Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR | 16 de junho de 2019

Ir para o topo

Topo

Um Comentário

Hitman 2 – Análise

Hitman 2 – Análise
David Signorelli

Review

Nota
9
9

Stealth de qualidade

Hitman 2 é uma obra de arte dos jogos de stealth, com uma campanha enorme, gráficos excelentes e uma uma grande longevidade. Aqui temos um dos melhores jogos de 2018.

Seguindo os passos do reboot da série Hitman em 2016, a sequência Hitman 2 traz novidades muito interessantes, expandindo os conceitos já elaborados no original. O jogo foi lançado para PlayStation 4, Xbox One e PC.

Caso você tenha adquirido o Hitman anteriormente, é recomendado que compre a sequência na mesma plataforma para dar continuidade à caçada ao Shadow Client usando o mesmo game save. Com isso, vamos à análise!

HISTÓRIA PARA BOI DORMIR

Infelizmente os enredos na série Hitman não se destacam e aqui não é diferente. Hitman 2 dá continuidade aos eventos do primeiro game de forma direta com Agent 47 buscando pelo Shadow Client e principalmente evidenciando a luta do nosso protagonista pela sua identidade.

Pessoalmente achei a conclusão da história muito fraca e pra piorar as cenas de corte são todas em imagens estáticas, dando uma impressão que o time de desenvolvimento teve que trabalhar com um orçamento reduzido. Para não dizer que tudo está perdido, alguns alvos têm histórias interessantes e muito dela vai depender de quanto o jogador vai conseguir descobrir.

A natureza de jogo de Hitman 2 é bem aberta e os eventos não vão acontecer de mãos beijadas caso o jogador não se esforce para conseguir obter inteligência ou mesmo simplesmente prestar atenção nos nuances. Os alvos não vão ficar esperando que você vá lá e faça seu trabalho sujo, eles têm suas rotinas que influenciam diretamente no decorrer das missões.

UM PLAYGROUND FURTIVO

Cada missão em Hitman 2 se passa em uma localidade diferente, sempre com uma imensa variedade de ambientes e propostas. Os mapas são enormes, extremamente detalhados, cheios de NPCs e coisas para interagir, é praticamente impossível repetir os mesmos passos pois existe um fator de imprevisibilidade muito grande em Hitman 2.

Usando a segunda missão do jogo como exemplo; a que se passa em Miami e precisamos matar membros da família Knox, o cenário é um evento de corrida onde uma corrida de verdade é realizada, mas é praticamente como se fosse uma feira, com multidões, música e tudo que se pode imaginar.

Logo no início o Agent 47 é revistado para entrar no evento e pronto, a partir desse momento você está livre para agir da forma que quiser, podendo explorar cada canto dessa área, mas de preferência se você tiver o disfarce ideal.

Essa mecânica de disfarce que veio do original, está de volta em Hitman 2 e é mais importante do que nunca. Dificilmente você conseguirá chegar nos lugares de forma pacífica sem ter que assumir o papel de uma pessoa autorizada, fazendo com que os nossos alvos não sejam as únicas vítimas.

Continuando no evento, logo percebemos que é possível se misturar à multidão, permitindo escapar de alguns pequenos deslizes caso eles venham a acontecer, praticamente qualquer coisa estranha gera suspeita perante os NPCs e eles começam a desconfiar que algo está errado. Partindo do ponto de vista que nós entramos como um civil, fica menos provável que uma atitude suspeita parta de Agent 47, entretanto basta mudar o disfarce que a coisa muda da água pro vinho.

Logo no começo já consegui pegar o disfarce de um corredor (aqueles enormes macacões estilo F1), ao mesmo tempo que poderia se aproveitar de regalias como entrar nos pit boxes e áreas VIP, também não tinha liberdade de agir de forma estranha por motivos óbvios. Nessa parte que o jogo começa a ficar tenso, é necessário pensar muito antes de fazer qualquer coisa e olhar as câmeras de segurança se torna fundamental. Abuse do save!

Depois de muito sufoco cheguei em um prédio onde estava um dos meus alvos, mas ele por alguma razão ficava andando com seguranças e totalmente inquieto, só foi parar para demonstrar uma espécie de arma laser teleguiada. O mais incrível disso tudo é pensar que se eu tivesse matado ele antes de chegar nessa parte, eu nunca saberia dessa tal arma laser que estava sendo desenvolvida. A genialidade do design de fase de Hitman 2 é exatamente isso elevado à décima potência, desde o começo até o fim você fará parte de momentos de muita adrenalina e que vão lhe obrigar a usar a cabeça, pois apesar de poder encarnar o Rambo e sair disparando por aí, isso com certeza não o fará ir muito longe, Hitman é para se jogar de forma cautelosa, com muita paciência.

Liberdade como vimos aqui é algo muito raro nos jogos de hoje em dia e isso faz com que Hitman 2 seja um jogo com um fator de replay enorme, não somente pelos próprios desafios das missões, mas por disponibilizar algumas missões extras e até um modo co-op.

Sem mencionar que tendo o original, você poderá incorporá-lo ao Hitman 2 trazendo todas as melhorias da nova engine e alguns recursos para as missões antigas, eu pessoalmente rejoguei todas do 1 com as novidades que o 2 recebeu, uma sacada genial da empresa. Vale lembrar que os controles são excelentes, com um uso inteligente dos botões e o trabalho de câmera é sensacional.

MISSÃO CUMPRIDA

Com uma nova engine, Hitman 2 traz uma qualidade gráfica ainda melhor que o original, ainda mantendo fielmente o estilo de arte. Como mencionei anteriormente, nós podemos jogar as missões do Hitman aqui na sequência e sem sombra de dúvidas os gráficos ficaram ainda melhores, mas não sei porque resolveram mudar a tonalidade de algumas fases.

Sapienza tinha uma tonalidade de cor mais fria e agora está bem mais quente, eu pessoalmente acho que fez perder um pouco do tom que o estágio supostamente emitia. Paris notei algumas mudanças aqui e ali, mas num geral quase ninguém vai perceber essas alterações. Os novos cenários que impressionam de fato, tanto pelo visual ousado deles quanto pela complexidade, tem horas que não acreditava na quantidade de elementos visuais que os artistas colocaram em cada sala.

Como no original, o jogador tem a possibilidade de usar o HDR e pessoalmente achei que o desempenho dele ficou bem abaixo do que eu esperava, precisei regular muita coisa e não achei que valeu a pena, talvez em TV’s mais robustas seja bacana, mas na minha acabei optando por deixar em SDR mesmo. Como no original ainda contamos com uma opção de travar a taxa de quadros ou deixar destrancada, nessa última acaba acontecendo de ter oscilações e na minha opinião é a melhor alternativa.

Uma pena que as cenas de animação destoam tanto da qualidade do jogo em si, vamos ficar na torcida para melhorarem essa apresentação num eventual Hitman 3.

A parte sonora é incrível, dubladores excelentes e efeitos sonoros de dar inveja nos outros jogos, pena que musicalmente falando não tem muitas novidades, o tema do original retorna com alguns arranjos diferentes e as músicas nas partes de tensão continuam dando aquele frio na espinha como de praxe.

VEREDITO

Hitman 2 é uma obra de arte dos jogos de stealth, com uma campanha enorme, gráficos excelentes e uma uma grande longevidade, aqui temos um dos melhores jogos de 2018. Às vezes me perguntava porque ficava rejogando tantos as mesmas missões sem cansar… até que me liguei no quanto estava divertido explorar as infinitas possibilidades que o jogo me deu.

Os pequenos defeitos do jogo não desmerecem o fabuloso trabalho da equipe produtora e que venha mais Agent 47!

Pros

  • Missões bem estruturadas e estágios incríveis
  • Fator replay lá nas alturas
  • Gráficos que te colocam na pele de Agent 47

Cons

  • Musicalmente fraquinho
  • Cenas de animação muito pobres
  • História deixa a desejar
David Signorelli

David Signorelli

Amante de jogos japoneses, foi responsável por derrotar os Weapons de Final Fantasy VII que iriam afundar a Ilha da Rainha da Morte, conhecida como Florianópolis. Se arrepende disso até hoje.