Análises

Bayonetta & Vanquish 10th Anniversary Bundle – Análise

9
2 Jogaços numa remasterização competente
Qualquer jogador de videogame que se preze precisa jogar esses jogos, são títulos divertidos demais e o valor agregado do pacote é excelente. O trabalho do remaster em si também ficou bem competente, não existe versão melhor desses jogos atualmente no mercado.

Há 10 anos a PlatinumGames lançou dois jogos que mexeram com os jogadores, principalmente aqueles fãs de muita ação frenética. Agora em 2020 eles fizeram 10 anos e para comemorar uma década de existência, aqui está Bayonetta & Vanquish 10th Anniversary Bundle.

A plataforma utilizada para essa análise é a de Xbox One S e tanto Bayonetta quanto Vanquish rodam a 60 quadros lisinho, com uma resolução de 1080p, dando uma qualidade de imagem bem superior ao original. Nada de muito relevante foi modificado nos títulos além desse tratamento estético, joguei bastante ambos os jogos em sua época e mesmo sem grandes novidades, poder re-jogá-los com essa qualidade é algo que vale a pena demais.

BAYONETTA

Sem sombra de dúvidas Bayonetta é um dos melhores jogos que joguei na vida. Sendo um hack ‘n slash na pegada de Devil May Cry, o título da PlatinumGames foi muito além de ser simplesmente um Dante de salto-alto. A protagonista que dá nome ao jogo é uma personagem fantástica, tanto em seu visual maluco quanto pela variedade de movimentos que ela consegue realizar.

A história é bem boba e só serve para justificar os absurdos que ocorrem. Justamente nesse departamento que destaco o único problema real do jogo que são as cutscenes. Diria que metade delas são tipo slide-show, com apenas cenas estáticas, sem animações, apesar de que tem trabalho de voz em todas elas. É um pouco irritante isso e mostra problemas de orçamento, ainda bem que no fim priorizaram o que realmente importa…

Bayonetta é um jogo extenso para seu gênero, possui muitas fases e garante diversão por um bom tempo. Agora coloca essa palavra diversão em evidência pois o combate nesse título é uma coisa de outro mundo. A nossa heroína carrega um arsenal de armas enorme, podendo equipá-las em qualquer um dos seus membros… por exemplo, que tal colocar uma bazuca em suas pernas? Não quero adentrar muito aqui para não estragar a surpresa, mas a quantidade de combinações possíveis, somada um controle perfeito, fará você pirar a cabeça.

O visual do jogo é surreal, com uma arte gótica e um pouco de film-noir, tudo em Bayonetta é algo que dificilmente foi visto antes. Os inimigos também merecem um destaque pois logo nos primeiros 3 minutos aparece um anjo bizarro que imediatamente me fez lembrar do bestiário insano da série de RPG Shin Megami Tensei.

Os fãs da SEGA de longa data vão perceber que durante a aventura, diversas músicas de jogos famosos da empresa tocam, indo desde música de Outrun, passando por After Burner e indo para Space Harrier. Além desses clássicos, o restante da trilha sonora é incrível, em especial as músicas dos chefes, mesmo 10 anos depois eu ainda continuo ouvindo a trilha de Bayonetta fora do jogo e amando. Quem fala que só tem remix de Fly Me to The Moon tá redondamente enganado!

Eu amo esse jogo, na época ele foi extremamente bem avaliado e agora essa é uma oportunidade de jogar sua melhor versão. Dance with me boys!

VANQUISH

No mesmo ano, não sei como, a PlatinumGames conseguiu emplacar outro jogaço, que apesar de não ter a mesma qualidade de Bayonetta, ainda é um título de respeito.

Neste jogo controlamos um cara chamado Sam Gideon, um agente da DARPA que possui uma armadura branca com recursos de realidade aumentada. A história aqui não tem nada demais, mas pelo menos todas as animações são de excelente qualidade, diferenciando um pouco daquela chatice das de Bayonetta.

Vanquish é essencialmente um TPS onde temos a possibilidade de ficar em cover como Gears of War ou Uncharted, porém aqui não é muito recomendado. Os ataques inimigos podem vir de qualquer direção, te obrigando a se movimentar constantemente, por sorte a tal armadura de Sam possui uma habilidade de deslizar em alta velocidade e durante esse movimento nós conseguimos atacar os adversários com um recurso de slow-motion, facilitando a precisão, algo que lembra o Witch Time de Bayonetta.

O jogo é frenético demais, não tem momento de descanso e isso faz de Vanquish um dos jogos que eu mais lamento de ser curto pois você vai ficar com um gostinho de quero mais. Dá para terminá-lo em umas 6-7 horas e apesar de ter missões extras, não é nada que prende o jogador.

Tecnicamente ele é impecável, os gráficos são lindos e tem tanto efeito na tela que nem parece um jogo da geração passada. Uma pena que musicalmente é ruim, não tem uma música que preste.

Vanquish merecia uma sequência, acima de tudo ele tem potencial e muita coisa bacana poderia ser expandida num futuro projeto, mesmo usando a mesma jogabilidade. Independentemente ele vai te divertir bastante, ainda mais se você for fã de jogos de tiro!

VEREDITO

Qualquer jogador de videogame que se preze precisa jogar esses jogos, são títulos divertidos demais e o valor agregado do pacote é excelente. O trabalho do remaster em si também ficou bem competente, não existe versão melhor desses jogos atualmente no mercado, então corra para garantir o seu!

Pontos Positivos

  • Remasterização de qualidade
  • A escolha dos jogos foi bem sacada, apesar de bem diferentes, ambos se completam
  • Bayonetta é maravilhoso
  • Vanquish é quase isso, mas excelente!

Pontos Negativos

  • Podia ter algum extra no pacote como algum documentário Making Of, galeria de artworks ou coisas do gênero

David Signorelli

Comentários