Análises

Marvel’s Avengers

7.5
Uma experiência épica e fascinante
A Crystal Dynamics e a Eidos fizeram um ótimo trabalho com esse game, que apesar de ter seus problemas e falhas, consegue trazer muita diversão aos jogadores com um ótimo multiplayer e várias e várias horas de conteúdo.

Em 1963, a primeira edição das HQs de The Avengers era comercializada, e a ideia de fazer um grupo dos heróis mais poderosos da Terra veio de ninguém menos que Stan Lee, com a ajuda de Jack Kirby.

Desde então, já vimos muitas outras edições, e até mesmo o UCM (Universo Compartilhado Marvel), que hoje lidera quase todas as bilheterias anuais e que esse grupo também faz parte.

Com esse agito todo não tem nem como os heróis sentirem frio.

Porém, agora em 2020 a Square Enix lança um dos games mais esperados para os fãs da equipe de heróis. Marvel’s Avengers, desenvolvido pela Crystal Dynamics e também pela Eidos Montréal, chega para Xbox One, PS4, Steam e Stadia, e promete uma grande aventura para os nossos queridos heróis.

Vingadores… Avante?

Kamala Khan é uma das finalistas em uma competição de melhor fanfic sobre os Vingadores, e por conta disso, ela e os outros competidores são convidados para participar do “Avengers Day” em São Francisco. Porém, durante uma conferência que os Vingadores estavam dando, uma explosão acaba ocorrendo na ponte Golden Gate e os mesmos vão para lá. Durante a ação, o Taskmaster aparece e a Viúva Negra se vê obrigada a lidar com ele, contudo enquanto isso acontecia, uma explosão ocorre no Quimera (um aeroporta-aviões), e acaba liberando um gás chamado Terrigen, que se espalha por uma boa parte da cidade.

A barra tá pesada.

Esse gás acaba se espalhando por uma boa parte de São Francisco e faz com que muita gente pegue a “Doença Inumana”, que faz com que pessoas comuns adquiram poderes. Após isso os Vingadores acabam se separando, já que são vistos pela sociedade como uma ameaça, e não mais como uma salvação. Com isso, as Indústrias Stark acabam falindo e a S.H.I.E.L.D é encerrada, porém uma outra organização se ergue, a A.I.M (Ideias Mecânicas Avançadas), com a promessa de desenvolver uma cura para a nova doença e também tornar o mundo um lugar melhor sem pessoas super poderosas.

Alguns anos depois, Kamala Khan (que virou uma Inumana por conta da doença) começa a investigar o que realmente aconteceu no “Avengers Day”, e se haviam provas de que aquela catástrofe não havia sido causada pelos Vingadores. Em um certo dia, ela descobre um vídeo incriminador sobre o criador da A.I.M, o Dr. Tarleton, que poderia provar a inocência dos heróis, mas para isso ela precisa mostrar de alguma forma esse vídeo para alguém, e a primeira pessoa que ela vai atrás é o Bruce Banner, que foi visto pela última vez em algum lugar de Utah. Ela então inicia a sua busca para encontrar não apenas o Dr. Banner, mas também para tentar reunir os Vingadores e acabar com a A.I.M.

Deve estar rolando alguma coisa maluca.

Devo admitir que a trama me prendeu do início ao fim, com momentos épicos e que são dignos tanto dos filmes quanto dos quadrinhos da Marvel. Cada missão apresenta acontecimentos que vão marcar o jogador de alguma forma, e não se preocupe, mesmo que você seja uma pessoa que está conhecendo esses heróis e o universo pela primeira vez com esse game, tudo vai acontecendo de forma orgânica e o game explica bem cada momento, assim ninguém fica perdido durante a jogatina.

As construções dos personagens também são muito boas. A Kamala Khan é uma grande fã dos Vingadores e ela demonstra isso a todo momento, fazendo com que fãs da Marvel (assim como eu) que venham a jogar este game se sintam representados por ela. Mas não é apenas a Kamala que tem uma boa construção no game, todos os outros personagens que aparecem durante a história são bem desenvolvidos, e olhe que não são poucos. Cada um apresenta características bem distintas, fazendo assim com que seja possível diferenciar cada um não apenas pela aparência, mas também pelas personalidades.

Não é só o Hulk que esmaga.

Os visuais dos personagens também estão muito bons. Me lembro que muita gente reclamou disso quando Marvel’s Avengers foi revelado, e se compararmos a versão final com a de revelação houve uma melhora considerável. Podemos perceber uma grande influência dos filmes aqui neste game, mas ao olharmos para cada personagem vem também aquela lembrança das HQs, e isso é muito bom.

A dublagem também é um grande destaque desse game, já que algumas vozes são as mesmas dos filmes do UCM, como as do Thor, Capitão América e Homem de Ferro, fazendo assim com que quem assistiu os filmes tenha aquela ótima sensação de ouvir a mesma voz, já que são dubladores muito bons. E mesmo as novas vozes não decepcionam, passando muito bem as emoções de cada personagem. Os efeitos sonoros são outro deleite, ouvir o som das armaduras do Homem de Ferro e dos golpes durante os combates é muito bom e passa a sensação de um verdadeiro game desses heróis. A trilha sonora é mais um ponto positivo, com ótimas músicas que complementam os momentos épicos e fenomenais que o enredo desse game nos entrega.

Verdão arretado.

Como um fã da Marvel, é incrível ver várias e várias referências sendo colocadas tanto na história principal, quanto em outras partes, seja em diálogos ou até mesmo nos cenários. Mas não se preocupe, como eu já disse acima, se você não conhece muito bem esse universo e está querendo aprender mais com esse game ou apenas se divertir, não ficará confuso com tudo isso, já que essas referências não interferem na trama e servem mais como um grande agrado aos fãs.

Se você jogou os games da nova trilogia de Tomb Raider, vai perceber várias influências do mesmo sobre Marvel’s Avengers, como o parkour, que foi muito bem implementado aqui e que pode ser diferente dependendo do herói que você estiver utilizando. Algo que também veio dos games de Tomb Raider e que é muito bem utilizado aqui é a “Percepção Tática”, em que apertando um botão você pode ver os pontos de interesse destacados, tornando assim a sua progressão pelas missões muito melhor, e permitindo que você descubra itens pelos cenários, como baús, de forma mais orgânica, tornando assim a exploração muito mais divertida.

Treinamento para as Olimpíadas de 2021.

Conforme você progride no game e vai passando de nível com os heróis, vai recebendo pontos que podem ser gastos comprando habilidades. Existem no total três categorias, sendo elas: “Primária”, “Especialidade” e “Maestria”, e todas elas possuem também sub-categorias, que vão desde “Ataque Leve” até “Ataques à Distância”. Todas essas habilidades ajudam e muito na sua jogatina, já que quanto mais você aprender, melhor serão os seus combos e o seu ataque. No início pode até parecer que a sua variação de golpes é pequena e repetitiva, mas acredite, quanto mais habilidades você vai comprando, mais golpes vai aprendendo e o combate vai ficando mais dinâmico e fluído.

Para ficar ainda mais forte, você pode também usar equipamentos, que são: faixas, braceletes, coletes e insígnias, sendo que há também os artefatos, que são itens compartilhados entre os heróis. Você consegue os equipamentos ao abrir os baús e pegando itens que os inimigos deixam cair. Se você tiver recursos suficientes, pode estimular os equipamentos, deixando eles ainda mais fortes. Mas como saber se você está poderoso? Aqui você possui dois tipos de níveis: o de herói e o de poder, e ambos vão te ajudar a progredir nas batalhas. Para subir o seu nível de herói, basta ir avançando no game e ganhando experiência, já para aumentar o seu nível de poder você deve ir usando os equipamentos. Porém devo admitir que achei o sistema de se equipar muito simples, já que em vários momentos eu nem me lembrava de ver se o equipamento que eu ia usar possuía algum poder, eu simplesmente equipava e pronto.

Os efeitos de luz ficaram demais.

A jogabilidade também é outro ponto muito positivo. Jogar com cada herói é uma sensação única, já que todos têm estilos de combate e até mesmo movimentações diferentes. Todos possuem os mesmos tipos de ataque, sendo eles leves, pesados e à distância, mas justamente por conta disso que cada herói é único, pois ver as suas diferenças com esses três tipos de ataques é fenomenal, e até por conta disso penso que cada jogador terá um herói favorito após testar um por um. Cada herói é exatamente o que imaginamos quando a gente pensa em controlá-los, com cada um tendo as suas diferenças. Todos os heróis também possuem três especiais que são carregados com o tempo, e que ajudam e muito nos momentos mais complicados do combate.

A jogabilidade pode até parecer confusa no início, já que existem algumas variações pra cada herói, mas logo que você completar o tutorial já estará controlando bem os Vingadores. Há também as Harm Rooms, que são salas de simulação em que você pode treinar e aprimorar a sua jogabilidade, ou então apenas completar os diversos desafios que as mesmas oferecem, e por mais que pareçam simples, elas não são, já que algumas podem dar um bom trabalho para serem completadas.

Não é todo dia que sai um jogo como esse.

Os coletáveis desse game não são do tipo que estão lá apenas para serem pegos e pronto, eles adicionam e muito na história, com narrações tanto dos Vingadores quanto dos outros personagens da trama.

Durante sua aventura você irá passar por postos avançados, em que poderá adquirir equipamentos, artefatos e recursos. Junto disso, você terá acesso as facções e suas missões (que são chamadas de setores de vilões) e também a tarefas, que são uma ótima maneira de adquirir itens e experiência. Durante o game faremos parte de duas facções, sendo elas a S.H.I.E.L.D e a Aliança Inumana, e temos ótimas interações em cada uma, fazendo assim com que o jogador sempre fique com vontade de visitá-las para realizar mais missões e adquirir novos itens.

Acho que o Thor tá viajando.

Em Marvel’s Avengers, se você quiser apenas realizar as missões da campanha você pode, porém como o game tem muitos traços de RPG, sempre é bom ir realizando missões secundárias e até mesmo os desafios das Harm Rooms, para assim ir subindo de nível com os heróis e ir deixando eles mais fortes para a campanha. Nessas missões secundárias, você pode escolher o nível de dificuldade dentre quatro disponíveis, e isso é muito bom, já que cada jogador pode ir no seu nível, e acaba facilitando a progressão dos personagens também, mas sempre é bom lembrar que quanto maior a dificuldade, melhor serão as recompensas.

As missões desse game se dividem em single-player e multiplayer, mas se você quiser pode jogar todas sozinho com companheiros de IA. Ao testar o multiplayer eu fiquei um bom tempo procurando alguém em várias missões, sendo que foram poucas as que alguma pessoa entrava, e sempre acabava demorando, mas no fim jogar acompanhado era bem divertido, e imagino que na companhia de algum amigo deva ser ainda mais, possivelmente rendendo boas risadas durante a jogatina.

Setpieces de tirar o fôlego.

Ao terminar o game não pense que sua jornada acabou, já que existem várias e várias missões disponíveis para que você continue a jogar. Por mais que as Harm Rooms sejam mais simples se compararmos com o resto das missões, elas são uma ótima pedida, mas caso você prefira pode jogar também as cadeias (que englobam várias missões que derivam da campanha principal) e as zonas de guerra, que englobam vários outros tipos de missões. Isso é algo muito bom, já que renderá boas horas de diversão aos jogadores com várias missões à disposição. Algo muito positivo que virá no futuro será a adição de novos heróis, que virão junto de eventos exclusivos para os mesmos e que adicionarão também na história.

Infelizmente tive alguns problemas com o game também. Várias texturas piscavam continuamente durante cutscenes, e não era algo que acontecia raramente, já que presenciei isso durante boa parte do game, e também pude perceber texturas que demoravam para carregar, ou que nem chegavam a carregar. Houveram também quedas de frames durante momentos com muitos elementos em cena, e isso acabava atrapalhando os combates. Sem contar ainda que os gráficos nem impressionam tanto.

Cenas como essa você irá presenciar o tempo todo.

Algumas telas de loading são bem demoradas, levando em certos momentos quase um minuto para carregar o game, sem contas as vezes que o jogo nem chegou a carregar e eu tive que reiniciá-lo. Certos cenários também se repetem muito durante a jogatina, tornando assim algumas missões um tanto quanto repetitivas.

Vale a pena?

Devo admitir que a trama de Marvel’s Avengers me prendeu do início ao fim, com momento épicos, ótimas construções de personagens e uma jogabilidade muito boa. A Crystal Dynamics e a Eidos fizeram um ótimo trabalho com esse game, que apesar de ter seus problemas e falhas, consegue trazer muita diversão aos jogadores com um ótimo multiplayer e várias e várias horas de conteúdo.

Pros

  • História épica e digna dos filmes e HQs da Marvel
  • Ótima construção de personagens
  • Dublagem perfeita
  • Multiplayer muito divertido
  • Jogabilidade dinâmica e fluída com cada herói
  • Trilha sonora e efeitos muito bons
  • Horas e horas de conteúdo

Contras

  • Texturas problemáticas
  • Grandes quedas de frames
  • Gráficos não impressionam para um game desse tamanho
  • Certas telas de loading são muito demoradas
  • Alguns cenários se repetem muito

Lucas Nunes
Últimos posts por Lucas Nunes (exibir todos)