Análises

Borderlands Legendary Collection – Análise

8.5
Borderlands Portátil
Uma coletânea imperdível, por mais que o segundo jogo seja melhor que os outros 2 que acompanham o pacote, todos eles valem a pena jogar. Borderlands está em sua melhor forma no Nintendo Switch.

Borderlands foi uma das séries responsáveis por popularizar um sub-gênero chamado de “looter shooter”, que nada mais é que um jogo de tiro com bastante ênfase em espólios deixados pelos inimigos ou mesmo catando tudo que vê pela frente em caixas ou baús. Além disso tudo ele veio com elementos de RPG como níveis e árvore de habilidades, cada vez mais se distanciando de outros jogos de tiro.

Atualmente a série conta com 4 jogos da série principal e o Nintendo Switch recebeu agora, com o Legendary Collection, uma excelente coletânea com os 3 primeiros, trazendo diversão quase que infinita, ainda mais considerando que todos possuem modos multi-jogadores. Vamos dar uma olhadinha em cada um deles!

Borderlands

O jogo coloca os jogadores no desolado planeta Pandora, um terreno baldio escassamente povoado. A única atração de Pandora é um lendário cofre de riquezas incalculáveis ​​que atrai caçadores de tesouros de toda a galáxia, que vasculham o planeta implacavelmente.

Infelizmente, para os habitantes humanos, o Vault(o tal cofre) também chama a atenção de mercenários corporativos cruéis e bandidos que tornam a vida um inferno. Em Borderlands, você assume o papel de caçador de tesouros, procurando o cofre e entrando em conflito direto com praticamente todo mundo que procura suas riquezas abundantes.

Borderlands se inclina fortemente para ser um jogo de tiro em primeira pessoa com alguns elementos básicos de RPG. A ação de tiro em primeira pessoa do jogo é praticamente o que você esperaria. Você viaja pelo deserto, entrando em contato com vários bandidos que procuram enchê-lo de chumbo e eliminá-los antes que eles tenham a chance. Os inimigos podem ser bastante duros, mas são em grande parte burros e geralmente caminham diretamente para a linha de fogo.

Se for você, o jogo emprega um sistema bastante inteligente que permite evitar a morte. Basicamente, seu personagem cai de joelhos e ainda é capaz de atirar a partir do quadril, se você conseguir matar, estará de volta ao jogo! Caso contrário, você retornará à última estação de DNA que capturou sua presença e será cobrado um número de créditos pelo seu reaparecimento. Essas estações de DNA estão espalhadas por todo o jogo e geralmente são encontradas em torno dos poucos postos avançados humanos de Pandora.

Portanto, o jogo se inclina mais para ser um jogo de tiro em primeira pessoa do que um jogo de RPG, apresentando um sistema de nivelamento muito básico que aumenta seu HP e o dano causado, à medida que você ganha novos níveis. Aumentar o nível também permite o acesso a armas mais poderosas e melhores equipamentos. Essa é uma das duas maneiras pelas quais você pode personalizar o personagem predefinido que você escolheu em uma das quatro classes quando começa a jogar. Quando você atingir um nível definido, poderá usar a
As missões em Borderlands são tratadas da mesma forma que qualquer RPG, enquanto você viaja pela Pandora desolada, conhece vários habitantes que precisam de sua ajuda em troca de informações, e lá você segue várias tarefas que incluem itens básicos de RPG, como recuperar itens perdidos ou cuidar de um vilão particularmente desagradável. As missões são classificadas em dificuldade, de modo que você geralmente tem uma ideia do que irá abordar, no entanto, essa classificação de dificuldade diminui quando você começa a subir de nível. Se você está encontrando uma determinada missão particularmente complicada, pode voltar mais tarde e muitas vezes acham muito mais fácil.

Um dos pontos mais impressionantes de Borderlands é o estilo gráfico dos jogos, Borderlands apresenta um incrível cel-shade que faz com que pareça uma história em quadrinhos ganhando vida. A versão Switch mantém uma taxa suave de 30 FPS sem problemas, tanto em dock quanto no modo portátil, a qualidade é excelente.

Borderlands 2

Borderlands 2 é uma sequência excelente, mas também arriscou pouco. A equipe da Gearbox sabia que tinha um jogo com muitos fãs em suas mãos; portanto, em vez de tentar reinventar a roda, eles optaram por consertar e ajustar, em vez de revolucionar e arriscar alienar parte dessa base de fãs. Mais, mais, mais é o nome do jogo, por isso, se você era um amante do paradigma de atirar e disparar do original, sem dúvida apreciará a apresentação aprimorada da história, a escrita às vezes hilária e a vasta seleção diversificada de armamentos. Se, por outro lado, você odiava a jogabilidade ocasionalmente pesada, a mecânica de tiro centrada em estatísticas e a física flutuante – é melhor ficar longe.

A história começa cerca de cinco anos após o final de Borderlands. A Hyperion Corporation venceu toda a concorrência e se tornou a força dominante em Pandora, sob a liderança do atrevido Handsome Jack. Comparado ao primeiro título, há muito mais personalidade em todas as facetas de Borderlands 2. As missões não são mais distribuídas em caixas de texto estáticas, mas são dadas por personagens animados com vozes, o que os faz sentir muito mais integrados.

Mecanicamente, tudo funciona de maneira semelhante ao seu antecessor. Você aceita solicitações de NPCs e do conselho de recompensas no mundo central (chamado Santuário) e depois sai para fazer o que lhe foi pedido. Normalmente, isso envolve encontrar coisas e disparar muitas balas; onde Borderlands 2 realmente melhora o original está na aprensentação. Há muito mais dublagem, e tudo isso é excelente. A escrita segue a linha entre sério e sarcástico, ocasionalmente mergulhando os dedos dos pés nos dois extremos, o que ajuda você a se divertir um pouco mais com as missões, porque ainda são apenas desculpas para enviá-lo para um lugar ou outro com armas em chamas.

Como antes, o verdadeiro impulso de tudo isso está no “loot”. Além da grande variedade de armas, você também encontra relíquias, modificações de classe, mods de granada e escudos de qualidade e efeito variados. Existe uma diversidade maior no que pode ser encontrado, e os novos tipos de equipamento realmente oferecem a você a chance de especializar seu personagem da maneira que achar melhor.

Além disso, os tipos de armas e seus efeitos foram expandidos para incluir todos os tipos de implementos para matar. Eu encontrei espingardas falantes (e berrantes), metralhadoras a laser, espingardas que disparavam projéteis flamejantes como bolas de basquete e armas que lançavam balas explosivas em um arco parecido com argamassa, e ainda mal arranhavam a superfície do que pode ser encontrado.

Os mods de granada também foram reformulados e têm vários efeitos divertidos para você brincar. Estes podem variar de poços de gravidade a rodas de fogo giratórias; granadas saltitantes, grudentas, teleportadores e várias outras. A alegria de descobrir algo novo e louco sempre foi uma parte viciante desse subconjunto de ação RPG, e o Borderlands 2 aumenta a aposta em seu antecessor de maneira mais satisfatória.

Do ponto de vista da interface, houve grandes melhorias no sistema de menus. Ações básicas como comprar munição e vender equipamentos não desejados são significativamente mais rápidas. O gerenciamento e a comparação de itens ficou mais fácil. O rastreamento de missões (e ignorar, para os desatualizados de baixo nível) foi mais fácil de usar. Borderlands 2 é o melhor jogo dessa coletânea e ele sozinho já valeria a pena, o 1 já era bom, mas o 2 fez muito mais.

Borderlands: The Pre-Sequel

A maior mudança com The Pre-Sequel é a localização, com o jogo sendo ambientado principalmente na lua de Pandora, Elpis. Elpis tem uma fração da gravidade de Pandora e nenhuma atmosfera, ambas com impacto na jogabilidade. Quando estiver na superfície da lua, você precisará ter um tanque de O2 (a menos que você seja Claptrap, que como robô só tem uma necessidade psicossomática de oxigênio).

Sendo um jogo da série Borderlands, tanques de O2 (ou tanques de Oz, como são chamados no jogo, com uma piscadela dos desenvolvedores da 2K Australia) vêm com todos os tipos de melhorias e combinações diferentes. O suprimento de ar do tanque é limitado, mas isso não é tão terrível quanto parece, porque existem muitas estações de recarga de tanques e gêiseres de ar saindo da superfície da lua, então você só terá problemas se estiver sendo realmente descuidado.

É claro que seus inimigos também precisarão de ar, e você pode usar isso para sua vantagem colocando um buraco no capacete e depois finalizando seu adversário enquanto ele está ofegante por falta de ar. Você só terá problemas se estiver sendo verdadeiramente descuidado.
A baixa gravidade significa que você poderá saltar mais alto do que nunca e os locais usam a baixa gravidade de Elpis a seu favor, colocando saltos para ajudar a atravessar desfiladeiros em um único pulo e colocando portas no lados dos edifícios onde quer que sejam convenientes, estejam ou não no nível do solo. Você também pode obter um impulso extra em seu salto, abrindo a válvula em seu tanque de O2, mas isso obviamente diminui parte de seu suprimento. Você também pode fazer o mesmo enquanto estiver no ar e realizar um ataque de soco no chão para repelir e danificar qualquer um que tiver a sorte de ficar embaixo dos seus pés quando voltar ao chão.

A verticalidade do ambiente de baixa gravidade faz com que os tiroteios em The Pre-Sequel pareçam únicos daqueles dos outros jogos da série. O resto do jogo é praticamente o mesmo que Borderlands 2, tanto nas coisas boas quanto nas ruins. Quando se trata de “loot”, você pode ter muita coisa boa e pode facilmente passar a maior parte do seu tempo com o jogo comparando as estatísticas da mais recente arma, tanque de O2 ou gerador de escudo contra os itens do seu inventário. A interface para gerenciar tudo isso parece sobrecarregada pela quantidade de itens perdidos no jogo, então muitas vezes eu ficava com uma arma que eu gostava por um tempo, para poder gastar menos tempo nas telas de inventário.

Veredito

Uma coletânea imperdível, por mais que o segundo jogo seja melhor que os outros 2 que acompanham o pacote, todos eles valem a pena jogar e a quantidade de horas de jogo somado todos eles é descomunal! Borderlands está em sua melhor forma no Nintendo Switch.

Pros

  • Incontáveis de horas de diversão garantida
  • Port de qualidade, tanto em modo portátil quanto dock
  • Os elementos de RPG só agrega a experiência

Contras

  • Borderlands 1 sofre de alguns problemas que só foram resolvidos na sua sequência

David Signorelli