Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR | 16 de junho de 2019

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

The Legend of Heroes: Trails of Cold Steel – Análise

The Legend of Heroes: Trails of Cold Steel – Análise
Fábio Kraft

Review

Nota
9
9

Uma das melhores séries de JRPG da atualidade

Trails of Cold Steel mostra que os JRPGs ainda tem muita relevância, com uma história rica em detalhes e um gameplay caprichado, a Falcom entregou um jogo que vale cada momento investido nele.

A série The Legend of Heroes é uma das mais tradicionais e antigas séries de jogos de RPG que data mais de 30 anos já, e contudo, ainda vive firme e forte trazendo jogos com excelentes enredos, personagens e música até os dias de hoje.

Desenvolvido pela Nihon Falcom, empresa responsável pelo clássico e aclamado RPG-Ação Y’s, e publicado pela XSEED, o primeiro game do arco Trails in Cold Steel vem desta vez com o subtitulo “Kai”, cujo qual é lançado para o PlayStation 4 com diversas melhorias e conteúdos extras sob o original que saiu anteriormente no PlayStation 3/ PSVita.

Trata-se de um RPG de turnos tradicional com toques modernos, o game possui 8 capítulos e levará aproximadamente 80-100 horas para conclui-lo.

Recheados com uma trilha sonora de primeiríssima que é de praxe da fenomenal JDK Band, mecânicas interessantes de um combate rápido e dinâmico, sub-eventos e quests, desenvolvendo cada um dos 7 integrantes que compõe sua equipe, Trails of Cold Steel é o início de uma experiência impar para os amantes do gênero.

Cada um dos personagens do game assume uma característica principal durante os combates, uns que possui um foco em força bruta, outros em agilidade para atrair o agro e esquivar de ataques, outros voltados para magia e suporte e também personagens mais balanceados.
Os mix-and-matches que você pode realizar durante cada circunstância do jogo é bem divertida e estimulante já que nenhum personagem é obsoleto, cada um deles tem uma importante função para exercer.

Seus membros de equipe contam com um acessório chamado ARCUS (parecido com o que tínhamos nos jogos anteriores para equiparmos as magias), no qual você pode se juntar a um par para desferir após o outro como um follow-up, ou contra-atacar ao se tornar alvo de um inimigo.

O ARCUS permite também que você equipe ORBs que servem vários propósitos durante as batalhas, como magias de ataque, melhoria de atributos, buffs e debuffs, etc. A medida que você avança na história, os slots do ARCUS podem ser habilitados a um custo altíssimo de fragmentos elementais que são obtidos no final das batalhas.

No game você acompanhará a história de Rean Schwarzer, um jovem estudante que acabará de ingressar na prestigiosa classe 7 da academia militar Thors.
Situados em uma região imperial, Rean e seus colegas irão realizar estudos de campo pelas mais variadas localidades de Erebonia, aprendendo novas táticas de combate auxiliados pelos elos de ARCUS, exploração e diplomacia, resolvendo pequenos e grandes conflitos políticos de uma grande guerra que está prestes a a estourar.

A versão que foi lançada para o PS4 é baseada na versão do PC, ela vai incluir uma resolução maior junto com uma melhoria no frame-rate para 60 quadros por segundo, dual-áudio com o original japonês, um atalho para acelerar o gameplay (algo como um frameskip), e também cerca de 5000+ linhas de áudio que não estavam presentes na versão crua anterior, talvez por limitações do hardware que antecede o Playstation 4.

Quem não está familiarizado com os games, Legend of Heroes começou a se popularizar com força aqui no ocidente com o lançamento do Trails in the Sky, originalmente para o PlayStation Portable e PC em meados de Junho/2004.

The Legend of Heroes Trails in the Sky na verdade trás o início de um arco na série na região de Liberl, que se estende por 9 jogos já lançados. Dentre eles estão Trails in the Sky 1, 2 e 3 (nomeados originalmente como Fist Chapter, Second Chapter e The 3rd), Trails in the Blue e Zero (somente na versão japonesa até agora), e Trails in Cold Steel 1, 2, 3 e o finale 4, sendo o 3 e o 4 lançados somente no Japão por em quanto no PlayStation 4.

Infelizmente alguns deles nunca vieram para nossas mãos (até agora), e os buracos na história acabam aparecendo aqui e ali, ao menos que você faça uma pesquisa legal em fóruns da internet ou jogue as traduções de fãs, talvez você acabe viajando um pouco nas nomenclaturas, nome de pessoas ou locais. Absolutamente nada que vai atrapalhar a diversão do jogo como um todo.

Trails of Cold Steel é um RPG com um background da lore e a história em geral muito rica e detalhada, quem vem acompanhando os games na ordem correta vai percebendo que ao término de cada evento mínimo que ocorre na jogatina, todos os NPCs vão mudar o que estão falando e geralmente comentando algo a respeito do que aconteceu por último, você nunca perceberá uma linha de texto muito boba sendo comentada por um dos personagens que vagam pelas cidades e vilarejos, tudo é muito bem pensado e escrito e isso gera uma vontade enorme de retornar a maioria dos lugares possiveis para ir acompanhando essas pequenas mudanças.

Essa versão está disponível na Steam também e é apenas mais um must-have para sua coleção de games.
Para quem curte jogar no PC, todos os jogos do Trails in the Sky estão disponíveis em belos gráficos e resolução HD também.

Pontos Fortes:

  • História legitimamente empolgante, traz a tona uma das melhores direções de enredo que já vi.
  • Combate rápido e com uma dificuldade legal
  • Quantidade enorme de surpresas mind-blowing nos eventos e músicas do game

Pontos Fracos:

  • Gráficos bonitos, porém tecnicamente fracos. Poderiam ter re-trabalhado nas texturas.
  • Impossibilidade de retornar para alguns lugares.
  • Missables a rodo, infelizmente.
Fábio Kraft

Fábio Kraft

Um jogador de RPG e amante de batalhas finais e odiador de joguetes bugados sem fim e com música tosca.