume Kojo: Doki Doki Panic teve seus quatro personagens originais (de origem árabe, bem no estilo Aladdin) trocados por Mario, Luigi, Toad e pela Princesa Toadstool. Os dois últimos, estreando como personagens jogáveis. Posteriormente, o Super Mario Bros. 2 do ocidente foi lançado nos EUA como Super Mario Bros. USA. Já o Super Mario Bros. 2 japonês, veio pra cá como Super Mario Bros. The Lost Levels, dentro da coletânea Super Mario All-Stars, do Super Nintendo. 9. Probotector / Contra III (SNES) A série Contra é considerada um dos clássicos do gênero Run and Gun, e ficou muito famosa nos arcades e consoles caseiros de todo o mundo. Mas o terceiro título da franquia, curiosamente, teve seu nome e sprites trocados no continente europeu. Probotector, como o jogo ficou conhecido por lá, trocou os personagens humanos pela dupla de robôs RG011 e RD008. Dessa forma, tanto as cenas in game quanto a introdução e o final do jogo tiveram que ser redesenhadas. Localizar os jogos na década de 90 na Europa era algo bastante difícil, já que cada país tinha suas próprias leis para lidar com certos temas. Na Alemanha, por exemplo, Contra foi barrado por ter personagens humanos atirando uns nos outros. Contra III, por acaso, não tinha nenhum inimigo humano, mas o jogo acabou renomeado e alterado para evitar problemas legais. Mais pra frente as leis nesse sentido se abrandaram e os europeus passaram a receber os jogos com o nome Contra, como no resto do mundo. 8. Turma da Mônica / Wonder Boy (Master System/Mega Drive) A heroína dentucinha dos quadrinhos brasileiros já foi citada na introdução, mas merece seu lugar de destaque por ter estrelado não apenas um, mas três jogos com sprites trocados. Em todas as três vezes, a série de origem foi Wonder Boy: Mônica no Castelo do Dragão / Wonder Boy in Monster Land (Master System); Turma da Mônica em O Resgate / Wonder Boy III: The Dragon’s Trap (Master System); Mônica na Terra dos Monstros / Wonder Boy in Monster World (Mega Drive). A série de jogos Wonder Boy mistura o clássico gênero de plataforma com algumas pitadas de RPG, permitindo que o personagem adquira novos equipamentos através do uso de moedas que caem dos inimigos. Até mesmo a espada do protagonista foi adaptada, transformando-se no fiel companheiro da Mônica, o coelho azul de pelúcia Sansão. 7. Black Belt / Hokuto no Ken (Master System) Publicado originalmente no Japão entre 1983 e 1988, Hokuto no Ken é um dos maiores ícones do gênero de luta dos mangás. Contudo, seu sucesso no ocidente foi tardio, razão pela qual a Sega decidiu adaptar o jogo para um roteiro mais genérico e, teoricamente, de fácil compreensão. Kenshiro, o protagonista do mangá, foi transformado no carateca Riki (que inclusive luta a caráter, vestindo um quimono e descalço). Sua missão é salvar a sua namorada das mãos do vilão Wang (Raoh, no original). Curiosamente, o mesmo fenômeno ocorreu com a adaptação do mangá para o Mega Drive: Hokuto no Ken – Shin Seikimatsu Kyūseishu Densetsu virou Last Battle, deixando de lado todo o roteiro da obra original. Pobre Kenshiro! (Abaixo, comparação entre Last Battle e Hokuto no Ken, feita pelo canal VC Decide) 6. Sapo Xulé vs Os Invasores do Brejo / Psycho Fox (Master System) Mais uma da Tec Toy! Dessa vez, com um rom hack de Psycho Fox, título de plataforma cheio de personalidade, mas que não fez muito sucesso por aqui. No original, você controla uma raposa que tem a capacidade de se transformar em outros animais, sendo que cada um deles tem uma habilidade diferente. O tigre é o mais ágil, o macaco salta alto e o hipopótamo é capaz de quebrar alguns blocos com sua força avantajada. O Sapinho do pé fedido ainda estrelou outros dois jogos, também via rom hack da Tec Toy: Sapo Xulé: S.O.S. Lagoa Poluída / Astro Warrior (Master System) Sapo Xulé – O Mestre do Kung Fu / Kung-Fu Kid (Master System) 5. Street Combat / Ranma ½: Chonai Gekitohen (SNES) A exemplo do item 7 dessa lista, Ranma ½ também sofreu do mal do “anime pouco conhecido”. Ou pelo menos, assim pensaram os seus produtores, ignorando que a obra máxima de Rumiko Takahashi sempre teve uma grande legião de fãs em todo o mundo, mesmo antes de a obra ser licenciada por aqui. Mesmo assim, o jogo foi adaptado para Street Combat, com o elenco reduzido a uma amálgama sem graça dos personagens de World Heroes, além de ter a trama toda descaracterizada. O Ranma na versão masculina virou Steve, enquanto a versão feminina virou… Steve, só que sem armadura. Enfim, uma piada de mau gosto. O que salva a nossa consciência é que esse não era o melhor jogo da série Ranma, já que Ranma ½ Hard Battle é muito mais divertido! 4. Dragon Power / Dragon Ball Shen Long no Nazo (Famicom) Dragon Ball Shen Long no Nazo foi o segundo jogo de Famicom baseado na franquia de Akira Toriyama e o primeiro jogo baseado na série a ser produzido e distribuído pela Bandai. Vejam bem, estamos falando do mangá de maior sucesso em toda a história, e mesmo assim nem ele foi capaz de escapar da implacável localização ocidental. No mercado americano, o jogo foi transformado em Dragon Power, com uma nova trama totalmente diferente da original, fugindo assim do licenciamento da franquia e dos personagens da série. Definitivamente, eram outros tempos… 3. Alex Kidd: High-Tech World / Anmitsu Hime: From Amakara Castle (Master System) Mais um jogo baseado em mangá que acabou transformado para vender mais. Aproveitando que o mascotinho da Sega estava em alta, decidiram lançar Princess Anmitsu por aqui como Alex Kidd, trocando os sprites e a trama. No fim das contas o jogo até conseguiu as vendas que queria, mas ajudou um pouco a queimar a imagem do pequeno herói radaxiano. O jogo não estava à altura de Miracle World e Shinobi World, outros jogos de Alex, apresentando fases em estilo RPG e outras em plataforma. Nenhuma delas merece destaque. 2. Universal Soldier / Turrican II (Multi) Outro run and gun de sucesso, mas que teve o azar de cruzar o caminho de Jean Claude Van Damme. Turrican II (Amiga, PC, Commodore 64) já estava pronto para ser portado para os consoles caseiros, quando alguém do staff da Accolade levantou a bola de transformar o título em uma adaptação do filme Soldado Universal. Se em Probotector tivemos os protagonistas humanos se transformando em robôs, aqui aconteceu o contrário: os robôs se transformaram em soldados fuzileiros navais, assim como alguns inimigos e chefes. Pior: em alguns casos os sprites sofreram ajustes de tamanho, mas as hit boxes, não. Pra fechar a tampa do caixão de bosta, três fases foram limadas do original e substituídas por outras piores, só pra amarrar a trama e deixá-la mais parecida com o filme. 1. Decap Attack / Magical Hat (Mega Drive) O sucessor espiritual de Psycho Fox, Magical Hat, também passou por uma metamorfose antes de ser lançado no ocidente. Baseado no anime de mesmo nome, lançado pelo Studio Pierrot, no original você controla um menino de turbante que precisa salvar o mundo do Jiark. Mas uma vez que a história não era conhecida fora do território japonês, a trama acabou sendo toda reestruturada para dar vida a Decap Attack, só que transformando toda a atmosfera colorida do título em algo muito mais macabro e sombrio. Afinal de contas, você agora controla Chuck D. Head, uma múmia que usa a própria cabeça como arma. Essa é uma das apropriações de engine mais bem feitas, já que a equipe de produção do jogo pelo menos se deu ao trabalho de redesenhar todos os cenários e inimigos, dando mesmo a impressão de que estamos diante de um outro jogo. Chega a ser louvável, além de ter feito bastante sucesso no ocidente. Fonte: Jogo Véio
  18. 1 point
    Melhor meme de Apex até agora heuehuehehe Estou com 92 horas de jogo amigos me ajudem!!!! Só faltam vencer com Bangalore e Pathfinder, já destravei Caustic e Mirage, estou com 60 kill de caustic e umas 15 de mirage (destravei ele ontem heuehueheueh Lvl 47, Caustic é meu main char to nem ae, seguido de Mirage, Lifeline e Wraith, e por ultimo Gibraltar, nem ligo pros outros, acho que vou pegar o battle pass, respawn merece meu dinheiro por ter me dado 90+ horas de diversão raiva e risadas
  19. 1 point
    Huahuahuahuah sim, se der pra chamar pra grupo esteja online que te chamo pro esquadrão Mas imagino que devo jogar com outros 2 convidados.
  20. 1 point
    Mas é isso que você não entendeu ainda. A humilhação em cima das mulheres pesa muita mais que em cima dos homens. Não é tudo igual como você tá pregando. Se fosse tudo igual, mulher não sofreria assédio o tempo todo nos jogos, assim como você mesmo disse em seu texto. No mínimo você foi contraditório. É a mesma coisa de você dizer que tem o mesmo peso um branco chamar um negro de "macaco", e um negro chamar um branco de "limão azedo". Não é o mesmo peso. Volto a dizer, só fala que é mimimi quem não vive isso.
  21. 1 point
    Só para constar o porque dos 5 bans em support não ser coisa de outro mundo, pelo menos no meu entendimento desse subjogo rs. Se eu li direito o imbróglio todo por ai, o Vaevictis demitiu todo o rooster no fim de janeiro (29/01) depois de uma temporada ruim e contratou como jogada de marketing 5 jogadoras randômicas, de um nível muito abaixo da competição, no fim de janeiro e que tinham seus main heroes como support. Só para dizer que a organização (Vaevictis) e a propria Riot tem um dedinho na historia por não coibir esse tipo de situação.
  22. 1 point
    Quando focam no bullying virtual com mulheres gamers (que termo bosta, mas fica mais fácil) é por causa do ARGUMENTO DELAS SEREM MULHERES, assim como bullying contra opção sexual, cor de pele ou etinia. Todo tipo de bullying é reprimido atualmente (um assunto super em voga e discutido em tudo quando é midia e grupos sociais) a suposta "segregação" é que homem não sofre bullying por ser homem, né? "Humilhação" de perder uma partida é COMPLETAMENTE DIFERENTE de ser desmerecido, seja pela habilidade, seja pelo sexo, opção sexual, cor de pele, etinia, etc. Ninguém ta falando de ser zuado entre amigos, na roda do fliper da esquina, na verdade o foco nem é zuação, mas o anti-jogo que ocorreu numa PARTIDA PROFISSIONAL. Dar forfait na partida não anula o anti-jogo, não é "só zuação". TODO ESPORTE PORFISSIONAL rola punição por isso, não tem porque ser diferente nos games. Se dão destaque para Outrubro Rosa, ÓTIMO, QUE DEEM CADA VEZ MAIS. Se quer mais destaque para uma prevenção ao cancer de próstata, brigue para ter mais, não ache uma coisa ruim uma propaganda forte e um enaltecimento do mesmo. Não é pq não dão destaque a um lado que o outro então deve igualmente ignorado, até pq existem milhões de motivos pelo qual um lado recebe mais foco q outro. Existe um reforço e sensibilidade grande a situações do tipo com mulheres pq desde que o mundo é mundo mulher passa por situações onde ela são tratadas como inferiores apenas por ser mulher. Hj em dia ta melhor? Com certeza, mas longe, MUITO longe do ideal. Tosca é a cultura de q homem tem que aguentar se não é fresco, reclamar e apelar é frescura DE MULHER. Concluindo, eu meio que concordo com o PSG e acho que a punição inserir uma suposta descriminação de gênero foi um pouco demais, já q não tem nada muito claro sobre essa motivação dos dois times russos.
  23. 1 point
    os problemas que você tem de segurança na uplay eu tenho parecido na epic, fora que a loja concorrer na base de exclusivo é horroroso para o mercado. Ja no uplay nunca tive problema também, mesmo sendo mais um launcher. A w10 store nem como loja funciona, a epic você pode ser hackeado ou ter seus dados na mão dos hackers chineses mas ao menos você compra a porra do negocio (mesmo que seja no boletão) e recebe. A winstore nem para isso serve. Eu fui comprar o gears 4 em promo umas semanas para trás. Resolvi comprar na windows store vamos dar uma chance para a loja... achar o jogo já é ruim (eles vendem coisa na loja em bundle que não é compativel com PC por ex.) achei... comprar... "um momento"... e la ficou por uma hora... dps disso insira suas credenciais.... e la esta até agora. Pensei comigo... beleza, DEU PAU NESSA PORRA, NORMAL EM QLQ INTERAÇÃO COM ESSA MERDA (ja tinha dado pau em tudo qto é demo que eu tentei). Vo comprar pelo nuuvem, estão vendendo key de w10 e está até mais barato... Comprei paguei, recebi a key para validar na loja. Entro na loja novamente, valido a key rapidinho, vou baixar... erro 0x80072f8f... tento de novo 0x80072f8f etc. Depois de 3 dias tentando baixar o negocio (ou seja la se foi o meu fds) e 50 paginas de solução depois, você descobre que a ms fodeu o todo o sistema de download na loja e do win update. A unica solução (que por um acaso não tinha nada a ver com o erro dado) era trocar o dns da conexão (que você só acha nos reddits da vida porque o negocio era recente). Beleza, domingo de noite coloco para baixar, CENTO E TRINTA E QUATRO GIGAS... deixei a madrugada baixando. Segunda cedo... "erro no download" e começou a baixar CENTO E TRINTA E QUATRO GIGAS DE NOVO no outro dia cedo. (e nisso o micro 2 dias direto ligado) Segunda a noite "terminou" de baixar e digo entre "" porque o download de alguma maneira mostrava 130 gb baixados com os outros 4 em aberto. De saco cheio que estava fechei e abri o app da loja e apareceu como instalado. E No fim das contas o jogo é uma bosta. E esse é o resumo da minha unica experiencia de compra com essa loja. Pensar que a ideia original da ms com o win10 era fazer um walled garden onde o SO so rodaria UWP...
  24. 1 point
  25. 1 point
    Creed 2 - BEM pior que o primeiro, porém, ainda achei legal.
×