Notícias

vgBR entrevista Michael Pachter

Entrevistamos o mais famoso analista da indústria de jogos e apresentador do programa Pach-Attack do site Gametrailers: Michael Pachter.

Na conversa falamos sobre DRM, preços, estimativas de vendas, jogos digitais e quem poderá ser o vencedor da próxima geração.

vgBR – Bem, antes de tudo, obrigado pela oportunidade e por ter tempo para responder a essas perguntas. Vamos começar?

O que você achou das mudanças repentinas anunciadas pela Microsoft para o Xbox One? Na E3 eles estavam mantendo-se firmes nas suas novas políticas de always on e DRM e quatro dias depois, tudo mudou. Você acha que foi um reflexo da reação dos consumidores ou há algo mais por trás disso?

Michael Pachter: As mudanças foram necessárias. Não há nenhuma razão para a Microsoft exigir que as pessoas estejam online. Se o serviço é desejável, as pessoas vão ligar e conectar-se, mas eles não têm que obrigar os usuários a fazê-lo. Eu acho que a reversão foi a coisa certa a fazer. Sim, eu acho que foi em resposta à reação do consumidor.

vgBR – Ainda em relação a essas mudanças, a maioria das pessoas está feliz com isso, mas alguns dizem que perdemos algumas potenciais boas ideias lá, como o pacote de família, por exemplo. Somos vencedores ou perdedores com toda esta mudança de cenário para o Xbox One?

Michael Pachter: Eu acho que nós somos vencedores com as novas políticas. Ter escolha é melhor do que nenhuma escolha, ponto.

vgBR – Como é que fica a Nintendo com o Wii U por 349 dólares e o PS4 custando apenas 50 dólares a mais? Será que eles cometeram um erro em não anunciar uma queda de preço na E3?

Michael Pachter: Eu acho que o Wii U é muito caro em relação ao PS4 para vender muito bem, mas ainda há muito tempo para a Nintendo reduzir o preço antes do lançamento do PS4.

vgBR – Sobre o preço do PS4. O que você pensa sobre? Você acha que a Sony está perdendo dinheiro com o console?

Michael Pachter: Eu acho que a Sony provavelmente está tendo um pequeno lucro no PS4 em US$ 399.

vgBR – Você ainda acha que teremos um crescimento nas vendas digitais para a próxima geração? Isso poderia reduzir a existência de mídias físicas para a geração sucessora Xbox One e PS4? Quando você acha que poderíamos ter uma geração sem mídias físicas?

Michael Pachter: Meu palpite é de que as vendas digitais serão uma parte muito pequena das vendas totais em 2014, mas vão crescer, talvez, 50% das vendas totais em 2023. É muito longe, mas é possível que a próxima geração de consoles (após PS4 e Xbox One) seja apenas digital. Mesmo assim eu tenho minhas dúvidas, porque muitos consumidores ainda vão querer uma opção de mídia física.

vgBR – Sabemos que ainda é cedo, mas se você tiver que apostar: Quem será o vencedor da próxima geração e por quê?

Michael Pachter: Atualmente a Sony está à frente da Microsoft, mas somente porque tem uma vantagem de preço de US$ 100. A Microsoft ainda não estabeleceu uma idéia de valor para os US$ 100 mais caros, e até que eles façam isso, é provável que o PS4 venda mais que o Xbox One.

vgBR – Com base em seu trabalho como analista do mercado de games, você tem alguma estimativa de números de vendas para os novos consoles no primeiro ano?

Michael Pachter: Meu melhor palpite é que o PS4 vai vender 12 milhões e o Xbox One vai vender 10 milhões.

vgBR – A Microsoft pretende lançar o Xbox One no Brasil por R$ 2.199. Isso é mais ou menos algo em torno de US$ 1.000. Jack Tretton da Sony, manifestou interesse para o PS4 vir ao nosso país por algo em torno de R$ 900, cerca de 50 a 100 dólares mais caro do que ele vai custar no lançamento dos EUA. Você sabe alguma coisa sobre o sistema tributário brasileiro? Tem idéia de como é confuso e dificulta a vinda de eletrônicos para o país? Você tem alguma opinião sobre isso?

Michael Pachter: Eu não sei nada sobre o sistema tributário no Brasil. Presumo que o governo quer tributar bens de luxo, mas não posso comentar a respeito, sobre se é um sistema justo.

vgBR – Você acha que agora que estamos vendo mais e mais títulos em Português e mais interesse por parte das empresas no Brasil e outros países em desenvolvimento (com mais conteúdo localizado, jogos dublados, etc…), poderíamos ter um novo PS2 ou Nintendo DS com mais de 150 milhões de consoles vendidos para uma plataforma ou é improvável?

Michael Pachter: É muito improvável que qualquer console vá vender 150 milhões, a preços de lançamento. No entanto, se eles forem subsidiados por prestadores de serviços de internet (bundles com as redes online), é possível que as vendas possam chegar a esses números.

vgBR – Mais uma vez gostaria de agradecer pelo seu tempo e por favor deixe uma mensagem para seus fãs do Brasil.

Michael Pachter: Agradeço todo o apoio que recebo de meus “fellow babies” no Brasil.

 pachter2

Átila Graef

Comentários(4)

  1. Avatar

    Conseguimos +1!
    Seria interessante ver mais da opinião dele com relação ao valor aqui no país, mas pelo jeito ele não conhece o nosso sistema de imposto ” Fator Brasil “.

  2. Avatar

    Dessa vez ele foi bem, mas bem mais pé no chão com as previsões. Gostei 🙂

  3. Avatar

    Gostaria de poder acreditar nas respostas de alguém sobre o futuro…
    Quanto às perguntas foram boas, de fato. Parabéns!

  4. Avatar

    Atila e a Konami com meu Contra? Pressiona eles ae 😀

Comentários