Análises

Flywrench – Análise

Desafio com mecânica interessante
Flywrench te desafia a progredir entre os planetas, com trilha sonora frenética e uma brincadeira com as cores e só, simples e desafiador.

Flywrench é um game indie de ação frenética desenvolvido e distribuído pela Messhof, lançado para Steam no PC.

Ultimamente temos vários indies que tem como proposta desafiar o jogador. O mais famoso que vem na minha mente agora é Super Meat Boy, onde passamos tela por tela vencendo obstáculos e morrendo centenas de milhares de vezes. Flywrench está no mesmo segmento e traz a mesma proposta mas com uma roupagem e ideias novas.

No game controlamos uma nave em torno dos planetas do nosso sistema solar, do último (Plutão) até o primeiro (Mercúrio) em um sistema de fases. Cada planeta tem um número determinado de pequenas fases de desafios e ao concluir passamos para o próximo planeta e assim por diante. O game tem uma visão isométrica onde nossa nave inicialmente branca viaja por um espaço pre-determinado por linhas amarelas, o objetivo é chegar no fim do percurso.

Parece simples mas a jogabilidade vai mostrando mecânicas novas e juntando-as até chegar em trechos absurdamente difíceis. A mecânica principal é baseada em cores: a nave branca passa por trechos brancos, porém quando “batemos asas” nossa nave oscila do branco para o vermelho. Não passando em trechos brancos nem em trechos vermelhos, segurando o botão de voo nossa nave vira um bloco vermelho que só faz cair e nesse momento transitamos em trechos vermelhos. É deveras complicado de explicar então vou deixar um vídeo onde mostro as mecânicas a seguir:

Ainda temos trechos verdes onde nossa nave se comporta de maneira acrobática e sai rebatendo em tudo, trechos rosas que devem ser unicamente evitados e assim por diante. A brincadeira com as cores e as mecânicas são fantásticas e o game requer uma habilidade e reflexos sem igual em determinados trechos parecendo impossível de progredir mas com persistência e paciência vamos nos adaptando até enfim passar. O game não contabiliza morte e nem pune o jogador por morrer. Morrer no game serve apenas para reiniciar o trecho e re-fazer, parecido o sistema de com Super Meat Boy como já foi citado.

Flywrench conta com 170 níveis no modo single, um modo online com trechos criados por jogadores onde você pode inclusive criar seus próprios trechos, um time trial (muito difícil por sinal) e duas dificuldades, o fácil e o normal. Vale citar que num game onde o desafio é a coisa mais atrativa o jogador deve cogitar jogar sempre no normal e sentir na pele o que os desenvolvedores planejaram para ele. No modo fácil o jogador vai poder encostar nas paredes amarelas, facilitando muito a experiência. No modo normal só pode encostar no que tiver a cor da nave, tornando tudo muito mais interessante e difícil.

Outro ponto forte no game é a trilha sonora, presente em todos momentos estão músicas compostas por DJs de música eletrônica, como DaedalusSweatson KlankMachinedrum. As músicas são frenéticas e ditam o ritmo da tela.

Os gráficos são inexistentes. Sua nave é um bloco branco e as paredes e trechos são linhas coloridas. O tema de fundo pode ser trocado mas não faz diferença alguma.

Assim como os gráficos, o enredo também é inexistente. Entre um planeta e outro vemos frases de pensadores famosos que são reflexivas e só, partimos para mais desafios e mais mortes. Flywrench progredindo de maneira a ficar mais difícil e esse é o atrativo principal. Se o jogador não simpatizar com isso nos primeiros dez minutos de gameplay, esse game simplesmente não é para ele.

Flywrench te desafia a progredir entre os planetas, com trilha sonora frenética e uma brincadeira com as cores e só, simples e desafiador.

Pontos Positivos

  • Desafiador
  • Mecânicas interessantes

Pontos Negativos

  • Carisma nenhum nos gráficos ou modelagem e isso pode fazer muitos jogadores sequer darem uma chance
Pedro Kakaz
Últimos posts por Pedro Kakaz (exibir todos)

Comentários