Análises

Análise – DOOM

10
Legado infernal
Se você quer uma experiência de tiro em primeira pessoa completa, com o melhor que o velho e novo tem a oferecer, jogue DOOM sem medo.

DOOM é o reboot da famosa franquia de FPS, foi desenvolvido pela ID Software publicado pela Bethesda. O game te coloca no papel de um soldado que vai enfrentar o inferno até cumprir seu destino. Mas será que essa nova versão faz jus ao legado da série? Venha conosco para sentir um pouco dessa sanguinolenta experiência.

A história

Se você é aquele tipo de jogador que adora uma experiência cinematográfica, com uma história bem contada, excelentes personagens, cenas bem atuadas e com excelentes linhas de dialogo saiba que DOOM não oferece nada disso.

Na verdade o game oferece uma experiência totalmente contrária a essa proposta. Todas as cutscenes, diálogos e blablabla são um pano de fundo para você: explodir, fuzilar, picotar, massacrar e esmirilhar, capetinhas e capirotos, das formas mais violentas e sanguinolentas possíveis. O enredo de DOOM nada mais é que um pano de fundo para muito gore, sangue e outras coisas que não são de Deus.

doom (5)

E de forma alguma isso é algo considerado ruim, pois com esse game a ID resgata muito bem o espírito do game original e traz de volta ao mercado, algo muito importante que havia sido perdido praticamente na totalidade dos shooters modernos.

Mesmo assim o game oferece um pouco de lore para quem quiser ler o CODEX, que vai oferecer muitas informações não trabalhadas durante o gameplay.

O jogo

É aqui que o sangue jorra, e jorra litros. DOOM é um jogo com foco 100% em gameplay. Gameplay oldschool com carinha moderna. Desde os tiroteios até a exploração, tudo é resgatado dos anos 90, repaginado para 2016 e realizado de forma absoluta. O jogo é rapido, dinâmico e visceral e quem curtiu Wolfenstein: The New Order, vai gostar ainda mais desde game.

Primeiro esqueça a limitação de duas arminhas chatas dos FPSs modernos; aqui você carrega um arsenal brutal e extremamente violento, um coisa maravilhosa se ver em ação. Cada tiro é um pedaço de glória, cada finalização é um novo acorde na guitarra e cada granada é a cena final de um filme de terror trash. Você anda com várias armas e todas elas matam com amor mas sem carinho. São 12s, metrancas, fuzis, pistolas, bazucas, armas de plasma, granadas e claro as maravilhosas BFG (Big Fucking Gun para os mais íntimos) que traça um caminho de vísceras por onde passa e uma moto-serra que jorra munição no chão e faz uma obra de arte na sua tela ao mesmo tempo.

DOOM_Chainsaw

Se você esperava andar numa linha reta matando soldadinho e recuperar HP atrás da pedra, sinto muito mas parafraseando a morte de GTA V, você: se fodeu. Aqui você tem direito a um Level Design primoroso e nada linear (só no começo pra te acostumar), fomentando seu coração explorador e premiando seus esforços com upgrades e pedaços do lore para quem curte ler arquivos. Além disso os inimigos e alguns pontos do mapa fornecem os itens que recuperam seu HP e recarregam seus escudos, um mix do moderno com um pouco de oldschool, mas sem um pingo do sistema de bate e assopra de todos jogos de tiro modernos.

Os mapas em DOOM estão enormes e devem ser explorados. Este é um dos pontos altos no game. Essa exploração se torna uma necessidade nos níveis mais difíceis, pois permitem evolução mais rápida no personagem. Muitos segredos serão encontrados pelos mais curiosos e o plataforming inserido no game ficou muito bom e dinâmico, sem ser frustrante.

doom6

Falando mais profundamente dos upgrades, que fazem parte da modernidade do game, existem 4 formas de progressão:

Nas armas: Você vai encontrar bots que fornecem funções extras as armas.

No upgrade das armas: Você ganha pontos no jogo por matar, explorar e por cumprir objetivos extras que vão melhorar as funções secundarias das armas.

Na armadura: Você encontrará chips que podem melhorar sua armadura.

No Personagem: Aqui você poderá ampliar as capacidades de sobrevivência do personagem.

O jogo oferece 4 níveis de dificuldade (5 se você for doente) e todos eles são bem balanceados. Para os mais experientes o Nightmare é uma boa pedida e vai dar trabalho, pode ficar bem tranquilo.

doom (10)

Em termos de mecânica e jogabilidade, DOOM é um abraço carinhoso da ID no mercado de games. Os tiroteios frenéticos, as armas deliciosas, o level design primoroso, a exploração fantástica, o plataforming funcional e a progressão, são todas mecânicas bem harmonizadas e muito bem trabalhadas e com isso eles definitivamente apagaram o gosto amargo deixado na boca dos fãs em DOOM 3, que muitos acreditaram fugir das raízes da série.

A experiência

Graficamente tudo é muito bonito, principalmente num belo PC. Roda fluido, belo e vermelho. A qualidade dos assets, a modelagem e a iluminação sobre os diversos materiais são coisas maravilhosas de se ver. Agora o show mesmo fica por conta das animações que estão MUITO boas, principalmente as de finalização, que fazem parte de algumas das melhores coisas criadas nos jogos.

Uma noticia muito boa é que todas as assistências e outros elementos na tela são completamente customizáveis e desligáveis. Desde o HUD até marcadores de objetivos podem ser eliminados trazendo ainda mais imersão.

DOOM_HellKnight1_730x411

Os sons e as musicas estão excelentes e servem muito bem seu proposito no game. Se nos combates tocam excelentes acordes de um metal pesado, na exploração os sons de sofrimento e agonia servem para dar aquela trancadinha característica da tensão.

A ambientação está soberba, você realmente se sente sozinho no meio do inferno e a pouca assistência que tem não serve para praticamente nada. O jogo trabalha com um sistema de enredo bem minimalista focando o jogador 100% na experiência de jogo, o que é excelente para quem gosta de jogos com mecânicas mais antigas.

O visual dos monstros e das armas também estão excelentes. Mesmo os demônios iguais as vezes são diferentes e nesse jogo existem muito tipos de inimigos o que favorece a dinâmica. Você nunca está matando o mesmo cara repetidamente.

O único “problema” que  encontrei no jogo foram os cenários que são muito parecidos, mas completamente compreensíveis por conta da ambientação. Sinceramente não é algo que atrapalhe a experiência, mas para quem gosta de visuais sempre diferenciados é algo a ser citado.

DOOM_Baronofhell_730x411

Online

Para quem estava com saudade de uma shooter frenético em formato arena, este com certeza é seu jogo. Em DOOM não há tempo para ficar parado ou tempo a ser perdido. Lembrando mais Quake, do que propriamente DOOM, o multiplayer online é muito frenético e pouco amistoso com aqueles que curtem camperar, já que aqui não é tão fácil mirar devido a velocidade dos personagens.

O jogo ainda oferece mecânicas online modernas como Loadouts, Power Ups e outras coisas mais que permitem o jogador progredir como é praxe dos FPS atuais, mas a forma que o game é jogado é completamente diferente, favorecendo os que conhecem os mapas e que são mais ligeiros na ação.

Uma coisa interessante é que a progressão não atrapalha a entrada de jogadores mais novos e isso balanceia muito bem as partidas online contra jogadores de níveis mais elevados.

doom (11)

Concretizando

DOOM é um FPS com veia na velha guarda e traz coisas a muito tempo esquecidas nas gerações mais novas e por isso é recomendado aos velhos e novos jogadores. Uma entrada triunfal com direito a um pisão no crânio de todas experiências single player em FPSs dessa geração e com certeza um dos melhores jogos do ano ou até um dos melhores jogos de tiro já criados.

Se você quer uma experiência de tiro em primeira pessoa completa, com o melhor que o velho e novo tem a oferecer, jogue DOOM sem medo.

Danilo Morim
Últimos posts por Danilo Morim (exibir todos)

Comentários(1)

  1. Avatar

    Ótimo review, Rhazo.
    Meu hype estava baixissimo depois do beta, agora vou dar uma chance a essa pérola.

Comentários