Análises

Life is Strange 2 – Análise

9
Uma história cheia de surpresas
Uma grande experiência, com história incrível, personagens carismáticos e muitas reviravoltas. Mesmo que não supere o primeiro game, ainda é uma ótima escolha para quem quer uma história emocionante e cheia de surpresas.

De vez em quando queremos apenas aquele game para acalmar os ânimos e apreciar uma ótima história e Life is Strange, de 2015, era uma ótima escolha, com uma incrível narrativa e personagens carismáticos. Porém, cinco anos depois de seu lançamento, Life is Strange 2 está completo, com os cinco episódios já disponíveis, mas será que ele é ao menos tão bom quanto seu antecessor?

O game está disponível para PlayStation 4, Xbox One, Microsoft Windows e Linux e a trama acompanha dois irmãos, Sean e Daniel Diaz, que vivem uma vida comum em Seattle. Contudo, após um desentendimento com o vizinho, Daniel acaba surtando e causa uma grande explosão, que acaba matando um polícial que estava fazendo uma vistoria de rotina. Após isso, Sean (o irmão mais velho) decide fugir para o México, onde poderiam viver em segurança, e longe da perseguição dos policiais, já que são vistos como criminosos, e seria difícil alguém entender a situação deles. Porém a jornada não é fácil, já que os irmãos encontrarão vários perigos, e ainda devem esconder os poderes telecinéticos de Daniel, para o bem de todos, mas principalmente dos dois.

A narrativa é simplesmente fantástica, e nos traz um turbilhão de emoções, já que em certos momentos estamos dando risada da situação, e em outros estamos tristes com algo inesperado que aconteceu. Falando em inesperado, a trama é cheia de reviravoltas, o que faz com que queiramos continuar a aventura para saber o que acontecerá a seguir com os irmãos Diaz. Nunca sabemos o que esperar, e isso é um charme do game.

Aqui são tratadas também várias polêmicas, como abandonos por parte de pais, preconceitos entre nacionalidades, ser culpado ou não de um crime, e muitas outras coisas, que querendo ou não fazem parte da nossa sociedade, assim nos fazendo refletir seriamente sobre o que realmente é certo ou errado.

Outro ponto muito positivo é a relação entre os “hermanos”, já que podemos ver como há aquela sensação de amor e cuidado entre os dois, porque sem isso não conseguiriam sobreviver nas circunstâncias em que se encontram. Conforme a história progride, e com suas escolhas, Daniel e Sean podem ir mudando a relação para melhor ou pior, e acredite, isso criará repercussões mais para frente.

Aqui temos uma perspectiva diferente do primeiro game, já que controlamos quem não possui nenhum poder, assim devendo guiar Daniel e fazê-lo melhorar suas habilidades, tomando cuidado para que nem todo mundo saia descobrindo.

Na jornada encontraremos também outras pessoas que poderão tanto ajudar quanto nos prejudicar, e isso fica bem claro com o tempo. Mas acredite, se um personagem secundário se torna algo a mais para a trama, mesmo o deixando e progredindo no caminho para o México, ainda teremos notícias ou menções dos mesmo, ou seja, eles não são simplesmente largados como se não existissem mais, algo que definitivamente é muito bom.

Cada episódio tem suas próprias particularidades, sendo cada um bem distinto dos outros, já que, como estamos em uma jornada do oeste dos Estados Unidos até o México, passaremos por diversos lugares e pelas situações mais diferentes e até estranhas possíveis, assim tornando a trama bem variada e sem cair na mesmice.

Neste game, as escolhas definitivamente são mais importantes do que em seu antecessor, já que aqui, de acordo com o que você vai decidindo no decorrer do game, podem haver variações no final, assim nos fazendo pensar duas vezes antes de escolher algo que pareça banal, mas que possa ter algum efeito tanto positivo, quanto negativo no futuro.

Se você jogou o primeiro game, com certeza notará as referências aqui, e acredite, não são simples “easter eggs”, já que são moldadas de uma maneira natural na narrativa, sem parecerem forçadas e sem sentido, e que acabam trazendo boas lembranças para quem já é fã. Há também uma certa ligação com “As Aventuras Iradas de Captain Spirit”, já que era uma espécie de prólogo para esse game. Mas não se preocupe, se você está começando na série por este aqui, você não ficará confuso, já que o game é independente dos demais citados.

Algo que continua incrível aqui são os gráficos, que são cartunescos mas muito lindos. Em vários momentos eu parava para admirar a beleza dos cenários e ver o nível de detalhes em tudo. Ainda sobre detalhes, boa parte dos lugares possuem várias interações que podem ser feitas para complementar ainda mais a história, e descobrirmos um pouco mais tanto sobre os irmãos, quanto sobre os demais personagens. As interações vão desde diálogos até objetos ou cartas que podem ser lidas, assim tornando a narrativa mais completa. E não podíamos deixar de falar da trilha sonora, que é impecável. Cada lugar reserva uma música que completa a situação, seja ela calma, nos momentos mais tranquilos, ou agitada, nos momentos mais tensos.

Porém o game tem seus problemas técnicos. A renderização em certos momentos é um tanto quanto demorada, e é possível ver os cenários sendo gerados. Mas algo que realmente incomoda é a inteligência artificial, já que nos atrapalha em certos momentos. Várias vezes enquanto eu estava interagindo com algo, Daniel botava a cabeça na frente da câmera e atrapalhava a visão, isso quando Sean não era empurrado por ele em alguns lugares, que se metia na frente do irmão por motivo nenhum.

Life is Strange 2 é uma grande experiência, com uma história incrível, personagens carismáticos e muitas reviravoltas. Conforme a trama progride, vamos querendo saber mais e mais sobre o futuro dos irmãos e onde eles irão parar nos próximos episódios. Cada momento nos passa uma emoção diferente, seja de paz ou de tristeza. E mesmo que não supere o primeiro game, ainda sim é uma ótima escolha para quem quer uma história emocionante e cheia de surpresas.

Pontos Positivos

  • História fascinante e muito bem desenvolvida
  • Personagens carismáticos
  • Ótimo desenvolvimento entre a relação dos irmãos Diaz
  • Cenários de cair o queixo
  • Boas referências a outros games
  • Trilha sonora fantástica

Pontos Negativos

  • Renderização é um tanto demorada às vezes
  • Inteligência artificial dos companheiros é um pouco falha.

Lucas Nunes
Últimos posts por Lucas Nunes (exibir todos)

Comentários