Análises

Kirby Fighters 2

8
É o que acontece quando deixamos Kirbies sozinhos...
Esse jogo é uma surpresa bem agradável para todo mundo que curte uma violência fofa e animada!

Kirby Fighters 2 para o Nintendo Switch é quase que um Smash Bros focado em Kirbies e personagens da série. O jogo é bem direto e tranquilo de se começar, bem intuitiva a navegação dos menus faz desse título um pick-up and play bem massa para se curtir com a galera.

Super fácil de entender os comandos, coisa que está na linha do “fácil de aprender e difícil de se tornar um mestre” na arte de jogar vale ressaltar.

Desenvolvido pela Hal Labs e distribuído pela Nintendo, esse é mais um multi-player bem divertido e diferenciado que chega ao nosso console híbrido que irá garantir momentos de muita risada e frustração entre os amigos, até porque pode ser jogado cada um com um JoyCon, ou seja, um dois-players consolidado, aí sim!

Nesse caso, eu não vejo uma saída muito boa para nenhum dos envolvidos.

Temos alguns modos para selecionar, o de jogarmos contra o computador ou contra até 3 amigos em uma única tela, um modo online que vai requerer a assinatura paga para jogar, e um modo história bem bonitinho chamado de The Destined Rivas, cujo qual devemos subir uma torre e atravessar os desafios ali impostos, um importante training também, e um modo chamado Single-Handed que soa super estranho, mas é basicamente um survival com a dificuldade crescente, complicadinho, mas é o modo mais legal na minha opinião. Ressaltando que todos os modos é possível de se jogar acompanhado de um colega, um co-op bem feitão.

A medida que vamos prosseguindo no jogo e derrotando os adversários, obteremos pontos que evoluirão nosso rank. Rank que quanto mais alto for, mais personagens habilitamos para jogar. Vou comentar um pouco mais como o jogo funciona na sua essência.

Se você e seu amigo pegarem as duas partes desse iten, vocês poderão executar um ataque-mini-game devastador em todos os adversários.

Embora os comandos sejam bem simples de executarem, nas dificuldades um pouco mais elevadas serão necessárias um certo tempo para saber bem o que estamos fazendo ali, pois como a maioria das lutas são de 2×2, o negócio fica bem intenso, principalmente no Single Handed mode.

Somos recompensados a cada batalha com um pouco de experiência que faz nosso rank subir gradativamente. Quanto mais ranks subimos, mais fases e personagens vamos habilitando, indo do Rank 1 ao 100. Então até lutinhas casuais entre os amigos vai gerar algum tipo de fruto positivo nesse sentido.

Apesar de serem quase todos Kirbies, há uma variedade imensa de “classes” para se experimentar.

As lutas, diferente de Smash Bros, são reguladas por HP, pontos de vida, que ao chegar a 0 você “morre”, podendo ser revivido por um aliado que agir rápido em situações assim. Será possível experimentar alguns minigames durante as lutas, interagir com os cenários, coletar itens e tudo o que há de bom, deixando assim a pancadaria mais animada.

Os gráficos são bem parecidos com o que temos no Smash Bros Ultimate, talvez um pouco mais simples, mas nesse mesmo molde. Até porque as escolhas artísticas da empresa estão bem presentes nos títulos anteriores, e por um motivo que não é tão surpresa, a galera realmente ama o universo de Kirby num geral, eu inclusive, apesar de eu não ter zerado muitos games da franquia exclusiva dele eu tenho esse apreço pelo nosso petit-suisse rosa favorito.

Cuide para não ser surpreendido por usuários de espada.

Não menos importante, eu gostei pra caramba do trabalho do compositor Jun Ishikawa e outros músicos. O cara é residente no departamento sonoro da Hal a bastante tempo e ele realmente sabe o que tá fazendo enquanto composição de trilha. 

Muito competente mesmo, as músicas são um dos pontos mais fortes desse game porque ela consegue orquestrar o calor das batalhas e de chefes com muita maestria. De tirar o chapéu de fato.

Olha só, juntaram as duas partes do especial. Dica: Senta e chora.

Concluindo, é um jogo de luta bem mais simples que Smash Bros (Que eu faço muita referência porque é quase que um filho mais novo do jogo, digamos assim.) e focado num público diferente. Tem sua parte competitiva bem acirrada num geral, mas é um título excelente para se curtir sozinho ou com a galera em casa. Muito satisfatório tocar o terror com a quantidade imensa de recursos para se usar em batalha, muito divertido.

Pros

  • Variedade extensa de Kirbies para selecionarmos.
  • Estágios visualmente atraentes e interativos.
  • Gameplay rápido, simples, gostoso de jogar.
  • Trilha sonora é bem competente.


Contras

  • Eu sei que é um jogo de Kirby, mas poderia ter mais variedade de outros personagens da série ali.
  • As vezes a luta fica poluída até demais.
  • Recovery-time não existe nesse jogo, se for pego num combo, já pode largar o controle.


+++

Fábio Kraft
Últimos posts por Fábio Kraft (exibir todos)

Comentários