Notícias

Itamaraty patrocina jogos de impacto social

A primeira edição do Prêmio Itamaraty de Jogos de Impacto leva os três vencedores do concurso de start-ups “Pitch for Change”, sobre jogos e gamificação de impacto, para um giro europeu onde serão apresentados a investidores e parceiros.

Os projetos foram selecionados durante a São Paulo Play Week, em dezembro, em conjunto pela USP, pela Aceleradora Games for Change de Nova York e ABRAGAMES (Associação Brasileira da Indústria de Games).

O Prêmio foi disputado por 18 concorrentes. Inclusão e cidadania foram os eixos da maioria dos projetos e três deles foram escolhidos para representar o Brasil em um “roadshow” por Londres, Coventry, Glasgow, Paris e Berlim no final de fevereiro.

O anúncio dos projetos vencedores foi feito em dezembro por Bruno Imparato, do Departamento Cultural e Educacional do Ministério das Relações Exteriores. Foram selecionados projetos em três categorias. O game Fofuu, que auxilia na recuperação oral de crianças com distúrbios de fala, venceu na categoria Projeto (produto em fase de comercialização). Já os games One Dollar, cuja tônica é a presença mundial do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e os desafios que enfrenta em regiões de guerras e fome, e o E-studica, dedicado à acessibilidade de cadeirantes, conquistaram as categorias Protótipo e Ideia.

Para Mario Lapin, diretor da Associação Brasileira dos Desenvolvedores de Jogos Digitais – ABRAGAMES, que apoiou o “Pitch for Change”, “é uma honra ter a oportunidade de apoiar uma rede que já é consolidada no mundo para que ela também se fortaleça no Brasil. Que os nossos desenvolvedores se inspirem, se capacitem e consigam atingir o sucesso comercial e também social, o da mudança“.

Presença internacional

Outra presença importante na seleção de projetos foi a de Margaret Wallace, presidente da Games for Change Accelerator, de Nova York. “Quero agradecer a todos que demonstraram sua paixão pelo desenvolvimento de games. Fiquei realmente impressionada com tudo que vi e o que estão fazendo para mudar a sociedade com os games“. Ao final de sua fala, ela saudou os vencedores: “Nos vemos em Nova York!” Após a missão britânica e europeia, os vencedores apresentarão seus jogos no Festival Games for Change, em julho, nos EUA.

Para o professor Gilson Schwartz, da Escola de Comunicações e Artes (ECA) e da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), coordenador do grupo de pesquisa Cidade do Conhecimento da USP, responsável pela realização do “Pitch for Change” e criador do jogo “Purposyum”, premiado pela agência da ONU para drogas e crime (UNODC) e organizador do “roadshow” com apoio da CAPES e da USP, a iniciativa confirma a força dos brasileiros na economia criativa.

Segundo Schwartz, que há 10 anos organiza os festivais da Games for Change América Latina em São Paulo, “os melhores mercados são aqueles nos quais as pessoas, as empresas e os profissionais estão competindo, mas tem um nível de cooperação que cria oportunidades para todo mundo. O pitching foi isso, todos assistiram à apresentação de todos, já fizeram network entre eles e recebemos um apoio inédito do Itamaraty, que ajuda na internacionalização da produção dos criadores brasileiros“. Entusiasmado, ele completou: “Nossa prioridade é chegar ao mercado, especialmente o mercado internacional, conectando a academia, os criadores e todos os setores envolvidos na geração de emprego e renda na economia criativa brasileira“.

Além do Ministério das Relações Exteriores, a ação conta com recursos do Ministério da Educação (via bolsa CAPES de Professor Visitante Sênior no Instituto de Pesquisa em Artes e Humanidades do King´s College de Londres) e do Instituto de Iconomia.

Comentários