Jump to content

Goro Daimon 7113

Membros
  • Content Count

    239
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    1

Goro Daimon 7113 last won the day on October 29 2018

Goro Daimon 7113 had the most liked content!

Community Reputation

39 Telejogo

About Goro Daimon 7113

  • Rank
    Robercleiton

Informações de Perfil

  • Sexo
    Masculino

Recent Profile Visitors

The recent visitors block is disabled and is not being shown to other users.

  1. Goro Daimon 7113

    Filmes

    Triste como isso ainda ganha oscar... Você gostou do filme?
  2. Goro Daimon 7113

    Filmes

    Viu 40 minutos? Imagine se gostasse...
  3. Goro Daimon 7113

    Os primeiros detalhes do PlayStation 5

  4. Goro Daimon 7113

    Espaço Flooder!!!

    Vou deixar um oco nesse tópico!
  5. Goro Daimon 7113

    Bolsonaristas.... Hora de virar a casaca?

    A Globo é a maior emissora de produtora de lixo e a mesma que faz aquelas novelas nojentas!
  6. ...Não que estejamos falando de força bruta, mas pra época, o Atari 2600 foi o 'vencedor' (digamos assim, sem considerar a rasteira que ele deu em todo mundo na área dos games e quase afundando a economia dos Estados Unidos, no famigerado Crash dos games de 1983, mas não vamos comentar isso) O caso é que, muita gente conheceu alguns jogos do Atari, sem saber até a quanto conseguiram forçar o videogame no seu limite ou ainda mais (como ocorrido com o Nintendo/Famicom e alguns outros videogames). Revirando a internet ao avesso, descobri alguns jogos que conseguiram tal feito, e irei explicar sobre isso: Pitfall 2 O primeiro dessa lista é um jogo que a grande maioria conseguiu conhecer apenas sua versão antiga, mas a sua continuação assusta e muito! Primeiro, quais requisitos ele consegue nesse hardware? Tamanho de cenário/jogo? Sim! Trilha sonora? Sim! E não estamos falando de BEEPS, BOOPS e BLARRRGHS não! É uma trilha sonora marcante, com variações em sua música tendo velocidade e tons diferentes, além de contar com 4 canais de audio ao mesmo tempo (mesmo se contarmos que um dos instrumentos é um 'toc' 'toc' nervoso!) Seu criador (David Crane) desenvolveu muitos jogos (A Boy and His Blob (NES) é um deles) e realmente arrancou suco de uva de pedra com o que fez em Pitfall 2! Esse cartucho conta com um chip processador, criado pelo David pra alcançar tal impressionante feito e, apesar de ter sido lançado para outros sistemas, essa é a versão mais marcante, devido a sua estupenda qualidade. Solaris Solaris é um jogo completamente atípico (entre termos) no Atari. Considerado como uma continuação do jogo Star Raiders (Atari - 1979) onde em sua primeira versão, a visão era em primeira pessoa. Em Solaris, é em terceira pessoa... Teve três nomes: O primeiro, chamado de 'Universe', foi para a época do seu desenvolvimento sendo alterado para 'The Last Starfighter' (O último guerreiro das estrelas) (sim, teria relação com o filme) pra tentar ser vendido juntamente com o lançamento do filme. Infelizmente seu projeto demorou aidna mais 2 anos pra se lançar, portanto só saiu como um dos últimos jogos do Atari! Mas.... ..... QUE JOGO!!! Impressionante por ter muitos detalhes e de ter uma resposta rápida com os controles, esse jogo é fácilmente confundível com jogos de plataformas mais avançadas da época. Em seu vasto mapa, são 16 quadrantes, cada um com 48 setores contando com um mapa tático para se chegar nas zonas afetadas pela guerra, cobrindo uma galáxia de aventuras. Sua missão básica é destruir os Zylons e resgatar humanos na sua luta pela galáxia. Ainda por cima, você pode (no caso, deve) viajar pelo hiperespaço para chegar nos outros quadrantes e SEMPRE olhar seu consumo de combustível, pois isso será um dos problemas a se enfrentar. Os inimigos incluem: naves piratas, naves mechanoid e as agressivas naves 'cobra'. Em cada cenário de batalha, terá pelo menos uma nave fragata inimiga que atira drones que roubam combustível! Ainda tem mais! O jogador pode descer em 3 tipos de planetas: Planetas da Federação, planetas controlados pelos Zylon e planetas 'corredores' inimigos, onde o jogador tem que dar suas chacoalhadas pra atravessar tais corredores lotados de inimigos. E olha que eu ainda não falei dos inimigos terrestres que incluem: guardiões estacionários, gliders, targeters e raides. E esse jogo conta com um final, já que, alcansando o planeta do mesmo nome do jogo, tem que salvar os reféns e acabar com tudo, o que faz disso o final dele. Tunnel Runner Esqueçam DOOM. Pra que citar Wolfenstein 3D? Esse realmente é das antigas! Alem de ter sido lançado em 1983, Tunnel Runner é o primeiro de 3 cartuchos lançados pela produtora CBS Electronics com uma expansão de memória de estonteantes 256 bytes extras no cartucho! Esse jogo tem dois modos: um modo campanha, onde as fases já são pré definidas e não tem alteração e um modo de construção randonômica para cada nível passado. No mapa que pode ser acessado, você, nos primeiros níveis, ainda consegue ver os inimigos, coisa que depois de passar alguns estágios, eles ficam invisíveis e daí... Mas, o que pode dar errado em uma grande ideia dessas? Bom.... Você NÃO ATIRA nos monstros. Basicamente você tem que chegar no final dos labirintos SEM CHEGAR PERTO de um infeliz desses! E, pra piorar a história, a medida que vai passando as fases, além dos bichos ficarem invisíveis no mapa, o esculacho do jogo vai ganhando velocidade. Fora isso, ainda tem o fator de que o jogo funciona (quase) em real time pois os monstros que não estão na tela, estão zanzando por lá! Então não existe um ponto fixo de onde eles ficarão.... Bom, como tudo que é bom, sempre deve ter alguma coisa de errado, ao se chegar em torno do nível 130 ele chega no seu final 'mignon' do Atari: ele congela...... Battlezone Até agora, o mais velho da lista dos bambambam, o jogo é considerado o primeiro jogo de realidade virtual (para arcade e no Atari). Você controla um tanque de guerra num combate mortal contra outras máquinas pesadas. A versão Atari, ao invés de utilizar a mesma tecnologia do arcade (wireframes), utilizou de gráficos em raster ao invés de vetores e conta com uma visão externa em terceira pessoa do tanque. Xenophobe Xenophobe (ou como se pronuncia... Zínofôbe) foi realmente um dos últimos jogos da segunda leva do Atari 2600 (a segunda leva veio após o lançamento do A7800). Com um roteiro chupado dos filmes da série Alien, o jogo só tem uma coisa ruim que é o fato de que não dá pra jogar os dois jogadores ao mesmo tempo (mas daí, acho que seria demais pedir isso...) O jogo não tem trilha sonora, mas os gráficos dele são impressionantes para tal sistema! Personagens coloridos (não no caso dos monstros), cenários bem detalhados... Ou seja, é um jogo impressionante pra se aproveitar do início até o final! Mas, foram só esses? Não. Muitos jogos conquistaram tal direito de serem chamados de 'estupradores de Ataris' mas citei apenas alguns no início. Com mais resultados de pesquisas, postarei mais!
  7. Um novo jogo indie chamado provisoriamente de “Project Genesis” está em desenvolvimento para o Mega Drive pelo estúdio argentino Bits Rule Games. O jogo é descrito no gênero de ação/plataforma inspirado em clássicos como Sonic, Ghouls n’ Ghosts e Mega Man. Poucas informações sobre o projeto – como narrativa, personagens, número de fases ou até se ganhará uma versão física – foram divulgadas até o momento, mas o estúdio promete que vai lançar uma demo em breve.
  8. Goro Daimon 7113

    Promoções de games. Postem, postem todas!!!!

    https://sempreupdate.com.br/hitman-2-de-graca-para-linux-no-steam-play/
  9. Se você gosta de jogos de navinha, um dos gêneros mais fortes do Mega Drive, então fique de olho em “Irena“, novo jogo indie em desenvolvimento pelo estúdio francês White Ninja Studio. O jogo já conta com uma narrativa que se passa em um mundo distante, onde uma nave transportando colonos para o planeta Laderia II é subitamente aprisionada por um poderoso campo magnético do exoplaneta Xellia, que até agora era desconhecido. A bordo de um pequeno caça stealth, o Rayden MG323, a Major Celina Pelinsky é enviada em uma missão para detectar e destruir a fonte desse campo magnético, além de lutar contra o terrível exército do Imperador Zerox, um ser maléfico com poderes misteriosos. O jogo, que está sendo feito do zero com uso do SGDK, conta com inspiração nos clássicos jogos de nave lançados durante a era 16 bits, com cinco tipos diferentes de armas e oito estágios. O estúdio espera em breve lançar uma demo e a expectativa de lançamento é para 2020. Fonte: Blog Tectoy
  10. Goro Daimon 7113

    Bolsonaristas.... Hora de virar a casaca?

    Já virei a casaca quando Bolsonaro apresentou a reforma da previdência faz séculos!
  11. Goro Daimon 7113

    O que você está jogando ultimamente?

    Tô jogando esse game maroto: Pokémon let's Go!
  12. Goro Daimon 7113

    O que você esta ouvindo?

    Achei essa massa!
  13. A Microsoft está desenvolvendo o MSIX, um novo formato de instalação de software para Windows que conta também com suporte para iOS, MacOS, Android, Linux e até versões mais antigas do Windows. O novo formato, segundo comunicado oficial da empresa, deve ser uma alternativa aos três existentes: EXE, MSI e AppX. O formato de pacote MSIX preserva a funcionalidade de pacotes de aplicativos existentes e/ou instala arquivos, além de permitir novos recursos de empacotamento e implantação para aplicativos Win32, WPF e WinForm. O formato MSIX possui características modernas. Além dos citados Win32, WPF e WinForm, ele retém a funcionalidade de pacotes de aplicativos existentes e/ou arquivos de instalação para migrar versões antigas. Da mesma forma, como já foi dito, suporta vários sistemas operacionais. Segundo a Microsoft, os pacotes MSIX são mais versáteis e independentes de plataforma. A ferramenta de pacote MSIX está disponível na Microsoft Store, com suporte nas versões mais recentes do Windows Insider. Instaladores do Windows A Microsoft tem muitos instaladores. Cada um com pontos fortes e fracos, porém basicamente para fazer o mesmo: empacotar os aplicativos que serão instalados no Windows usando instaladores. Para o usuário, parece simples. No entanto, esse arquivo que você verá com extensões como .exe ou .msi tem um trabalho desconhecido por trás dele. MSI Eles são melhores para instalações simples, especialmente sem supervisão. Eles usam uma interface gráfica de usuário que instala ou desinstala o programa sem extras ou opções. Em essência, este instalador é um conjunto compactado de arquivos do instalador que contém todos os dados necessários para o software. O processo de instalação não detectará se o software já existe ou se algum componente estiver faltando e poderá sobrescrever qualquer arquivo no caminho da instalação. Essa simplicidade permite instalações ‘autônomas’ por padrão. Elas são simples de criar e muito fáceis de implantar pelos administradores. Eles trabalham com qualquer versão do Windows. EXE Eles são mais conhecidos do público em geral. Mais versáteis que os instaladores MSI, eles também são mais complicados de criar e gerenciar devido a seus recursos adicionais. Este instalador pode incluir opções para idiomas, complementos, detectar instalações anteriores e outras funções. Os instaladores de EXE permitem a instalação de rotas customizadas e seleção dos componentes a serem instalados. Os desenvolvedores podem adicionar sua própria marca na interface do usuário, incorporar termos de serviço específicos do idioma ou apontar para uma página da Web para receber uma mensagem de boas-vindas. A instalação autônoma é mais complicado do que com o MSI, mas para uma operação de usuário é igualmente simples: você procura um meio (CD/DVD etc.) ou Internet, baixa o arquivo .exe, executa e instala o aplicativo. Eles trabalham com qualquer versão do Windows. AppX Eles são usados para empacotar aplicativos universais do Windows e compartilhar alguns dos benefícios dos instaladores MSI. Eles são instaladores simples e diretos, com poucas opções para o usuário final. Além disso, eles permitem um caminho de atualização mais simples de versões anteriores do software para versões mais recentes e permitem uma desinstalação mais limpa. Os instaladores do AppX dependem da tecnologia de contêineres. Portanto, eles são isolados do restante do sistema operacional para melhorar a segurança. Sua principal desvantagem é que eles só funcionam na Microsoft Store oficial e estão limitados ao Windows 10 na obsessão da Microsoft em promover este sistema. MSIX, o futuro Um formato de instalador como o AppX, limitado ao Windows 10 e a um formato específico, como o UWP, dificilmente é sustentável. Isso sem mencionar o fracasso da Microsoft Store. Os programadores apostaram cada vez mais no desenvolvimento em iOS, Android e Web, nessa ordem. Portanto, o Windows, hoje, está muito atrasado. Se, como é especulado, a Microsoft eliminar aplicativos Win32 no futuro a situação deve se complicar ainda mais. Um bom começo para tentar reverter esta tendência é o instalador do aplicativo. O MSIX combina os melhores recursos do MSI e do AppX. É um formato de empacotamento direto que os administradores do sistema podem programar para instalações “não supervisionadas”. Do ponto de vista do usuário, um MSIX é instalado como um arquivo MSI, mas dentro dele funciona como um arquivo AppX. Isolamento Com base na tecnologia de contêiner, esse formato é isolado do restante do sistema. Dessa forma, permite desinstalações e atualizações sem problemas . Quando você instala um programa usando MSI ou EXE, o programa pode fazer alterações no registro e criar arquivos e pastas em todo o sistema. Quando você os desinstala, geralmente há arquivos e chaves de registro que permanecem, deixando a bagunça no sistema. Com o MSIX, os programas são instalados em um contêiner. Então, todos os arquivos necessários permanecem dentro desse contêiner ou seguem regras precisas e previsíveis sobre onde esses arquivos podem estar (na pasta AppData, por exemplo). Quando você os desinstala, todos os dados acompanham o programa, não deixando qualquer confusão. Isso significa que seu sistema estará mais limpo no futuro. Compatibilidade com Linux e outras plataformas Outro ponto importante é que é possível distribuir o MSIX fora da Microsoft Store. Isso torna muito mais fácil pegar programas antigos e reempacotá-los sob o MSIX. E o mais importante. A Microsoft lançou um SDK para melhorar a compatibilidade entre plataformas. Como vemos na sua página do GitHub, o suporte é possível para iOS, MacOS, Android, Linux e até versões mais antigas do Windows. O processo é simples. Igualmente, os desenvolvedores colocam instruções especiais nos arquivos MSIX para permitir que você identifique o sistema operacional e as etapas a seguir. A ferramenta de criação do pacote MSIX Packaging Tool está disponível para o Windows 10 versão 1809 ou superior, incluindo versões Insider. Ao mesmo tempo, o projeto e o código-fonte estão hospedados no GitHub. A Microsoft ainda está ajustando os recursos prometidos para esse formato. Assim, ele não deve demorar a ser implantado. Para o usuário final não vai mudar muita coisa. Do mesmo modo, localize o MSIX no seu meio de distribuição ou faça o download da Internet e execute. No entanto, ainda é um instalador de software direto, o que significa que teremos que cuidar da segurança. Assim sendo, permanece o risco de instalar um programa fantástico, um programa lixo ou algo pior: malware. Como nos formatos anteriores, é necessário confiar na origem de onde baixamos esses tipos de arquivos. https://docs.microsoft.com/pt-br/windows/desktop/appxpkg/interfaces https://www.muycomputer.com/2019/02/12/msix/ https://sempreupdate.com.br/microsoft-cria-instalador-de-programas-compativel-com-linux/
×