Análises

Kingdoms of Amalur Re-Reckoning

5.5
Um remaster que poderia ter sido bem melhor
Hoje, infelizmente tudo que o Kingdoms of Amalur Re-Reckoning tinha de inovador está presente e refinado em quase todos jogos de RPGs atuais.

Mais de 8 anos depois, a THQ Nordic anunciou o que parecia ser uma nova chance para um jogo pouco conhecido, mas mais muito apreciado pelos fãs: Kingdoms of Amalur Re-Reckoning.

Nesse momento os fãs e os gamers que ouviam muitas coisas boas desse jogo logo se empolgaram. Será que esse remaster desse jogo, considerado um clássico por muitos, foi digno ao seu hype?

Aqui rola muitas magias e feitiços.

São poucos clássicos que conseguem se manter sólidos para serem dignos de revisitar. Por isso o mercado pede por remasters ou até mesmo remakes de grandes jogos, que não envelheceram muito bem e precisam de um revamp visual e em alguns casos até um revamp completo para se atualizar à qualidade do mercado atual. O Kingdoms of Amalur Re-Reckoning aposta grande em que seu jogo não precisaria de um grande trabalho para se atualizar para os padrões atuais. O jogo apresenta resoluções maiores, framerate maiores, texturas com maior resolução e algumas alterações de balance de jogo para melhorar a experiência mais pro final do jogo.

O herói preparado para encarar uma aventura sonolenta.

A variedade do combate é onde Kingdoms of Amalur Re-Reckoning mais se destaca. Você pode montar muitas composições diferentes e moldar como você prefere jogar. Se não gostou ou quer testar algo novo, o jogo apresenta uma opção para resetar os pontos e tentar algo novo. A variedade de armas também merece ser comentada. Todas as armas e estilos de jogo parecem ser extremamente viáveis… talvez até demais? Em todas as dificuldades o jogo é muito fácil. É muito comum fazer uma composição onde quebra o balance do jogo e os inimigos morrem muito rápido.

É no combate que o jogo tem um pouco de destaque.

Infelizmente todo o restante do jogo parece ter parado no tempo. A interface do jogo parece ocupar muito espaço na tela e navegar nos menus é preciso de muitos cliques e paciência. Outra coisa que normalmente jogos remasters fazem é melhorar o tempo de loading e até colocar features que aceleram a velocidade do jogo para tentar contornar frustrações de re-jogar um jogo que você já jogou. O jogo tem muitos loadings, ao entrar em qualquer uma das casas ou ir de uma região para outra e os tempos de loadings são muito grandes, especialmente pra um jogo antigo. Kingdoms of Amalur Re-Reckoning não só não melhora o loading, mas como apresenta diversos bugs e travamentos que não tinham no original. Frequentemente o jogo trava, você e personagens entram no chão e texturas ficam piscando. Parece que meu PS4 Pro não foi capaz de rodar perfeitamente esse remaster. Felizmente alguns desses problemas e bugs podem ser resolvidos em atualizações futuras.

Todos os jogos de 2012 eram assim.

Em seu lançamento lá em 2012, Kingdoms of Amalur Reckoning influenciou muito o mercado de jogos de RPG. O jogo trouxe muitas coisas inovadoras para sua época, como por exemplo combate de ação em um RPG e opção de resetar os pontos de habilidades e testar diferentes classes. Hoje, infelizmente tudo que o Kingdoms of Amalur Re-Reckoning tinha de inovador está presente e refinado em quase todos jogos de RPGs atuais. O jogo que uma vez tinha suas mecânicas únicas e divertidas, hoje parece um jogo desatualizado e muito difícil de voltar pra jogar.

Pros

  • Combate com muitas opções
  • Facilidade para trocar e testar classes
  • Muito conteúdo para explorar

Contras

  • Muitos loadings grandes
  • Vários bugs e travamentos
  • Interface antiga e cansativa
  • Muito fácil
  • Gráficos desatualizados


David Signorelli