Análises

Dariusburst: Another Chronicle EX+

6
Pescaria no espaço!

Dariusburst: Another Chronicle EX+ merecia uma conversão mais caprichada nos consoles, infelizmente temos aqui um trabalho que ficou aquém do esperado.

Lançado originalmente para os Arcades em 2011, Dariusburst: Another Chronicle EX+ é um shoot em up(ou jogo de “navinha”, como preferir) que nos consoles parece não fazer muito sentido.

A primeira coisa que você ira perceber ao jogar esse jogo é o formato de tela. Nos Arcades ele utilizava dois monitores lado a lado com a proporção 16:9, ou seja, algo como visto na foto abaixo.

Créditos da imagem: https://new.in-24.com/

Essa escolha foi feita para poder acomodar com facilidade 4 jogadores jogando ao mesmo tempo de forma confortável. O problema é que na versão de consoles, o jogo perdeu um espaço de tela enorme, ficando até difícil de entender o que está acontecendo em determinados momentos.

Aqui você tem uma ideia melhor do campo de visão.

Vou explicar um pouco do meu setup. Joguei Dariusburst: Another Chronicle EX+ em dois Nintendo Switch; o primeiro está na dock conectado em uma TV de 50′ e o outro é um Nintendo Switch Lite. No primeiro caso até que consegui uma experiência razoável, mas com a confortável sensação de que algo estava faltando e confesso que até cheguei a sentar mais perto da TV para avaliar melhor o caso e só piorou. O jogo conta com um botão que dá zoom na tela, porém só serve mesmo em momentos de desespero para tentar evitar ser destruído com a chuva de projéteis inimigos.

No segundo caso, o Switch Lite, é virtualmente impossível jogar Dariusburst: Another Chronicle EX+. Só compre esse jogo se você for jogar na TV e ainda sim não sei se consigo recomendar. Sei que dá a impressão que estou reclamando de algo banal, mas lembre-se que sou um jogador de 30 anos de estrada e que joguei pelo menos 10 anos em TVs de 14′ conectadas normalmente em um sinal RF, a minha reclamação aqui é genuína.

O jogo é bonito, mesmo com tamanho reduzido, não se baseie por essas fotos.

Enfim, vamos supôr que você tenha uma TV consideravelmente maior que a minha e está na seca para jogar um bom shoot em up, nesse caso até que tenho boas notícias. Sou super fã do gênero, cresci jogando Truxton no Mega Drive, Gradius III no Super Nintendo, passando por Einhänder no PlayStation e mesmo o G-Darius no console da Sony, então dá para considerar uma certa bagagem.

Dariusburst: Another Chronicle EX+ possui um controle preciso, com possibilidade de poder se virar e atirar em quem vem atrás de você, permitindo um posicionamento de batalha como visto em poucos jogos. O progresso do jogo funciona de forma similar ao jogo OutRun da SEGA, dá uma conferida na imagem abaixo:

Caminho do modo Original.

Ao invés de escolher uma dificuldade, você vai traçando seu caminho baseando-se por essa “rede”. Não é novidade na série esse esquema de progressão, mas dessa forma eu acho que contribui bastante para o fator replay pois para ver tudo nós teremos que jogar algumas vezes.

No final de cada Zone, enfrentamos um chefe e como de praxe na série os chefes(e alguns inimigos normais também) são todos baseados em criaturas do mar, algo que dá uma identidade bacana para esse shoot em up. Vale lembrar que também é possível jogar o jogo em até 4 jogadores assim como nos Arcades, mas lembre-se do começo dessa análise, se já era difícil enxergar com 1 imagina com 4!

Por sorte o jogo conta com controles eficientes!

Já que voltei a falar dos Arcades, vou aproveitar para falar de outro grande defeito do jogo, a conversão em si. Achei extremamente bizarro quando comecei a mexer nos menus e percebi umas opções que pouco faziam sentido para um jogo nos consoles como Choose Cabinet(escolher cabine)… como assim “escolher cabine”? Me senti mexendo nas configurações de um Arcade, dando a impressão que simplesmente jogaram o jogo para dentro do Switch e esqueceram que ele é um console caseiro, isso fora algumas outras esquisitices de interface que fica até difícil explicar, trabalho preguiçoso pra caramba.

Visto que praticamente transplantaram a versão Arcade pros consoles, eu realmente esperava que o mesmo fosse feito com a parte técnica e felizmente é esse o caso, o jogo é super fiel e digo isso baseado em vídeos que vi da versão Arcade porque jamais acharia uma máquina dessas para jogar no Brasil, imagino que até fora do Japão seja complicado encontrar ela. Se você conseguir enxergar perceberá que temos um jogo bem bonitinho, cheio de efeitos de luz e inimigos bem detalhados, pena que não há muita variedade nos cenários e a sua grande maioria são estágios no espaço, preferia bem mais o que vi em G-Darius.

Alguém aqui não teve muita sorte contra o boss.

A parte sonora foi um destaque positivo no meio dessa bagunça toda. As músicas parecem muito um opera-rock com vocais que ecoam pela sua casa, criando uma atmosfera toda única e durante os chefes a coisa fica ainda mais intensa, compactuando com a realidade presente. Os efeitos sonoros são excelentes também, porém já vi melhores em jogos bem mais antigos.

Por fim amigos, Dariusburst: Another Chronicle EX+ é um jogo difícil de recomendar mesmo para os fãs do gênero e infelizmente não pela sua qualidade em si, mas sim pelo port mal feito e preguiçoso da empresa. Podiam ter adaptado o jogo para os consoles, trabalhado em interfaces mais elegantes e principalmente ter encontrado uma solução para o tamanho da tela, poxa… fico com pena de quem só tem o Switch Lite pois vai precisar de uma lupa.

Espero que o próximo jogo da série receba um cuidado redobrado pois em matéria de gameplay, Dariusburst: Another Chronicle EX+ é bem competente.

Pros
  • Tecnicamente o jogo é bem fiel ao Arcade
  • A parte sonora não deixa à desejar, portanto coloque o som no máximo
  • Controles precisos são essenciais no gênero e aqui não desapontam
  • Modos de jogo que aumentam consideravelmente o tamanho dele
Cons
  • Conversão nas coxas, podiam ter trabalhado bem mais em cima
  • Impossível de jogar de forma portátil no Switch
  • Mesmo em grandes TVs, o tamanho da tela compromete a experiência
David Signorelli
Últimos posts por David Signorelli (exibir todos)

Comment here