Análises

Asterix & Obelix XXL: Romastered

8
Asterix e Obelix ganham um "romaster" bonitão!
Uma aventura que vai trazer bons momentos de descontração e nostalgia, diretamente da era PS2 para os dias atuais.

Relembrar um dos clássicos da era PS2/ GameCube já nos faz parecer que estamos muitos anos à frente do tempo, mas isso não seria necessariamente errado, certo? Afinal de contas estamos em 2020, no futuro, ano cujo qual o que veio realmente de bom mesmo são somente os games.

Faz um tempo que eu não via remasters de jogos dessa era, e eu fiquei feliz com o bom gosto desse joguinho, trazido a vida pela softhouse Microids, me fez eu sentir que estava frente à frente com o controle de PlayStation 2 num dia ensolarado de sábado com uma TV de 21 polegadas sem nada para me preocupar, apenas em zerar jogos eletrônicos.

Usamos alguns recursos de artilharia para causar um estrago em tanto!

Mas, tirando essas viagens de nostalgia do caminho, estamos falando dessa vez sobre Asterix & Obelix XXL: Romastered, isso mesmo, Roma-estered, sacaram? Roma? Exatamente. Muito popular até os dias de hoje, o jogo é baseado no universo desses personagens, que vão desde séries animadas, filmes e quadrinhos.

Lançado em 2004 originalmente para o PlayStation 2, Gameboy Advanced, GameCube e PC, podemos curtir essa aventura mais que light nos confortos da geração atual, especificamente no Nintendo Switch, pelo qual esta análise se baseia.

Em alguns momentos, esse jogo parece até um “musou” de tanto inimigo na tela.

Eu compreendi direitinho como seria a pegada desse jogo no momento em que eu pûs minhas mãos no controle de Asterix. É um jogo de plataforma 3D com controles simplezinhos de pegar e aprender, e não tem muito mais complexidades e entrelinhas, é exatamente isso o que temos quando iniciamos um novo jogo.

Durante o jogo vamos encarar fases com saltos em plataformas, puzzles, mover blocos e claro, precisar enfrentar diversos tipos de soldados na base do soco e de pequenos upgrades que são coletáveis para nos dar uma alavancada, além disso, há um contador de combo que aumenta consideravelmente a velocidade dos golpes desferidos, o que torna tudo muito mais satisfatório.

As fases são bonitas, coloridas e cheias de pequenos objetivos para concluirmos durante o percurso.

Outro detalhe que é muito louco de se comentar é que, a qualquer momento, mesmo durante a ação no jogo, é possível alternar a versão “romastered” para a versão original, no Switch por exemplo, apertando o botão ZR. Acontece de maneira dinâmica e a transição é bem feita pra caramba. Embora não seja incrível o gráfico, a mudança do original para o novo é como da água para o vinho.

Artisticamente ele é bem competente, tanto no design das fases como no departamento de áudio deste título. Excelente, francamente não tive picos de decepção como eu encontro em outros jogos.

Isso falando do modo principal, claro, pois há outros modos que são para desafios mais específicos como até, pasmem, para speedrunners! Muito ousado, mas funciona bem? De fato, é bem feito, polido, realmente um trabalho bem feito em cima desse aspecto do gameplay.

Esses desafios de irmos contra o tempo são de descabelar as vezes.

O nosso objetivo principal é resgatar os moradores do vilarejo que foram raptados por César, o imperador romano. Iremos atravessar várias regiões do mundo em nossa empreitada, variando pra caramba os cenários pelos quais percorremos no jogo.

Embora possa parecer um pouco desanimador para os jogadores mais experientes, esse título carrega consigo uma cadência decente que não deixará os momentos mais bobos se tornarem desagradáveis, muito pelo contrário, é tanta liberdade que se tem nas fases que o jogo é uma caminhada bem prazerosa num geral.

O jogo possui cerca de 6 fases (enormes) e diversos objetivos extras, cerca de 50 deles, e é, apesar de tudo, completável em poucas horas, mas os outros modos deixarão ele mais interessante por mais tempo, principalmente para os complecionistas de plantão.

Posso concluir que, apesar de não ser muito minha praia nos dias atuais, é um jogo de qualidade. É um jogo que entrega aquilo que ele se propõe e também, contudo, dá brechas para que os outros jogos da série também ganhem esse tipo de tratamento, o que seria muito bem vindo também no final das contas.

Pros

 

  • Jogabilidade simples e bem feita.
  • Fases bem construídas, coloridas e de bom gosto.
  • Tem bastante variedade de estratégias durante os combates.
  • Recurso de mudança para o modo clássico e o remastered é muito maneiro.



Contras

 

  • Infelizmente é muito fácil.
  • Apesar de serem bonitas, há apenas 6 fases.
  • Os chefes do game são meio sem inspiração.




Fábio Kraft
Últimos posts por Fábio Kraft (exibir todos)

Comentários