Análises

Saviors Of Sapphire Wings e Stranger Of Sword City Revisited

Saviors Of Sapphire Wings e Stranger Of Sword City Revisited fazem parte de um pacote de RPGs dungeon-crawlers lançados agora para o Nintendo Switch.

Originalmente como jogos de PS VITA e PC respectivamente lá em meados de 2015, esse é um dos jogos que definitivamente tem excelentes ideias, excelente design de personagem e cenários mas, não consegui me conectar com nenhum dos dois e vou tentar explicar o porquê nesta análise.

Desenvolvida por Codeglue e Experience Inc, e distribuído pela NIS, esses dois títulos trazem a tona duas coisas que eu honestamente desgosto muito: Exagero de informação de gameplay nos primeiros minutos e uma trama com ar de grandiosidade que fica complicado de engolir.

Você deverá escolher um avatar que não irá afetar em nada o jogo.

Vou começar comentando sobre o que eu gostei no jogo: O design de personagens e inimigos. Gente, realmente é bem bom, mas é tão bom que pegam os mesmos recursos de um jogo e colocam no outro, num estilo RPG Maker que me entristece pra caramba.

Você cria seu personagem principal, e muda todos os outros personagens da sua equipe conforme o seu gosto conforme vamos recrutando a galera. Comecei o jogo como uma menina de cabelos azuis e terminei selecionando uma garota-gato genérica.

Você tem um excesso de customização que parece que leva a lugar nenhum. As classes são super vagas e os pontos são distribuídos num jeitão “ponha qualquer coisa e espere pelo melhor“.

Um pouco de história das localidades.

Isso em ambos os jogos, mesmo tipo de estranheza, você aprende habilidades que causam pouco dano, curam pouco, então acabamos atacando com golpes normais e usando itens que são mais eficientes em boa parte dos primeiros arcos.

A trama de ambos é suportável, nada além do muito comum, mas o Sword City se supera com o seu jeito mais dark, sombrio, com tons de preto, vermelho e roxo, as linhas de falta de importância nos diálogos e locais do jogo, cujo qual os próprios participantes dos eventos são inteiramente responsáveis pela sonolência do mesmo.

Os heróis prontos para explorar!

Isso dá-se pelo fato de que nossos personagens são tão legais quanto perfis de heróis pré-criados em RPG Maker, e isso me dói em dizer porque eu honestamente achei interessante navegar pelas dungeons em tons pastéis.

Falando sobre as dungeons, parece que estamos andando por cenários vazios com iconezinhos voando que representam alguma situação, armadilhas, conversas, baús, esse tipo de coisa. Bem desanimador.

A navegação das dungeons é bem tranquila, à medida que andamos, o mapa vai sendo preenchido para que quando revisitarmos, tudo fique mais claro. As batalhas talvez sejam um dos pontos de maior destaque do jogo, e mesmo assim, parece que todos os nossos esforços para tirar algum sentido da nossa party e seus papéis nela pois tudo acaba sendo “espere pelo melhor”.

Visual dos inimigos que é bem louco.

Já fui destruído por um chefe em Saphire Wings que eu realmente não entendi como isso aconteceu, e outros chefes que causavam 0 de dano em mim, chegou até dar pena. Há alguma coisa muito misteriosa nos equipamentos do jogo, em quem pode equipar o que, ou os efeitos dos acessórios que aparentemente funcionam com alguns requisitos bem estranhos preenchidos.

Mas, pelo menos a música é boa, nada fantástica, mas é boa. Tem alguns momentos realmente empolgantes durante a jornada, mas 80% do tempo parece que estamos empurrando com a barriga. 

Parece que a coisa ficou feia…

Equipar as coisas, usar os itens, magias, no menu dos dois jogos dá uma dor de cabeça pela quantidade de poluição visual, e se você acha que está legal, espera até tu ter 6 bonecos na equipe, meu deus.

Falando assim até parece que eu não gosto do gênero, mas isso não é verdade, eu adoro dungeon crawlers, eu adorei Etrian Odyssey e Class of Heroes por exemplo, mas é com muito pesar que eu digo que eu não consegui me conectar com ambos, é muito “mistério”, “enigma” e quantidade de pequenos trabalhos para melhorar seu personagem de maneira que parece que nada é melhorado de fato.

Algumas pessoas gostaram bastante de ambos, talvez eu tenha dado algum azar, mas minha opinião é essa. Tem jogos melhores para o Switch, mas acho que nesse gênero, esse é único disponível até o presente momento, então recomendo ler uma segunda opinião antes de adquirir, porque eu não posso recomendar.

Pros

  • Design dos personagens são bonitos.
  • Cenários ricos em detalhes.
  • Trilha sonora boa.

Contras

  • Sistema de jogo cheio de problemas que induz ao erro.
  • Classes que não fazem muito sentido prático.
  • Dungeons mortas.
  • Sistema de batalha é um Etrian Odyssey mal executado.
  • Personagens genéricos demais.

Fábio Kraft
Últimos posts por Fábio Kraft (exibir todos)

Comment here