Welcome to vgBR.com - Videogames Brasil

Registre-se agora para ter acesso a todos os benefícios do fórum, o registro é totalmente de graça e você poderá interagir com os usuários do fórum de forma mais ativa

Não perca tempo e cadastre-se agora mesmo, leva 2 minutinhos

Cerial

Membros
  • Total de itens

    37.692
  • Registro em

  • Última visita

  • Time Online

    77d 11h 23m 33s

Reputação

3.131 Xbox One

Sobre Cerial

  • Rank
    *gasp*
  • Data de Nascimento 10-06-1983

Informações de Perfil

  • Sexo Masculino

Últimos Visitantes

959 visualizações
  1. Qual o problema de W3? Que eu me lembre não tinha spam de inimigos não, só quando vc se movia pelo mapa (coisa que qualquer open world tem)
  2. Não demorou muito, decidi engavetar de vez. Eu gosto da série Farcry mas se tem uma coisa que me emputece demais é jogo open world que fica spammando inimigo sem que vc saia do lugar. Tava fazendo uma side mission de achar uns artefatos alienígenas em uma fazenda e já é uma parada chata naturalmente, fica muito pior com o jogo spammando redneck de espingarda. O cúmulo que me fez desligar o ps4 pra nunca mais abrir o jogo foi quando eu cheguei em um dos artefatos que tava escondido em um ninho no topo de um celeiro e uma desgraça de uma águia começou a me atacar. Quem são esses jogadores que curtem serem atacados 100% do tempo? O jogo tem um mapa sensacional, personagens e temática excelentes e tinha tudo pra ser espetacular, mas, pelo menos pra mim, não é divertido de jogar, então já deu.
  3. Investirei após terminar ou engavetar Farcry 5 chacpa Geovane
  4. Eu nem terminei o 3, mas acho que foi mais pela época em que joguei do que o jogo em si. Não era ruim, apesar de ter sido bem aquém ao 2. Esse ae eu nem peguei Que loucura cara. Os jogos menores que eu tô jogando tão sendo bem melhores do que os AAA - excetuando Nintendo, claro.
  5. Não tô com 4k E quanto a HZD, eu não entendi o jogo, na real...achei monótono e não peguei motivação. Mas a mesma coisa tava acontecendo com farcry 5, e hoje o jogo engatou. Esses open worlds requerem mais dedicação inicial do que um jogo de ação qualquer, mesmo Zelda: BOtW foi osso no primeiro momento, até entender a estrutura do jogo. O foda é que Zelda tem o crivo da Nintendo né, ai vale o investimento de tempo pq o retorno é garantido. Não é uma garantia que qualquer softhouse tem...
  6. Mano, eu só postei concordando com um chapa ae que Uncharted é chato e não consegui terminar U4 pq achei fraco, nego tá agindo como se eu tivesse criado uma petição no Avaaz exigindo da Naughty Dog meu dinheiro de volta ahahah Calma seus filhos da puta. É só um jogo, não arruinou meu orçamento do mês nem nada assim caralho. Rhazão, pega tua admiração e enfia no cu meu anjo, peguei o jogo sabendo que seria fraco sim pq o showcase gráfico dos anteriores valeu o tempo e o dinheiro. Mas em U4 não foi o caso e eu larguei a série, e boa. Eu compro uns 6 jogos por mês e geralmente tem no mínimo um nesse bolo que eu acabo não jogando mais de 1 hora, tô cada vez menos paciente pra jogos. Mês passado foi Horizon Zero Dawn, esse mês tá sendo Farcry 5, se pá mês que vem vai ser God of War. Saiam daqui com esse mimimi de "ui tem que pesquisar muito antes de comprar joguinho" seus veados do caralho
  7. Os 3 primeiros até valeram pelo showcase gráfico...O 4 não deu não. Também é bonitão mas não rolou. Não sei se o jogo é pior ou se eu que fiquei menos paciente ahahah Fiquei sabendo que saiu um outro depois do 4, não me dei nem ao trabalho de googlar. Aliás, tenho um squeeze de U4 aqui em casa, nunca usado, quem quiser é só pedir
  8. Mas quem disse que foi surpresa? Os outros foram fraquinhos também
  9. O pior nem é ser scriptado, até o script eu tô aceitando se for bem feito Mas então pq o jogo tem passagens infinitas de tiroteio se não é pra ter uma jogabilidade de shooter bem implementada? Ficassem só na exploração, puzzles e stealth então oras. O que a gente tá falando é que o jogo é fraco e vc tá respondendo com um "se quisesse que fosse bom, vá jogar Dark Souls"? Em um jogo de aventura até vai mas fora escalada, o que vc mais faz em U4 é tiroteio. O jogo tem que acertar no mínimo nas mecânicas de jogo principais que ele se propõe a ter... Antes fosse iluminação chapa, é falta de saco mermo Justamente por ser um jogo com muito menos tiroteio e mecânicas de jogo cagadas, e mais centrado no que a ND faz de bem feito (narrativa, personagens carismáticos, etc), TLoU é um jogo bem superior a U4.
  10. O mais lixento pra mim é o map design, que é algo que eu acho que muitas dessas devs de shooters não valorizam o suficiente. Gears of War foi uma série espetacular nisso, o map design te permitia jogar de diversas maneiras, o que valorizava ainda mais as armas. Uncharted não te permite fazer isso, a única maneira de se jogar é correndo pelo mapa feito um louco. Não rola nem de dar uma segurada atrás de uma cobertura pra reagrupar a estratégia pois mesmo que a cobertura resista (o que quase nunca acontece), voa tanta granada que vc não tem mais de 5 segundos antes de sair correndo de novo. Mas até vc ser visto né. Dali pra frente é só desgraça. E mesmo a parte stealth é lixeira demais, tem jogo com foco 0 em stealth que tem mecânica superior. Apesar do que eu falei ali atrás sobre Farcry 5, cuja compra eu ainda tô tentando justificar eu decidi não me esforçar mais pra gostar de jogos. Não tem necessidade, tem tanta coisa pra jogar que se um jogo não te diverte, o melhor a fazer é engavetar mesmo. Tô me divertindo mais rejogando Breath of the Wild do que jogando Uncharted 4 ou Farcry 5 pela primeira vez. Uma vez, lurkeando aqui no fórum, vi alguém (não lembro quem, mas era um desses malabaristas de jogo ruim aí) postando que Final Fantasy XV só fica realmente bom depois de terminar. Eu passei uma semana inteira rindo do conceito de um jogo que só engata depois que vc termina, é devoção demais pra algo que vc paga pra te divertir ahahah
  11. Eu ainda não terminei Uncharted 4, sempre que tento eu chego em uma parte de tiroteio e dá desgosto de viver. Nego atirando em vc de todo lado, incluindo verticalmente, granada voando de todo canto, vc não consegue nem se orientar pra bolar um gameplan de quem vc vai matar primeiro, enfim. Uma várzea de shooter. Peguei o Farcry 5 recentemente e realmente não tô entendendo o jogo. Eu gostei muito do 2 e do 3 mas pulei o 4 e o pré-histórico. O 5 não tem aquela pegada estratégica do 2 e 3, de vc analisar uma base e bolar uma estratégia antes de infiltrar e tomar a base. Na real, até agora (tô na parte em que vc tem que destruir a estátua do father) nem teve tomada de base. O jogo tem um feeling totalmente largado, e retirar o minimap foi definitivamente uma decisão cagada. O jogo é lindo e a história parece ser excelente mas a vontade de jogar é 0. Na real só não larguei ainda pq 60 euros pra jogar 90 minutos é sacanagem, tô realmente fazendo esforço pra gostar do jogo mas não tá rolando. E a rejogada de BoTW no switch continua. O jogo é ainda melhor de se jogar uma 2a vez, já que vc pula a frustração inicial de entender como o jogo funciona. Tô metendo todos os pontos em stamina e nada em life, conhecendo o padrão de ataque de todos os inimigos, dá pra matar quase tudo sem tomar dano. Tô com uns 40 shrines e peguei a van Ruta, a próxima vai ser a voadora. Peguei também snipperclips pra jogar com a namorada em coop. Jogamos umas 50 fases e no começo é divertido mas eventualmente o jogo fica formulaico: todo puzzle é a mesma coisa, um jogador corta o outro em formato de segurador de bola ou engrenagem ou algo assim. O jogo tem uma ótima idéia inicial mas faltou gás a longo prazo.
  12. Eu peguei a versão pra Android que é igual à do Steam e achei meio lixona, tem os mesmos filtros. A fonte também é diferente (o que não me incomodou tanto) e é widescreen, o que eu achei legal. Mas o jogo já bugou na hora de salvar o gato da menina no festival, então larguei. Peguei a versão pra DS (que tenho original mas nem sei onde meu DS foi parar) e meti no emulador mas ter que dividir a tela do fone em 2 é meio osso, ainda mais pq a 2a tela é quase inútil (mas não inútil o suficiente pra vc tirar ela no config). Acabei ficando com a rom original emulada no android mesmo ahahah É mas os tempos são outros, pixel art hoje em dia é um estilo, e que muita gente aprecia. E a intenção original do artista pode não ser a imagem pixelada em high res mas com certeza também não era isso: Além de outros problemas que uma solução preguiçosa como meter um filtro efeitinho on-off ( referência pra quem é das antigas) traz, como tiles que não conectam. Um bom recurso pra entender os problemas dessa monstruosidade ae: https://twitter.com/thatsmytrunks/status/968534796816343044 Mas mesmo que tenha quem prefira, pq não permitir que o jogador desligue o filtro?
  13. Olar chapas. Após um breve hiato do fórum, alguns updates do que eu joguei recentemente: - Mais PSVR: Quem achou ser fogo de palha se enganou, ainda jogo meu VR semanalmente e sempre tem o que jogar, tanto sozinho quanto co-op. Tem umas opções online também (Werewolves Within) mas eu ando meio que evitando online. - Comprei um Switch lindo. Não adianta, a Nintendo pode lançar um cocô com porta HDMI que vai valer a compra, pelo menos pros seus próprios jogos. - PS4 e 3DS continuam fiéis como sempre - Transformei meu Galaxy S8+ numa plataforma de retrogames móvel. Peguei um sn30 pro com smartphone clip (que é compatível com o Switch - o controle, não o clip) que é uma coisa linda: No Android dá pra emular qualquer coisa até Dreamcast de forma perfeita (NGC ainda dá uma engasgada). Sobre os jogos: Switch: - Mario Odyssey no Switch, jogo lindo. Tô na metade de New Donk City e tô achando o melhor Mario sem a palavra "Galaxy" no nome. A mecânica com o cappy é muito boa e os níveis sem time limit permitem uma exploração muito mais intensa, mas eu não sou muito fã de níveis verticais como o Wooded Kingdom (apesar de ter um tema excelente). - Recomecei Zelda: BoTW no Switch ontem. Depois de terminar o jogo com todos os shrines no Wii U, recomecei o que é provavelmente um dos melhores jogos de todos os tempos no Switch. - Mario Kart 8: Muito vs no GP com a namorada que cresceu jogando MK no N64. No começo ela jogava melhor do que eu mas agora a gente compete de igual pra igual. - Terminei recentemente o excelente The Sexy Brutale, um adventure/puzzler portado pro Switch. O port é bem meia boca e pena muito em termos de performance, com uns loadings chatos na transição de algumas áreas, mas a história, narrativa e resolução dos puzzles é sensacional. Não vou nem tentar explicar o conceito do jogo mas quem gosta de puzzles de aventura como Ghost Trick vai certamente amar esse jogo. O port pro Switch é lixento mas poder jogar on the go compensa, IMO. Pretendo ainda pegar Snipperclips (pra jogar em co-op) e talvez o Fire Emblem (só não peguei ainda por ser port do 3DS). PSVR: - The Invisible Hours: Também da Tequilaworks (co-criadora do The Sexy Brutale acima), esse jogo não é exatamente um jogo, mas mais uma experiência VR, mas uma experiência absurda pra quem gosta de exploração, enredo e narrativa espetaculares. Vc basicamente segue a história de 9 personagens em uma mansão. A história é baseada no assassinato de Nikola Tesla, e todos os personagens têm algum envolvimento no mistério, além de alguns segredos próprios. Ver a mesma cena do ponto de vista de 2 personagens diferentes no VR e reparar coisas que vc não reparou na primeira vez é algo espetacular. - Keep Talking and Nobody Explodes: O design desse jogo é espetacular. Uma pessoa joga dentro do VR, tendo que resolver puzzles pra desarmar uma bomba, e as outras consultam o manual de desarmamento na tela da tv. É sensacional de se jogar em co-op com amigos que gostam de puzzles. Saber inglês ajuda já que alguns puzzles usam palavras em inglês, e o manual de desarmamento em si é em inglês. Algumas bombas são bem difíceis e os puzzles são dedicados a foder com a comunicação entre o pobre coitado no VR e as pessoas consultando o manual. - Skyrim VR: Esse eu joguei só umas 3 horas. A imersão do VR no jogo é espetacular, mas no fim das contas, ainda é o mesmo Skyrim que eu já joguei umas 3 vezes ahahah...joguei um pouco mas a imersão do VR não vale recomeçar Skyrim do 0. - Superbad: Esse jogo é a experiência VR pura mais legal que eu joguei até agora. Vc joga como basicamente um ninja colocado em situações de perigo, contra 4, 5, 6 inimigos. O tempo no jogo só passa quando vc se move, o que permite uma badassery sem tamanho quando vc desvia de uma bala, pega uma garrafa e joga na cara do cara que atirou em vc. Pretendo pegar: Saiu um patch VR pro último Wipeout que aparentemente é o ápice de VR no momento. Não é meu tipo de jogo mas tô considerando seriamente pegar. Também tô interessado no The Inpatient, um thriller baseado em decisões, similar ao Until Dawn, mas sem adolescentes. PS4: - Dishonored 2: Death of the Outsider: Excelente DLC pra um excelente jogo. Excetuando a última meia hora na qual o jogo realmente fica arrastado, o DLC é sensacional. Vc joga como Billie Lurk, a pirata de Dishonored 2, com um set de poderes totalmente novo. O core do jogo é o mesmo: Decisões, stealth vs. assault, etc. Pra quem gostou de Dishonored 1 ou 2, não tem surpresa, jogão. - Peguei o Horizon Zero Dawn mas realmente não entendi o hype. Joguei umas 3 horas e larguei sem o menor interesse. Pretendo pegar Farcry 5, só não peguei pq Switch tá tomando todo meu tempo. Mobile: - Revivi toda a biblioteca do Dreamcast no meu Galaxy S8, mas fiquei espantado em como os jogos envelheceram mal. Rodei Shenmue quase perfeitamente mas o jogo é extremamente engasgado e clumsy, e a atmosfera não tem nem de longe o mesmo impacto da época. Dei uma brincada no Soul Reaver 2 mas a câmera de psx me incomodou bastante e acabei largando também. Acabei jogando mesmo só o Tony Hawk's Pro Skater 2, que continua impecável até hoje, e de vez em quando dou uma brincada no Ikaruga. - Terminei o Professor Layton and the Azran Legacy. Mais do mesmo que é sempre bem vindo. - Joguei o Phoenix Wright: Spirit of Justice, que é ótimo como todos os jogos da série. Se sair 50, eu jogo os 50. - Abandonei de vez o Layton Brothers no Android, o jogo é muito sem pé nem cabeça. Comecei o Katrielle and the Millionaire's Conspiracy (spin-off do Professor Layton), também no Android, e esse é no mesmo molde da série principal. Legal mas tem coisa muito melhor pra jogar em mobile no momento. - Comecei também o Ace Attourney Investigations 2, a sequência do spin off da série PW, com patch de tradução fanmade, no Drastic, emulador de DS pro Android. Tava levando até que bem mas Mario e Zelda no Switch tão tomando todo meu tempo no mobile. Com certeza tô esquecendo uma infinidade de coisa mas o bulk é isso. Beijos g@tos.
  14. É o que dá quando se invoca sem sequer sacrificar uma cabra. Macumba vegana tem seus problemas chapa
  15. Pera, tô atrasado demais?