Análises

Panzer Dragoon: Remake – Análise

8
Nostálgico
Apesar de alguns problemas técnicos o trabalho realizado foi bem feliz e trouxe uma nova luz para essa série que parecia esquecida

Se teve um jogo de Sega Saturn que me fez querer muito ter o console, esse jogo era o tal do Panzer Dragoon e sua sequência, Panzer Dragoon Zweii. Na época de lançamento de ambos eu não tinha acesso aos consoles de 32 bits e só babava nas fotos das revistas, mesmo sendo de uma qualidade baixíssima, já dava pra entender que o trabalho do Team Andromeda naquele hardware era algo especial.

Algum tempo depois tive a oportunidade de jogar esses 2 jogaços em uma locadora perto de casa e eu simplesmente não acreditava no que estava vendo, era bem melhor do que eu imaginava e a música… meu deus, que coisa mais linda. Só que é aquela velha história, locadora te dava o gostinho, mas nada como jogar em sua casa.

Mais alguns anos para frente consegui um Saturn, uma cópia japonesa de Panzer Dragoon e finalmente pude jogar ele inteiramente com calma. Gostei pacas do jogo, sempre fui fã desses jogos de tiro em trilhos e nem preciso dizer o quão feliz(e surpreso) fiquei quando soube que um lindo estúdio resolveu fazer um remake desse título.

EIS AS ASAS PRECIOSAS

Panzer Dragoon Remake foi desenvolvido pela MegaPixel Studio e sem sombra de dúvidas eles fizeram um excelente trabalho nesse remake, entretanto longe de ser perfeito.

O jogo inicia com uma longa introdução em CG que mostra exatamente o que o jogador precisa saber para entender do que se trata a história, vale a pena assistir pois é muito bem produzida e para os fãs do artista francês Moebius, é um prato cheio!

Em sua essência, pouco mudou no jogo. Continua tendo 6 fases e diferentes níveis de dificuldade para aumentar a longevidade da nossa aventura, porém é um produto de uma época onde os jogos não precisavam ser gigantes para serem memoráveis e por isso que eu achei que reviverem Panzer Dragoon foi uma excelente ideia.

Durante os 6 estágios nós controlamos um dragão que dispara raios laser e que com um apertar de botão permite girar em 360°, sendo essa uma das maiores novidades dentro desse gênero lá em 1995. No remake podemos usar dois tipos de controle, um tradicional que praticamente imita o original e um controle “moderno”, com mira no analógico direito, confesso que mesmo sendo meio purista, eu optei pelo uso do moderno por ser mais fácil controlar a mira, isso vai de cada um mesmo.

Falando em moderno, no presente momento ainda contamos apenas com a trilha sonora original(que é um espetáculo), mas posteriormente será lançado um patch com a versão orquestrada daquelas músicas lindas, ou seja, o que era bom vai ficar ainda melhor e vai me dar mais um motivo para jogar novamente.

Claro que não poderia falar desse remake sem mencionar o que mais foi refeito aqui, os gráficos. O trabalho do estúdio no visual ficou sensacional, logo na primeira fase você já observa que usaram bem os recursos do Nintendo Switch e conforme vamos avançando, várias técnicas pouco usadas nos jogos do console são vistos em grande escala em Panzer Dragoon. O jogo é tão bonito que não foram poucas vezes que usei o maravilhoso recurso Photo Mode para registrar momentos inesquecíveis.

Lógico que o ideal seria atingir os 60 quadros por segundo e honestamente tem momentos que o desempenho deixa bastante a desejar, mesmo comparando com o original e a falta de poder do Sega Saturn, realmente nem tudo são rosas.

O ESPÍRITO QUE PARTIU

Eu fiquei bem feliz com esse remake, admito que o fator nostalgia pesou bastante aqui, mas sob um olhar mais clínico posso dizer que o trabalho realizado foi bem feliz e trouxe uma nova luz para esse título que parecia esquecido. Já estou na torcida pelo remake de Zweii e nada custa sonhar para com a possibilidade de pensarem em Azel e Orta também! Se você curte jogos rápidos, bonitos, com uma trilha sonora fabulosa e diversão de primeira, não deixe de conferir esse remake.

Pontos Positivos

  • Gráficos muito belos, a arte da série nunca foi tão bem representada
  • Trilha sonora continua uma beleza
  • Os novos controles são excelentes

Pontos Negativos

  • A performance do jogo deixa um pouco a desejar
  • Muitos irão achar o jogo curto, principalmente quem está acostumado com os jogos atuais
  • Ainda não estar disponível a trilha sonora orquestrada

David Signorelli

Comentários