Análises

Ys: Memories of Celceta – Análise

8
Remaster de um clássico do PS Vita
Um RPG de ação dos melhores, com diversão e desafio na medida. Fãs do gênero não devem passar esse jogo

As aventuras do incansável Adol Christin não param e agora ele retorna ao PlayStation 4 em um port do jogo de PS VITA chamado Ys: Memories of Celceta. Joguei o original na época e já havia considerado ele um excelente título, agora com essa repaginada posso dizer que temos em mãos a versão definitiva.

A Grande Floresta de Celceta

Ys é uma série antiga, ela existe desde os anos 80 e até hoje recebe novas aventuras, vide Ys IX: Monstrum Nox que até o momento dessa análise não foi anunciado no ocidente. Muitos não sabem mas ela segue de certa forma uma cronológica e Ys: Memories of Celceta é o jogo que fica entre Ys II e Ys III, esquisito sim.

Não existe uma super importância em seguir a ordem cronológica, claro que quanto mais o jogador puder pegar de referências, melhor, entretanto você pode curtir cada Ys como se fosse um jogo distinto. Nessa aventura nós controlamos o incansável herói Adol que de alguma forma perdeu parte de sua memória e depois de aceitar uma missão para mapear a Floresta de Celceta (que dá nome ao jogo) ele passa a encontrar fragmentos que ajudam nessa lembrança.

Diversos aliados se juntam à causa e mesmo tendo um desenrolar relativamente simples, as reviravoltas no final da trama faz tudo valer a pena. Não dá pra esperar algo bombástico nível a série Legend of Heroes que é da mesma empresa, porém deixa uma excelente impressão como um bom RPG deve ser.

Espada Ardente

Ys é um RPG de ação e bota ação nisso. Aqui controlamos Adol e mais dois aliados, podendo alternar entre eles a qualquer momento. Esse sistema de trio é algo relativamente novo na série Ys, sendo adotado inicialmente em YS SEVEN e pelo visto a Falcom não irá abandonar a fórmula tão cedo.

Para nossa sorte posso dizer que é um sistema bem divertido e que estimula o uso de outros personagens pois cada um tem vantagens em relação aos inimigos. Exemplo, Adol usa uma espada e, apesar dela ser eficiente contra inimigos gelatinosos, ela é quase inútil quando estamos enfrentando um monstro coberto de pedra. Aí que entra Duran, um dos aliados de Adol que usa seus punhos para destruir seus adversários.

Isso é apenas um exemplo, diversos outros personagens entram no grupo e com isso a complexidade do sistema de batalha só cresce e fica ainda mais divertido. Os controles ajudam no processo pois são praticamente perfeitos, diferente de Ys VIII: Lacrimosa of Dana(o Ys mais recente lançado no ocidente até então), aqui temos uma câmera fixa onde fica muito mais fácil achar posicionamento em combate, facilitando a vida de todo mundo. 

Adol e seus amigos irão percorrer diversas áreas com inimigos assustadores, mas nem tudo é violência, existe algumas cidades onde podemos aceitar Quests, melhorar nossos equipamentos e ainda trocar uma ideia com os NPCs. Por sorte os personagens correm muito rápido, num geral tudo é rápido aqui e sou muito grato por isso, nada melhor do que agilidade em um RPG de ação!

Vale lembrar que a aventura aqui tem um excelente tamanho, eu terminei ele com 40 horas e não fiz metade dos troféus, existe muito o que aproveitar e só o “trabalho” de mapear a enorme Floresta de Celceta já vale o esforço.

Prelúdio para a Verdade

Ys: Memories of Celceta em 1080p rodando a 60 FPS? Perfeito. Tudo que esse jogo precisava era de uma pincelada na performance que já estaria de bom tamanho e isso foi feito com maestria pela equipe responsável. Claro que o jogo ainda é essencialmente um jogo de PS VITA de 2012, mas é inegável as melhorias, só não fique reparando muito nas texturas.

Ainda bem que a arte sempre se sobressai nesses jogos mais cartunescos, algumas áreas são bem bonitas e o uso de cores vibrantes ficou demais, o visual geral do mapa que ficou decepcionante, podiam ter dado uma atenção melhor a ele.

Agora, em matéria de trilha sonora, a Falcom entregou um trabalho fabuloso! A grande parte das músicas são remasterizações de composições originais feitas lá nos anos 90 e elas ficaram maravilhosas, Celceta é daqueles jogos que você vai querer aumentar o volume da sua TV.

Veredito

Ys: Memories of Celceta é um RPG de ação dos melhores, claro que posso recomendar a série Ys como um todo, mas esse título em especial traz uma diversão e desafio na medida, fãs do gênero não devem passar esse jogo por nada! 

Pros

  • Um remaster de qualidade, rodando a 60 FPS é só alegria
  • Trilha sonora absurdamente boa, como de praxe
  • Bastante conteúdo e um desafio eletrizante

Contras

  • Apesar da resolução 1080, ainda é nítido que é um jogo de 2012
  • Dublagem fraca
  • O mapa pode ser confuso para alguns

David Signorelli
Últimos posts por David Signorelli (exibir todos)