Welcome to vgBR.com - Videogames Brasil

Registre-se agora para ter acesso a todos os benefícios do fórum, o registro é totalmente de graça e você poderá interagir com os usuários do fórum de forma mais ativa

Não perca tempo e cadastre-se agora mesmo, leva 2 minutinhos

Lockhart

Membros
  • Total de itens

    559
  • Registro em

  • Última visita

  • Time Online

    349d 22h 16m 38s

Reputação

398 Wii

Sobre Lockhart

  • Rank
    16 bits

Informações de Perfil

  • Sexo

Profile Fields

  • Xbox Live FelipeSGA

Últimos Visitantes

304 visualizações
  1. O jogo não tem nem nome oficial ainda ahaha kheychan está falando da demo, que praticamente todo mundo que tem um Switch e se interessa pelo jogo já terminou.
  2. Gone Home não é pra qualquer tipo de jogador, mas é espetacular. Só uma pequena correção, o preço dele também é 19.99 dólares. Faltou um retail comercial caro pra deixar a impressão que o preço da assinatura foi bem investido. A Gold caiu demais nos últimos meses, enquanto a Plus voltou a subir. Parece que combinam, incrível.
  3. Nesta gen eu me importo muito pouco com conquistas, na passada eu lembro que passei um ano inteiro tarado por platinas, mas não com intuito de competir, até porque eu mal tenho amigos gamers, a sensação era de colecionismo na verdade. Tinha um grande lado positivo, eu jogava muito mais os mesmos jogos, terminava 2x ou 3x, me obrigava a começar nas dificuldades mais altas etc. Agora eu priorizo quantidade, o que, por um lado, é ruim. Hoje eu só busco rejogar/platinar/buscar os 100% naqueles jogos marcantes e que continuam me divertindo demais, mas a maioria eu pego, jogo, termino, faço os extras que me interessam e já passo para o próximo. Acho conquistas muitos legais e só vejo vantagens, o problema é se a pessoa fica viciada e perde aquele que deveria ser o foco principal: diversão. Mas aí é um problema com o jogador e não com o sistema de conquistas.
  4. O grande problema da Vgchartz, especialmente nesta geração, é o mesmo da Chart-Track no Reino Unido ou da NPD no Japão: só contabilizam jogos físicos. No mercado de consoles os jogos digitais devem abocanhar pelo menos uns 30%. No PC então deve beirar 90%. Hoje em dia pra gente ter certeza quanto um jogo vendeu, ou se foi considerado um sucesso, só com o pronunciamento oficial da própria desenvolvedora ou publisher. Nintendo e Capcom sempre publicam números atualizados. A SE recentemente comunicou que enviou 2 milhões de Nier Automata e 6.5 milhões de FFXV. Infelizmente, hoje, números exatos só desse jeito.
  5. Ontem chegaram minhas cópias de Lacrimosa of Dana e Samus Returns. Tirando esses dois da lista só sobraram para este ano Cuphead, Super Mario Odyssey e Xenoblade Chronicles 2. 2018 com data ou janela de lançamento: Ni no Kuni II: Revenant Kingdom, Lost Sphear, Monster Hunter: World, Dissidia Final Fantasy NT e Yakuza 6: The Song of Life. 2018 sem data: God of War, Red Dead Redemption 2, Dragon Quest XI e The Last of Us 2. Sem data: Kingdom Hearts 3 e FFVII Remake.
  6. É meio que unânime que 2017 é um dos melhores de todos os tempos. E tem muita coisa foda ainda nesses últimos meses.
  7. The Legend of Zelda: A Link Between Worlds (3DS) Horizon Zero Dawn (PS4) 99 Vidas (PC) Owlboy (PC) Firewatch (PC) Gravity Rush Remastered (PS4) Resident Evil 7 (PS4) The Order 1886 (PS4) Lara Croft and The Temple of Osiris (PS4) The Legend of Zelda: Breath of the Wild (WiiU) Wonder Boy The Dragon´s Trap (Xone) Kingdom Hearts 0.2 BbS: Afragmentary Passage (PS4) RiME (Xone) Puyo Puyo Tetris (Switch) Persona 5 (PS4) ARMS (Switch) Gone Home (PC) Catherine (X360) Star Wars: The Force Unleashed II (X360) Parappa the Rapper 2 (PS2) Kirby Super Star Ultra (DS) Darkstalkers Chronicle: The Chaos Tower (PSP) Resogun (PSVita) Nier Automata (PS4) Velocity 2X (PSVita) What Remains of Edith Finch (PC) Life is Strange (Xone) Shantae and The Pirate´s Curse (Xone) Splatoon 2 (Switch) Sonic Mania (Xone) Nex Machina: Death Machine (PS4) Virtua Fighter 5: Final Showdown (X360) Tekken Tag Tournament 2 (X360) Mobile e Raspberry (nem conto): Old Man´s Journey (Mobile) Cobrança Falta Louco! (Mobile) Escondido Jogo pela Mãe I e II (Mobile) Zupapa! (NeoGeo) Final Fight One (GBA) Teenage Mutant Ninja Turtles: Turtles in Time (Arcade) Sunset Riders (Arcade) X-Men (Arcade) 1944: The Loop Master(Arcade) Cadillacs and Dinosaurs (Arcade) 1941: Counter Attack (Arcade) Garou: Mark of the Wolves (Neo Geo) Captain Comando (Arcade) 19XX: The War Against Destiny (Arcade) Mortal Kombat (Snes) Alien vs. Predator (Arcade) Alladin (Snes) Vampire Savior: The Lord of Vampire (Arcade) Battle Circuit (Arcade) Armored Warriors (Arcade) Adventures of Batman and Robin (SNES) Donkey Kong Country (Snes) Spin Master (NeoGeo) Mighty Morphin' Power Rangers: The Fighting Edition (Snes) Em progresso (jogando, não estão pausados): Yakuza 0 Mario + Rabbids Hellblade
  8. Gosto da política atual da MS, agora nos temos três propostas bem distintas no mercado. Nintendo sendo Nintendo, Sony ainda equilibrada e tradicional e uma MS 100% focada em serviços e comunidade. Ainda tem uma outra vantagem exclusiva para nós brasileiros: a Live BR é centenas de vezes melhor que a PSN BR. Continuo muito satisfeito com o meu. One X não me interessa por enquanto, assim como o PS4 Pro também não. Se eu não tivesse o One iria querer comprar um sim, como também vou querer um "true" next Xbox. Contudo, Xbox hoje é perfeitamente substituível por um PC, com exceção de alguns serviços exclusivos no console, mas facilmente compensados pela infinidade de recursos disponíveis num computador. Como eu prefiro plataformas dedicadas, o Xbox continua quase fundamental aqui em casa. Não é o meu console de jogos favorito, mas é o que eu mais uso como smart device.
  9. Comentei algo parecido recentemente em outro fórum. Jogo físico hoje só tem o apelo visual da coleção, a incerteza de que vai funcionar no futuro é a mesma da mídia digital. Talvez até menor, já que é mais fácil garantir a retrocompatibilidade apenas do jogo digital. Uma solução seria fazer backup de todos os updates que forem saindo. Prefiro evitar o esforço e aceitar que minhas lindas pilhas de jogos não são future proof.
  10. Já tentei ser master race duas vezes e não virou. O tipo de jogo que eu gosto normalmente é exclusivo de consoles. Até agora joguei 13 games deste ano de 2017, oito são exclusivos de consoles. Tenho meu PCzinho gamer modesto aqui para jogar os indies exclusivos e AAA "antigos" que eu deixei passar. Também uso a máquina para estudar, navegar na internet etc. Mas se eu investir pesado no PC estarei jogando dinheiro no lixo, pois, para a minha realidade, esse papo de "PC tem tudo" tá muito longe de ser verdade. Lista dos jogos de 2017 que joguei até agora, para não pagar de falastrão: Exclusivos nos consoles: Horizon, Breath of the Wild, Kingdom Hearts 2.8, Puyo Puyo Tetris, Nioh, Yakuza 0, Persona 5 e ARMS. Mults no PC: Nier, Resident Evil 7, Wonder Boy The Dragon´s Trap (quando eu terminei, era exclusivo consoles), RiME e Old Man´s Journey.
  11. Terminei Gone Home nesse final de semana. Rapidinho, uma sentada rápida é o suficiente, mesmo explorando bem. Demorou uns 40 minutinhos para engrenar (1/3 do jogo), diferente de Firewatch, que me fisgou desde o início. Gostei muito da experiência, gostei da história, mesmo sendo um "drama adolescente" - temática que normalmente não desce pra mim - mas neste jogo foi contada de uma forma muito adulta e convincente. Foi ótimo. Jogando ARMS também, terminei com todos os personagens e brinquei bastante no online, principalmente no modo Party. Agora vou jogar algumas partidas esporádicas no modo Ranked e terminar com os futuros personagens liberados gratuitamente. Me darei por satisfeito quando sair Splatoon 2. Acho que foi meio cagada da Nintendo lançar dois jogos como serviços tão próximos um do outro, por mais que sejam gêneros diferentes, a maioria do público é um só - "Nintendistas".
  12. Quero um PSP 2 ou um PS4 Switch. E que não cometam as mesmas cagadas que fizeram no Vita (cartão de memória exclusivo e caro, saves de jogos digitais atrelados ao próprio jogo, uploads de arquivos apenas para assinantes Plus, falta de apoio das desenvolvedoras internas, crise de identidade - foco em jogos portáteis simples ou AAA de bolso etc).
  13. Dropei o jogo, não curti muito o esquema de desenho, seja no tablet ou no analógico. Se for relançado com uma jogabilidade tradicional acho que encaro novamente. Sempre teve potencial, eu que sou chato pra cacete.
  14. Muito mais rs A Omega Force lançou uns cinco/seis musou do ano passado pra cá. Mas temática Nintendo só mesmo o Hyrule em 2014 e agora esse FE.
  15. Verdade, ein! Já passou um mês. Quero renovar a carteirinha.