Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR | 19 de junho de 2019

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

Exposição Cultura Inglesa Festival apresenta o universo gamer

Exposição Cultura Inglesa Festival apresenta o universo gamer
Vitória Morais

A 23ª edição do Cultura Inglesa Festival apresenta mais uma exposição inédita. De 24 de maio a 16 de junho, no Centro Cultural São Paulo, a exposição imersiva “I, Game: Interpretar, Investigar, Imaginar”, convida os visitantes a brincar a partir de experiências lúdicas e interativas nas quais será possível conhecer a história, a riqueza e a inteligência existentes por trás do desenvolvimento dos videogames e sua influência na cultura pop.

A programação de games ainda conta com a mostra de cinema “Heróis Britânicos”, experimentação de jogos Xbox One e Playstion 4, workshops de “Game Design: A Prática de Fazer Jogos” e “Criação de Personagens Femininas”, e o debate “Panorama e Perspectivas do Mercado de Games”.

I, Game: Interpretar, Investigar, Imaginar

A exposição vem com a proposta de demonstrar como o atual momento dos videogames foi alcançado, como é criado esse mundo imaginário e a interação do indivíduo com esse universo. A exposição é dividida em três partes, inspiradas nas três relações que o indivíduo estabelece diante de cada jogo: Investigar, Interpretar e Imaginar. “Mais do que contar a história dos games, queremos falar também sobre o impacto do simples ato de jogar. Como o jogo nos causa efeitos e reações que não são percebidos, o que significa para o seu corpo e sua mente?”, revela Flávia. “Os videogames representam um mundo infinito de referências e conexões. Além de contextualizar a importância atual dos videogames, a exposição também reforça o impacto inestimável do Reino Unido na maneira como jogamos hoje em dia” complementa Pablo.

INVESTIGAR
game é um sistema composto por regras, objetivos definidos e interações, e todo jogo funciona como uma espécie de labirinto, um chamado para ser desvendado. Na seção Investigar, o visitante poderá entender como os games podem aprimorar nossa capacidade de encontrar caminhos, explorar soluções e resolver problemas.

Neste núcleo da exposição, são abordadas as várias dimensões que compõem os jogos: as diferentes plataformas e tipologias usadas nos jogos, uma linha do tempo com as interfaces e suas inovações, assim como a evolução gráfica e estética que influenciam a cultura pop e do entretenimento.

Dentro de uma linha do tempo que analisa a evolução tecnológica dos games, a exposição apresenta uma coleção histórica de controles que reúne desde os utilizados nos primeiros vídeogames até os consoles mais atuais. Outra seção vai proporcionar uma amostra clara sobre os tipos de plataformas e a evolução gráfica dos videogames, com uma seleção de 25 jogos britânicos clássicos, separados por ano de lançamento.

Jogos de Objetos Ocultos

Em uma instalação interativa, o universo de investigação, tradicional tanto nos jogos analógicos quanto digitais britânicos, será representado por uma grande tela em que o visitante será convidado a resolver a cena de um crime.

IMAGINAR
Jogar é imaginar e criar mundos. Na seção Imaginar, o visitante pode conhecer games de mundo aberto que dão asas à imaginação do jogador, descobrir e mergulhar nos  diferentes universos dos gamesbritânicos de exploração.

Uma experiência cerebral

Como o cérebro se comporta diante das mais diversas etapas de um jogo? Um dos destaques da exposição, a Experiência Cerebral é uma instalação inspirada no formato Arcade dos videogames dos anos 1980/90 e que mostra as reações do cérebro diante de cada estímulo.

Explorando a Sandbox

A imaginação é também um componente essencial dos jogos em estilo Sandbox, tipo de game em que o jogador pode modificar o mundo virtual de acordo com sua vontade, com liberdade e limitações mínimas. Por isso a exposição traz uma instalação interativa, com conteúdo de vídeo mapeado em que o público pode moldar um universo de areia, criando infinitas paisagens numa estética topográfica colorida.

INTERPRETAR
Interpretar um personagem é parte essencial do game, e torna o jogo um laboratório de misturas, escolhas e possibilidades de ser, revelando uma forma de escapismo e libertação da mente que poucas atividades conseguem provocar. Na seção Interpretar, o visitante é convidado a uma imersão completa no universo onírico dos games.

Nesta área, instalações permitem ao público vivenciar papéis e escolher caminhos, conhecendo melhor sobre o universo do Role-Playing Game e do Cosplay, em que o jogador é convidado a interpretar personagens inspirados em heróis clássicos britânicos como Sherlock Holmes, Lara Croft, James Bond, Tracer.

O Reino de Fadas

Desenvolvido especialmente pelo programador Rogério Gasi e pelo artista Renato Marsolla para o 23º Cultura Inglesa Festival, “O Reino de Fadas” é um jogo em estilo arcade e no qual o visitante toma decisões sobre o modo como os personagens agem, podendo assim, modificar o curso da história.

OUTRAS ATIVIDADES DO UNIVERSO GAMER

Além da exposição “I, Game: Interpretar, Investigar, Imaginar”, o 23º Cultura Inglesa Festival promove uma extensa programação de atividades paralelas que incluem mostras de cinema, oficinas, um debate e a degustação de jogos de diferentes consoles.

Mostra Heróis Britânicos

A mostra “Heróis Britânicos”, realizada em parceria com a Spcine, terá exibição de filmes clássicos com personagens britânicos que conectam o mundo dos games com o das telonas, em uma oportunidade única de conhecer ou rever estes filmes em uma sala de cinema. São 9 filmes com exibições entre 24 e 26 de maio no Centro Cultural São Paulo.

Na sexta-feira, o “Excalibur Day”, com três obras que trazem as clássicas lendas do Rei Arthur: Lancelot, o primeiro cavaleiro (1995)Rei Arthur (2004) e Rei Arthur – A lenda da espada (2017). No sábado, o “Lara Croft Day” apresenta três versões distintas de Lara Croft, a heroína britânica dos games: Lara Croft: Tomb Raider (2001)Lara Croft: Tomb Raider – A origem da vida” (2003) e Tomb Raider: A origem (2018). E no domingo, o Festival apresenta o “Detective Day”, com três filmes clássicos britânicos de detetive: O enigma da pirâmide (1985)Sherlock Holmes (2009) e Os 7 suspeitos (1985). A retirada gratuita de ingressos acontece a partir de meia hora antes da primeira sessão de cada dia – um ingresso por pessoa.

Experimentação de games

No final de semana dos dias 1 e 2 de junho e 8 e 9 de junho, no Piso Flávio de Carvalho, os visitantes poderão experimentar games icônicos. No local, a cada fim de semana quatro displays vão oferecer, gratuitamente, a possibilidade de conhecer diferentes jogos que marcaram a história dos videogames, dos consoles Xbox e Playstation. Os jogos estarão disponíveis das 10h às 18h, gratuitamente e por ordem de chegada. A classificação é livre.

 Xbox One

Nos dias 01 e 02 de junho o Xbox One ocupa o espaço com o clássico Banjo-Kazooie, do estúdio britânico Rare, e que completou 20 anos em 2018. Premiado e sucesso de crítica e público, com mais de 2 milhões de cópias vendidas nos Estados Unidos, o jogo é reconhecido por seus detalhes gráficos, som e intricado design de níveis.

O visitante também poderá dirigir pelas estradas britânicas em Forza Horizon 4, jogo de corrida que tem a Grã-Bretanha como cenário. Também será possível encarar a dificílima Premier League, o campeonato britânico de futebol, no Pro-Evolution Soccer 2019.

Playstation 4

Já nos dias 08 e 09 de junho é a vez do Playstation 4, os gramados britânicos ficam livres para quem quiser jogar a Premier League, desta vez no Fifa 2019 (Playstation 4)

Debate e workshops

No dia 15 de junho acontece o workshop de “Game Design: A Prática de Fazer Jogos”, das 14h às 16h, ministrada por André Asai, e que propõe uma vivência prática no fazer de jogos analógicos. Com foco no game design, os alunos vão aprender os elementos que compõem um jogo, como regras, mecânicas, temas e tipos de desafios, e como eles formam os diferentes formatos de jogos, como board gamesescape rooms, RPGs e videogames.

Ainda no sábado, dia 15, às 17h30, será realizado o debate “Panorama e Perspectivas do Mercado de Games”, com participação de Giulia Yamasaki, Thiago Adamo, Felipe Trezza, Fernando Chamis, Barbara Gutierrez. O curador Pablo Miyazawa será o mediador do debate, que vai trazer desenvolvedores de diferentes áreas da criação de games, além de representantes da indústria e da mídia especializada para discutir o panorama atual do mercado de jogos eletrônicos, o que interessa e engaja o público, e quais as perspectivas promissoras para desenvolvedores e para jovens interessados em seguir carreira na estimulante indústria dos games.

Já no dia 16 de junho acontece o workshop de “Criação de Personagens Femininas”, das 14h às 18h, ministrada por Flávia Gasi e Giulia Yamasaki, em que o público poderá debater sobre o que significa diversidade e como incorporar isso em suas personagens. Dividido em dois momentos, o workshop pretende expor as nuances da Jornada da Heroína e como ela pode ser aplicada para personagem diversas. Na segunda etapa, prática, serão formadas duplas com foco em ouvir e conhecer o outro, e elaborar um personagem a partir dessa troca.

Estamos muito contentes em receber o público do Cultura Inglesa Festival, que tem já muita afinidade com o CCSP. Achamos importante também reforçar a questão da participação feminina no universo gamer, que de fora pode ser percebido como um ambiente mais masculino. Empoderar garotas e incentivar a participação de mulheres em todos os lugares da cultura é uma das nossas missões por aqui, então faz todo o sentido que a gente incentive essa parte da programação também”, comenta Erika Palomino, nova diretora do Centro Cultural São Paulo.