Análises

Wonder Boy: Asha in Monster World

8.5
Remakes como esse não saem todos os dias.

A jornada de Asha pelo Monster World é repleta de diversão!

Se havia um jogo que eu estava aguardando bastante, esse jogo era esse remake de Wonder Boy IV que foi lançado originalmente no Mega Drive. Sempre fui fã dessa série desde o primeiro título e agora o STUDIOARTDINK trouxe uma versão realmente especial, que já está disponível no Nintendo Switch e PlayStation 4.

ASHA NO MUNDO DOS MONSTROS

Não dá para começar a falar desse jogo sem mencionar a protagonista que dá nome ao mesmo. Asha é o nome da nossa heroína e ela é extremamente fofa, sério mesmo. Mesmo no original já dava pra sentir um carisma imenso vindo dela e nesse remake a coisa ficou ainda mais evidente, espere até ver ela rebolando ao abrir um baú! Então, a história por de trás dessa personagem é bem simples e não tem tanta importância assim, portanto acaba sendo mais sobre ela e menos sobre o que acontece de fato.

Asha percebeu que a coisa não tá fácil!

1001 NOITES DE DIVERSÃO

Apesar de ser essencialmente um jogo de ação/plataforma, Asha também poderá explorar uma cidade chamada Rapadagna após a masmorra introdutória do jogo, dando um ar de RPG que já era presente nos outros jogos da série Wonder Boy(nem todos!). Nessa cidade podemos conversar com os NPCs, realizar pequenas atividades extras e comprar itens, portanto recomendo fortemente que você explore cada cantinho dela.

Depois que estiver tudo em ordem, pegue sua fiel espada e vamos para a jornada que nos aguarda! Além da já mencionada masmorra inicial, o jogo conta com 5 “fases”. Pode parecer pouco, mas cada um desses estágios é gigantesco, garantido um tamanho bem decente para esse título, eu terminei ele em umas 15 horinhas com grande parte dos coletáveis.

Pepelogoo dando uma mão.

Controlar Asha é uma delícia, os controles respondem muito bem e o jogo possui uma jogabilidade super simples, fazendo que o jogo se torne super acessível. Nossa heroína possui uma espada, um escudo e um fiel companheiro chamado Pepelogoo que vai evoluíndo ao longo da aventura, liberando uma gama de habilidades extras como planar.

Apesar de ser um jogo 2D, em diversos momentos nós podemos ir para frente e para trás nos cenários, seja nas masmorras ou mesmo em Rapadagna, aumentando as possibilidades exploratórias. Em alguns momentos pode até ficar confuso na masmorras devido a complexidade das mesmas e a falta de um mapa só complica ainda mais, porém mesmo assim não acho que o jogo seja “labiríntico” o suficiente para gerar frustração.

Os monstros não fazem ideia de com quem eles estão lidando!

A diversão do jogo é altíssima, eu não conseguia parar de jogar e o fluxo da jogabilidade deixa as coisas ainda mais viciantes pois sempre existe coisas novas para comprar e colecionáveis novos durante a jornada. Os combates do jogo também são legais e a maioria exige um bom posicionamento para que não sejamos destruídos em poucos minutos, isso logicamente se aplica aos chefes!

Ah, um recurso bacana que precisa ser mencionado é o fato de poder salvar o progresso a qualquer momento, algo que eu recomendo fortemente toda vez que avançar bastante.

UM REMAKE CAPRICHADO

Olha pessoal, que joguinho bonito esse, hein? O remake ficou super bem feito, os cenários são coloridos e cheios de detalhe, os NPCs são bem variados e nem preciso mencionar novamente as animações de Asha, né? O mais legal de tudo é que ele manteve bem a identidade do original que, para aqueles que comprarem a versão física do jogo terá acesso ao Monster World IV original do Mega Drive, um jogo que poucos tiveram acesso na época.

Asha é fofa até boiando.

Infelizmente terei que apontar um pequeno defeito que é a performance, o jogo roda a 30 quadros por segundo, porém em alguns momentos é nítido a queda abrupta de alguns quadros e dependendo do que está rolando na tela pode acabar prejudicando a experiência, houve momentos que errei um salto por culpa disso. Notei um pouco de input-lag nos menus também, mas durante o jogo em si nadinha… menos mal!

As músicas também tiveram melhorias significativas de qualidade e agora a faixa que toca aparece toda vez que você inicia um estágio novo ou até mesmo um encontro com chefe, achei isso demais! Como apreciador de trilhas sonoras de jogo eu gostaria que mais estúdios pensassem nesses detalhes, faz toda a diferença.

ASHEI MUITO BOM

Adorei cada minuto desse jogo, Asha é linda e queria tanto ver mais jogos com ela, mas acho que isso é um sonho bem difícil de ser realizado. Essa série possui um potencial imenso e esse remake provou que ela possui sim um espaço na geração atual de consoles, se você gosta de jogos num estilo clássico 2D com pitadas de RPG, já adianto que demorou para comprar esse jogaço.

Pros

  • Asha rouba a cena, uma das personagens mais fofas dos últimos anos;
  • Uma aventura divertida demais, com boa exploração e combate no ponto;
  • Parte técnica praticamente impecável, jogos coloridos sempre vão se destacar;
  • Longevidade boa para um remake de jogo antigo, há bastante o que fazer aqui;


Contras

  • A performance do jogo ainda não é perfeita, quedas de frame atrapalham um pouco;
  • Um mapa das masmorras faz toda falta;

David Signorelli
Últimos posts por David Signorelli (exibir todos)

Comment here