Welcome to vgBR.com - Videogames Brasil

Registre-se agora para ter acesso a todos os benefícios do fórum, o registro é totalmente de graça e você poderá interagir com os usuários do fórum de forma mais ativa

Não perca tempo e cadastre-se agora mesmo, leva 2 minutinhos

 

Após o cadastro poste no tópico de boas vindas para poder ter seu cadastro liberado.

Fahack

Membros
  • Total de itens

    3.102
  • Registro em

  • Última visita

  • Time Online

    54d 8h 30m 49s

Reputação

1.008 Playstation 3

1 Seguidor

Sobre Fahack

  • Rank
    Esses romanos são loucos.
  • Data de Nascimento 22-02-1983

Informações de Perfil

  • Sexo Masculino
  • Localidade Brasília/DF

Métodos de Contato

  • Skype fabio.hackbart

Redes Sociais

  • Facebook https://www.facebook.com/fabio.hackbart

Últimos Visitantes

529 visualizações
  • ITA

  1. Ninguém tá dizendo isso (não eu, pelo menos :mua:). Claro que tem direito. Existe jogo velho ruim. Só tô dizendo que, se alguém quiser comparar um jogo velho com o jogo novo, tem que tentar inserir cada um no seu tempo. Acho perfeitamente possível que jogos que eram bons ontem sejam ruins hoje. Envelhecer mal não significa que o jogo não foi bom um dia, de acordo com os critérios da época. Lembrei daquelas apresentações de ginástica olímpica que, antigamente, eram super simples e nunca tirariam uma boa nota com os critérios de hoje, o que não quer dizer que não tenha sido uma boa apresentação naquele contexto. Mas também tem aqueles esportes que já estão bem desenvolvidos há tanto tempo que o que é considerado uma boa performance varia muito pouco com o passar dos anos. Caso minha analogia não tenha funcionado, jogos de plataforma 2D já estão bem desenvolvidos há tanto tempo que é muito comum jogos antigos não perderem em quase nada pra jogos novos (Mario e Megaman são exemplos). O mesmo não aconteceu com jogos que exploram espaços 3D que, pela complexidade técnica, talvez tenham tido um caminho mais complicado para evoluir tecnicamente.
  2. Jogos velhos, ao menos do ponto de vista técnico, têm de ser analisados com os óculos da época. E o que a gente tem de mais próximo dos óculos da época é, infelizmente, a memória. Só porque pelos critérios de HOJE um jogo tá antiquado do ponto de vista técnico, não dá pra dizer que ele já era um lixo na época. É tipo dizer que um carro de 1979 é um lixo pq não vem com direção hidráulica, air bag e freio ABS.
  3. Pô, por muito tempo joguei, mas acabei largando. Vou voltar uma hora dessas pra ver se consigo sair do ourinho.
  4. Não é nem jumpscare cara, o bicho tá fora da minha linha de visão, mas viro a cara e ele tá ali do meu lado já dou um pulo. Sou afrescalhado mesmo aheuahe Bound joguei na versão normal mesmo, antes de comprar o VR. Experiência obrigatória pra qualquer um que se interessa minimamente por arte em video games.
  5. Eu também não entendi nada, mesmo dos filminhos. Mas vou esperar pra ter certeza de que o jogo é carregar gente nas costas de cá pra lá.
  6. Timespinner parece bem legal mesmo e devo jogar eventualmente. Mas tô há um tempão nos plataforma 2D/metroidvania (Celeste, Hollow Knight, Owlboy, Dandara - todos debulhados e recomendadíssimos, aliás) e queria dar um tempo do 2D/Pixel art/nostalgia. Crosscode não tem pra Switch =( ou PS4, mas vai ficar marcado pro futuro, valeu pelas dicas chapas. PSVR tem algumas experiências bacanas dessas teatrísticas, aquele Allumete é bem bonito. Tô em busca de uns jogos que não me dêem cagaço e que, de preferência, não me façam nausear. Comprei o Doom VR e não consigo jogar essa merda pq me assusto com os monstrengo, tenho medo mesmo. Terminei Superhot VR aos trancos e barrancos me assustando com um monte de polígono vermelho pra vc ter uma ideia.
  7. Não tem nem meia dúzia de trailer ainda, gente. Esperem um pouco mais pra criticar. Cruzes.
  8. Tô ainda procurando o que jogar depois de ter feito praticamente tudo em Hollow Knight, joia indie da geração. Saiu o novo DLC grátis, mas é boss rush e é difícil pra cacete, pra mim já tá bom Dei uma testada em I expect you to die, pra PSVR. Muito legal e não dá susto, o que é muito importante pra mim em jogos VR.
  9. Hehauhae mas que cara de pau dessa Sony
  10. Gameplay tá ótimo, dificuldade tá meio exagerada, se for me perguntar. Mas parece que vai ser um jogo de qualidade, muito diferente de dollynho inacabado number 9. Quanto à arte, o mega tá parecendo a versão amiibo/smash, num cel shading meio mal cozido. O único cenário do demo, fora uma partezinha ou outra, tá bem sem graça e repetitivo. As explosões, em compensação, tão maravilhosas. Eu gostava do caminho que a arte tava seguindo com o 7, Rockman & Forte e o 8, mas mesmo que a ideia tenha sido "modernizar" o visual do NES nesse megaman 11, não parece que colocaram muito esforço e parecem ter feito o mínimo aceitável mesmo.
  11. Olar amigos Última coisa que joguei foi megaman 11, esse demo aí. Não sei qual foi o debate por aqui, mas achei a arte preguiçosa.
  12. Nome: Furi Plataforma: PS4 Produtora: The Game Bakers Motivo pelo qual você curte o game: Recompensador como poucos. Desde o início vc já tem todas as habilidades de que precisa, só tem que aprender a usar. É muito legal, depois que vc zerou o jogo, arrasar em um minuto com aquele chefe que te deu uma trabalheira do cão no início. Alguma dica ou obervação importante: O jogo é só enfrentar chefes, assim como Shadow of the Colossus ou Titan Souls. Screenshots (umas 5 no máximo)
  13. Nesse meu tempo de abstinência de fórum, tb acabei Rise of the Tomb Rider e The Last Guardian. Quanto ao primeiro, sinto vergonha de quem teve a pachorra de comparar a Uncharted 4, mas enfim, curti o pouco que tem de sandbox. O segundo é muito bom em passar a experiência a que se propõe.
  14. Tá muito cabeça esse papo do tópico, não sei se consigo acompanhar.