Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

vgBR | 17 de agosto de 2019

Ir para o topo

Topo

Sem Comentários

SNK 40th Anniversary Collection – Análise

SNK 40th Anniversary Collection – Análise
Luiz Rafael
  • Em 22 de maio de 2019
  • https://www.vgbr.com/forum

Review

Nota
7
7

Para todos saudosistas

Coletânea da "Era de Ouro" da SNK, trazendo diversos games antigos e clássicos, além do material extra no museu. Porém não espere jogos como The King of Fighters nessa coletânea, essa não é a intenção desta vez.

Em tempos de moda retro, a SNK presenteia seus fãs com uma coleção um pouco diferente, dessa vez temos jogos da chamada Golden Age (Era Dourada) da empresa, que se passou entre os anos de 1978 até 1990 (embora o jogo mais antigo da coletânea seja de 1979). O SNK 40th Anniversary Collection está disponível para o  Nintendo Switch, Xbox One e PlayStation 4.

A coletânea é uma boa surpresa e uma ótima chance de jogar jogos clássicos como Ikari Warriors, POW (Prisioners of War), Prehistoric Isle, Psycho Soldier, entre outros. Porém não espere jogos como The King of Fighters nessa coletânea, essa não é a intenção, desta vez.

Abaixo as capas de todos os jogos, versão americana / mundial.

    
    
    
    
   

A SNK sempre teve sua maior força nos jogos de Arcade, e essa época ela era algo como a Sony hoje no mercado de videogames, sempre rivalizando com a Capcom e até com SEGA, ambas as empresas também tiveram sua era de ouro, basicamente no mesmo espaço de tempo.

A maior surpresa da coletânea, são os extras, onde existem propagandas de jogos, arte conceitual, newsletter de jogos da época, guias dos jogos para arcade, uma bela galeria de arte e curiosidades sobre os jogos da coletânea. Na galeria também temos o soundtrack de 14 jogos da coletânea de 24 jogos, infelizmente ficando alguns jogos de fora. Em alguns jogos as músicas eram praticamente ausentes, tendo mais enfase os efeitos sonoros dos mesmos, como tiros e outros já que em jogos de 1979 a tecnologia não era tão avançada para algo complexo, mesmo em MIDI além do espaço necessário para isso nas ROMs.

Para dar um exemplo, vamos ver algumas screenshots do jogo citado acima, ZmaWars que é de 1979.

Notem como é um jogo bem simples, nos moldes de Space Invaders que segue mais ou menos a mesma linha, não existia como as músicas serem complexas nessa época, motivo pelo qual você não você não vai encontrar as músicas desse jogo na galeria.

Mas continuando, existem sim bons jogos que marcaram toda uma época antes das placas mais modernas (como a MVS) e jogos como a saga The King of Fighters, ou anteriormente Fatal Fury e Art of Fighting, era uma época onde a empresa fazia imenso sucesso, principalmente no Japão, onde ainda hoje você encontra casas de Arcade (infelizmente mesmo lá não mais como antigamente, já que hoje os aparelhos de videogame focaram a empresas, e a maioria não produz mais para esse mercado)

Falando dos jogos, Ikari Warriors (presente em suas três versões na coletânea) foi o jogo que apresentou Ralf e Clark de The King of Fighters, para o mundo, é um jogo de guerra, do gênero Run and Gun (Corra e atire, um tipo de jogo com orientação vertical, aonde você pode atirar livremente, em um jogo aonde a rolagem é “para cima” diferente dos Side Scrollings horizontais, pode-se dizer que é um jogo de Scroll vertical (rolagem) já que a tela “rola” para cima.

Street Smart, é um jogo de luta, parecido com os atuais fighting games, mas com grandes diferenças dos atuais, como você enfrentar um inimigo sem saber se ele já está morrendo ou não (a unica coisa que indica isso é que ele começa a piscar em vermelho) e é super simples, com um botão de pulo, um de soco, outro de chute e um para esquivar para trás, apertando os botões de ataque você consegue golpes variados mas não tem controle sobre eles, podem sair em qualquer sequencia, a rasteira acontece quando você está bem perto e o sistema de agarrar é bem estranho, as vezes acontece quando você coloca pra frente e botão de chute, e na maioria das vezes você leva uma bordoada na cara tentando fazer isso, porque simplesmente não funciona, mas apesar dos inúmeros defeitos (frente aos jogos de hoje) não era difícil encontrar o Arcade e perder umas boas fichas nele, porque era o que existia até então, lançado em 1989 tinha como concorrente Street Fighter (a primeira versão, que não era exatamente de boa jogabilidade, lançado em 1987.) O auge desse tipo de jogo, Fighting e Beat’n Up aconteceu na década de 90.

Athena e Psycho Soldier, são jogos aonde Athena aparece pela primeira vez porém ao contrário do que se imagina, Athena Asamiya de The King of Fighters, é apenas baseada nela, não sendo a mesma personagemAthena Asamiya seria “descendente” da Athena original no caso, segundo informações encontradas na internet. É apenas uma curiosidade. O jogo foi lançado em 1986 é do gênero plataforma e conta a história da princesa Athena que, em um dia de tédio, desce até a base do castelo e “Abre a porta que não deveria ser aberta” e assim começam suas aventuras em uma terra chamada Fantasy Land, lar do Imperador Dante (originalidade não era o forte da SNK nessa época). Fez muito sucesso, gerando um sucessor e o jogo Psycho Soldier que diferentemente do seu antecessor, conta com a presença de Athena Asamiya e Sie Kensou, que depois ficaram mundialmente conhecidos em The King of Fighters, é claro!

Eu poderia me estender, mas a proposta desta análise é apresentar os jogos, comentar um pouco sobre alguns e deixar que vocês mesmos descubram e se divirtam com eles. 🙂

Prós

  • Possibilidade de jogar novamente e com facilidade diversos clássicos da SNK
  • A opção “rewind” é muito bem vinda em alguns jogos
  • Museu lotado de artes originais

Contras

  • Não existe opção de jogar online
Luiz Rafael

Luiz Rafael

Apaixonado por games antigos e retro, musica dos anos 80 e 90 e amante incondicional de Coca Cola.