Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR | 23 de abril de 2019

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

Xenon Racer – Análise

Xenon Racer – Análise
David Signorelli

Review

Nota
8
8

Corrida Arcade 90s

Divertido, vários modos de jogo e uma longevidade legal. Uma bela homenagem ao tempo de ouro dos jogos de corrida Arcade feito para você que tinha saudade de corridas simples direto ao ponto.

Desenvolvido pelo estúdio italiano 3DClouds, Xenon Racer mostra de vez que o gênero de corrida futurista não está morto. A versão dessa análise é do PlayStation 4, mas o jogo também está disponível para Xbox One, Nintendo Switch e PC.

ANO DE 2030

Xenon Racer acontece durante o ano de 2030, onde veículos voadores são uma realidade (assim espero), mas por alguma razão decidiram realizar um campeonato com veículos terrestres (com rodas) movido a gás xenônio, explicando perfeitamente o nome desse jogo.

Ao iniciar Xenon Racer, já é possível ver que os desenvolvedores realmente se inspiraram nos clássicos de corrida de Arcades dos anos 90, com muitas cores na tela, músicas com batidas fortes e sempre indo direto ao ponto, sem enrolações. Essa objetividade toda foi uma das coisas que mais gostei em Xenon Racer, os menus têm explicações bem claras e todos os modos foram projetados de forma que o jogador possa aproveitar o jogo ao máximo.

O modo principal é o campeonato, onde disputamos uma série de corridas com trajetos já definidos e dificuldade progressiva. Fora ele o jogo também conta com modos de multiplayer local que roda que é uma maravilha, diversão garantida, Online, corridas contra o tempo e a garagem onde podemos customizar os mais loucos carros, podendo alterar praticamente tudo!

Parece simples, básico e no fim é isso mesmo, Xenon Racer traz de volta a simplicidade de outrora com foco na diversão, acertando na mosca.

DERRAPADAS COM ESTILO

Estamos quase prontos para correr; basta escolher seu modo favorito, seu carro espalhafatoso e vamos lá! Ao pisar no acelerador é normal ter uma sensação de que o veículo está mais pesado do que parece, custando um pouco para fazer as manobras e gerando uma certa frustração no jogador, ainda mais que provavelmente a pista escolhida será a de Tokyo que tem uma curva logo no começo do circuito que é um Deus nos acuda.

Depois de um certo tempo o jogador irá perceber que o botão de freio possibilita algo ousado, as derrapadas. Só de dar um pequeno toque no freio ao fazer uma curva, o carro já entra em modo de derrapada, lembrando muito os jogos mais recentes da série Ridge Racer, onde o jogador consegue manter o carro em estado de “drift” caso permaneça sob controle de deslizamento por toda a curva.

Essa manobra vai enchendo uma barra chamada ERS que nada mais é que um turbo de 3 níveis, sendo esse ativado quando o jogador desejar. E olha, a dificuldade de Xenon Racer é brutal, na versão 1.0 do jogo eu não consegui ganhar uma corrida sequer e isso na dificuldade mais baixa. Assim que saiu uma atualização eu acabei conseguindo dar uma boa avançada no modo campeonato, mas com muito sufoco… não sei se realmente teve um re-balanço na dificuldade ou se foi efeito placebo, o que importa é que aqui os adversários não vão te perdoar.

Os circuitos em si não são muito complexos, mas por culpa da velocidade atingida por esses veículos, quem conseguir prever as curvas com certeza vai conseguir uma boa vantagem, aqui a dificuldade lembra bastante o da série Wipeout, tanto pela velocidade em si quanto pela agressividade da IA.

LUZES E MAIS LUZES

Xenon Racer é um jogo bonito pacas, de muito bom gosto e com um uso incrível de cores. Esse jogo exala anos 90 por seus “poros digitais” e ainda sim mantendo uma identidade própria. Com circuitos bonitos, para quem gosta do modo Photo vai com certeza se deliciar aqui, eu mesmo tirei fotos incríveis, vale a pena experimentar.

Claro que não espere carros realistas aqui, são todos esquisitos e lotados de partes com pintura metálica, eu pessoalmente achei as criações bem legais, especialmente os carros que desbloqueamos mais pra frente.

Algo que me deixou meio decepcionado foi a taxa de quadros, no PlayStation 4 ele roda a 30 quadros e um jogo desses merecia 60, não é algo que incomoda muito ou deixa o jogo injogável, mas acho que no fim valia mais sacrificar um pouco de detalhes para tentar alcançar os 60.

SOM NA CAIXA DJ

A trilha sonora de Xenon Racer é essencialmente EDM, com todas aquelas modernidades das batidas atuais. Claro que gosto musical é algo bem particular, no entanto vejo que a escolha das faixas foi bem feliz, combinou com a proposta do título e vai deixar os jogadores ligadões durante as corridas.

Já os efeitos sonoros são bem básicos, trazendo nada demais para a experiência, o barulho de batida então… uma decepção só, não que eu procure bater meu carro, porém acaba sendo meio inevitável num jogo com velocidades alucinantes como Xenon Racer!

VEREDITO

Talvez não tenha sido proposital, mas esse jogo acabou sendo uma bela homenagem ao tempo de ouro dos jogos de corrida Arcade. Xenon Racer tem qualidade, é divertido, conta com modos de jogo bacanas e tem uma longevidade legal. Ele foi feito para você que tinha saudade de uma corrida simples sem aquelas lengas lengas dos jogos atuais, indo direto ao ponto.

E antes que eu me esqueça, eu nunca vi na minha vida um jogo com tanta opção de idiomas como Xenon Racer, deve ter uns 30 sem exageros, uma atenção muito legal de uma produtora que realmente pensou em tudo!

Nota:

Pros

  • Apesar de inicialmente parecer “pesado”, o controle dos carros é bem eficiente e preciso
  • Circuitos lindos, cores fortes
  • Modos de jogo no capricho, com uma excelente longevidade e diversão garantida

Cons

  • Dificuldade brutal pode afastar os menos insistentes
  • Trilha sonora pouco variada
  • Poderia ter mais circuitos, são poucos os que existem atualmente
David Signorelli

David Signorelli

Amante de jogos japoneses, foi responsável por derrotar os Weapons de Final Fantasy VII que iriam afundar a Ilha da Rainha da Morte, conhecida como Florianópolis. Se arrepende disso até hoje.