NotíciasTecnologia

Esporte Grupo Globo publica mapeamento sobre universo gamer

Os games estão sob os olhares de todos. Seja no celular, em momento de lazer ou durante um campeonato mundial que reúne milhões de pessoas entre atletas e fãs. Diante desse mercado em constante crescimento, como o gamer é visto no Brasil e no mundo?

E como as mudanças nesse cenário vão definir o perfil dos jogadores? Para discutir esses e outros pontos, o Esporte Grupo Globo produziu um mapeamento, com base em outras pesquisas, sobre o universo em questão. “Além dos mitos: o perfil dos gamers no Brasil e no mundo”  pode ser acessado através do link.

O ponto de partida do material mostra que boa parte da população conectada é considerada gamer em algum nível. O mundo online e a facilidade em acessar aplicativos e versões de jogos para celulares e tablets, por exemplo, influencia diretamente o aumento do consumo desse produto.  Esses jogos, geralmente usados como passatempo descompromissado, são populares entre os ‘casual gamers’. Apesar de todas as características que os cercam, como jovens, populares e democráticos, ainda há uma questão a ser discutida que é a percepção negativa dos aficionados em games.

O estudo só eforça o quão importante é eliminarmos qualquer estereótipo em relação aos gamers. Algumas pessoas ainda têm aquela imagem antiga de que o gamer que joga com alta frequência tem dificuldade de socializar. Vemos exatamente o oposto disso: a socialização e formação de comunidades é muito natural e presente entre os heavy gamers, até porque, estar online potencializa isso. Além disso, é fundamental entender que cada jogo possui públicos e fãs de características diferentes, que gostam de jogar por diversos motivos.”, explica Marcelo Fernandes, gerente de inteligência de mercado de esportes.

O conteúdo publicado faz uma exposição do perfil dos jogadores atualmente. De acordo com o estudo, os gamers costumam ouvir que “isso é coisa de criança”, que são sedentários, e que só se interessam por assuntos relacionados aos jogos. Porém, o material mostra que eles também gostam de música, programas e séries e que a maioria pratica atividade física. A pesquisa ainda revela dados específicos de tempo usado nos jogos, faixa etária ligada aos perfis dos gamers e em qual tela eles preferem jogar.

Diante desse cenário, os eSports também ganham cada vez mais força e público. Definido pelo estudo como competições de jogos eletrônicos que acontecem de forma organizada, a modalidade tem suas especificidades, como regras, atletas e torneios. O Brasil é líder absoluto na América Latina e terceiro maior público de entusiastas de eSports no mundo, com 9,2 milhões de torcedores consumindo conteúdo profissional mais de uma vez por mês.

O conhecimento do consumidor é a base da nossa estratégia de criar um ecossistema com múltiplos projetos de eSports para conectar e engajar os gamers. Entender que não se trata de uma grande comunidade, mas de um universo com diferentes comunidades, que têm perfis e hábitos diferentes é fundamental para definir uma estratégia de conexão com esse público.  Com base nestes estudos estamos desenvolvendo parcerias e iniciativas para impulsionar a indústria, como os campeonatos escolares e universitários (JEE e TUES), a liga profissional CBCS, os eventos Prêmio eSports Brasil e Game XP, conteúdos proprietários como o reality show Looking for a Caster, o quadro Start, e o canal eSporTV.“, afirma Leandro Valentim, Head de Novos Negócios do Esporte do Grupo Globo.

Por fim, “Além dos mitos: o perfil dos gamers no Brasil e no mundo” define as diferentes modalidades de eSports, faz um comparativo com os fãs de futebol e reafirma que os eSports são, sim, uma modalidade esportiva.

Comentários