Análises

Warriors Orochi 4 Ultimate – Análise

Quando Warriors Orochi 4 foi lançado originalmente, a vgBR deu para ele nota 9, alegando ser rico em conteúdo e qualidade. Agora a Omega Force lançou uma versão definitiva do título, carregando consigo o título de Ultimate.

A versão da análise dessa versão é a de Nintendo Switch. Caso tenha interesse, aqui está o link para a análise da versão base do jogo.

BRISA ORIENTAL

Se tratando de história, pouca coisa mudou da versão original, novos cenários foram adicionados para complementar a história principal do jogo base(incluindo histórias como ‘O que aconteceu com o real Perseu?’, Um foco maior em Odin e por que Zhong Hui e vários humanos se uniram a Odin). Apesar de tampar alguns buracos, temos uma bagunça imensa e honestamente acho que ninguém realmente dá importância a história nesses jogos cross-over.

DESAFIO AO DESTINO

Tive a oportunidade de jogar diversos jogos estilo “Musou” durante minha jornada nesse hobby e com Warriors Orochi 4 Ultimate posso dizer sem pestanejar que é o melhor e mais completo jogo do gênero. Um gênero que ainda é visto com muito desdém pelo público que gosta de videogames, pois costumam achar que se trata de pancadaria desenfreada repetitiva… e em parte eles estão certos.

Os jogos “Musou” tem essa tendência de serem formulaicos e pouco variados, entretanto não poderíamos dizer o mesmo dos jogos clássicos de beat ‘n up? A ideia é muito parecida, porém em uma visão em 3D somados a diversos elementos estratégicos e RPG. Só nisso já é possível ver uma identidade própria atrelada ao gênero e que se você gostava de Streets of Rage ou Final Fight, existe uma chance real de você ficar viciado em jogos “Musou”.

Falando desse título propriamente dito, aqui temos mais de 170 personagens jogáveis, uma infinidade de armas para coletar e cada um dos guerreiros podem ter suas habilidades evoluídas individualmente. Durante os combates nós escolhemos 3 personagens controláveis e mais 4 de suporte, onde auxiliam de forma passiva com melhorias nos status base. Claro que não controlamos os 3 ao mesmo tempo, mas podemos alternar entre eles a qualquer momento, basta apertar um botão específico, dando possibilidades de combos praticamente infinitos.

Falando em infinito, a maior novidade de Ultimate é o Infinity Mode. Warriors Orochi 4 Ultimate recruta jogadores para enfrentar o Trial of Zeus nesse modo. Os guerreiros farão um grupo de três jogadores nesta aventura angustiante, enquanto tentam limpar os julgamentos das 12 torres, com masmorras representando cada signo do zodíaco(fãs de Cavaleiros do Zodíaco que nem eu piram). À medida que terminam cada tentativa, os jogadores ganham pontos de experiência, desbloqueiam personagens e fortalecem armas durante a batalha, com certeza uma das melhores maneiras de “grindar” em Ultimate e é divertido demais, porém só dá para encarar esse desafio depois de um certo episódio no capítulo 5!

E tudo isso podendo jogar de 2 jogadores, afinal, se uma das coisas mais legais dos beat n’ ups era o multi-jogador local, aqui não poderia ser diferente.

CREPÚSCULO DOS DEUSES

Com algumas modificações na interface geral do jogo, Ultimate não traz nada de novo na parte técnica. A versão dessa análise é a de Switch, como mencionei anteriormente e com infelizmente ele roda somente a 30 quadros, apesar de 60 quadros ser o ideal para um jogo intenso como esse, dá para se acostumar rapidinho.

Os loadings são curtos e em poucos instantes você já estará detonando centenas de milhares de soldados ao som de uma trilha sonora empolgante, no maior estilo heavy metal japonês maluco.

VEREDITO

Essa expansão fez de um jogo que já era excelente, ficar ainda melhor. Tanto para os que estão retornando ao campo de batalha quanto para os novatos, Warriors Orochi 4 Ultimate é o jogo definitivo do gênero.

Pontos Positivos

  • Mais conteúdo para um jogo lotado de coisas pra fazer? Ponto!
  • Ajustes bacanas na interface para uma jogatina mais ágil
  • Sistema de magias continua insano

Pontos Negativos

  • História boba demais
  • Podia ter uma variedade maior de músicas
  • O jogo não tem uma opção para ajuste de brilho e alguns cenários são muito escuros

David Signorelli

Comentários