Análises

LIVE A LIVE

10
Live A Live é um presente para os fãs do gênero de longa data

É um jogo diferente, único e cheio de personalidade que respeita seu tempo entregando uma história mirabolante e um gameplay cheio de surpresas, recomendo muito para qualquer fã de RPGs.

Live A Live é um jogo originalmente produzido para o Super Famicom composto de vários cenários curtos, cada um ocorrendo em um ponto diferente no tempo, variando do passado pré-histórico ao futuro espacial distante.

Cada cenário apresenta pelo menos um nuance principal que se inclina para o acontecimentos, tornando cada cenário muito diferente um do outro. Essa é a primeira vez que Live A Live é lançada no ocidente e chegou forte em um remake com visuais totalmente retrabalhados utilizando da mesma tecnologia de jogos como Octopath Traveler e Triangle Strategy.

Um homem da tribo chega à idade adulta em um mundo sem palavras

Um Andarilho com uma recompensa pela sua vida

Um Mestre de Kung Fu procura um sucessor digno

Um Shinobi compromete-se a uma importante missão secreta

Um artista marcial se esforça para se tornar o mais forte que já existiu

Um jovem com poderes psíquicos toma uma posição contra o mal

Um robô recém-construído é varrido em uma tragédia no espaço

O que podemos esperar de Live A Live?

Primeiro temos um combate tático que, apesar de não dar a você total liberdade em campos de batalha estilão Final Fantasy Tactics, cada encontro em Live A Live se desenrola em um grid tática onde os personagens podem ser movidos, pois o posicionamento importa com a forma como os ataques se desenrolam. Para ser mais preciso em uma comparação, o jogo Arc the Lad é o que mais se assimila a Live A Live e com certeza o teve como inspiração.

Não se preocupe, o jogo está em inglês!

A dificuldade do jogo é alta, pelo menos grande parte do tempo. Os personagens se curam após o combate, e qualquer personagem que morre em uma batalha estará vivo na próxima rodada e só perde os ganhos de experiência de qualquer batalha que não tenha sobrevivido. Você também está livre para correr da maioria das batalhas. Não fuja muito no final, senão o bicho pode pegar!

Live A Live é um jogo bem diferente em sua premissa. Em vez das tradições usuais de um JRPG, Live A Live trabalha com vários cenários históricos para explorar o gênero em diferentes situações que anteriormente não eram tão explorados, permitindo narrativas que você não pode ter em cenários típicos de fantasia e ficção científica. Em vez de uma narrativa linear, Live A Live apresenta suas histórias em uma série de cenários que você pode jogar de forma totalmente livre. Cada cenário é completamente diferente do outro, com diversos gimmicks únicos.

Muito legal ver um cenário moderno em um RPG!

Agora falando em longevidade… Você tem medo de não ter tempo para Live A Live? Tem outros JRPGs para jogar que serão lançados este mês no Switch? Não tenha medo, um dos outros pontos fortes da Live A Live é que é um jogo mais curto no geral, levando cerca de 20 a 25 horas para uma jogada casual. Você pode esticar mais tempo fazendo tudo (e também é apenas um jogo altamente rejogável, como Chrono Trigger foi) e também pode torná-lo ainda mais curto, para que se encaixe facilmente em sua agenda lotada.

Vamos dar uma olhadinha em cada um dos diferentes cenários:

O Passado Pré-Histórico

Um dos principais gimmicks deste capítulo é que se trata de uma história contada quase inteiramente por meio de pantomima*. Este período de tempo é aquele que existe antes da linguagem, então todos os personagens, humanos ou não, só são capazes de se comunicar através de emoções e ações, tornando-se uma das experiências de narrativa mais interessantes da Squaresoft. Outro gimmick principal é que este cenário não apresenta batalhas aleatórias, mas os inimigos também não são visíveis no mapa até que você faça questão de farejá-los. 

Pantomima é um teatro gestual que faz o menor uso possível de palavras e o maior uso de gestos através da mímica. É a arte de narrar com o corpo. 

Wikipedia

A China Antiga

O gimmick principal deste capítulo é que seu personagem principal está procurando um sucessor. Você pode escolher entre vários aprendizes para treinar ao longo de seu tempo como mestre, mas apenas um pode ser o sucessor no final. Quem for escolhido se tornará o líder real do capítulo.

Japão feudal

A ideia principal para este capítulo é que é uma missão furtiva. Todos os encontros são meticulosamente planejados. Oboro também recebe uma mecânica furtiva de ser capaz de se tornar invisível para os inimigos em um aperto.

O Velho Oeste

Este é um capítulo não-linear onde você tem total liberdade para completar tarefas pela cidade, montando armadilhas e defesas para que você possa mudar a forma como a batalha final com a gangue fora da lei acontecerá.

Tempos Modernos

Este é um capítulo muito leve de RPG, com o truque principal sendo que você escolhe seus oponentes como se fosse um jogo de luta, completo com seleção de personagens no estilo Street Fighter e um tema de batalha da Yoko Shimomura que soa de um jeito que parece ter vindo direto de Street Fighter 2.

O Futuro Próximo

Este capítulo permite que você leia as mentes dos NPCs, dando a você acesso para resolver mistérios e aprender muitas coisas legais.

O Futuro Distante

Este é um capítulo que quase não apresenta combates forçados, sendo quase inteiramente baseado na resolução de quebra-cabeças e na sobrevivência.

Mas o que há de novo nessa versão moderna?

O mais notável de início é que o jogo foi localizado em vários idiomas diferentes, permitindo que seja (oficialmente) jogável por pessoas que não falam japonês e como dito anteriormente estilo 2D-HD do Team Asano foi aplicado a este jogo para dar-lhe uma melhoria visual massiva. O original de 1994 não era exatamente o jogo mais bonito já feito, então esta é talvez uma mudança bem-vinda.

É muito legal ver os inimigos gigantes em batalhas contra chefes.

Vale lembrar também que este jogo agora é totalmente dublado. O próprio dublador de Joseph Joestar(JoJo’s Bizarre Adventure), Tomokazu Sugita, era um grande fã que fez questão de dar voz a vários personagens. Yoko Shimomura também liderou uma versão totalmente dublada de um dos temas mais cativantes do jogo. Confira o tema cantado por Hironobu Kageyama abaixo:

É claro que a Yoko Shimomura (mais conhecida por jogos como Street Fighter 2 e Kingdom Hearts) também voltou para liderar novas versões da trilha sonora do jogo, incluindo pelo menos uma faixa agora cantada anteriormente mencionada. A música original já era incrível e agora está melhor do que nunca.

Só faltou o Shiryu e o Mestre Ancião.

Este é um dos grandes RPGs clássicos da Square que não saiu do Japão em caráter oficial. Também é algo que não estava disponível há 28 anos desde o seu lançamento original, com os únicos relançamentos sendo os lançamentos do Virtual Console no Wii U e New 3DS. O fato de estar recebendo um remake extenso já é grande o suficiente por si só, mas também obter um lançamento global é algo gigante.

Escolha seu destino.

Este jogo é realmente algo especial, cobrindo uma variedade de situações que geralmente não eram abordadas em 1994 e, honestamente, ainda hoje não foram exploradas totalmente em 2022. Francamente, não há nada como esse jogo. Outros jogos tentaram fazer um efeito flashback para época dos 16 bits, mas poucos conseguiram de forma tão bem feita quanto Live A Live.

Também vale a pena notar que este foi o primeiro trabalho completo de Takashi Tokita na direção antes de dirigir Chrono Trigger e Parasite Eve, dois jogos que absolutamente carregam o DNA de Live A Live.

VEREDITO

Live A Live foi com certeza uma das escolhas mais brilhantes que a Square-Enix já teve para fazer um remake, principalmente para nós ocidentais que nunca tivemos a oportunidade de jogá-lo. É um jogo diferente, único e cheio de personalidade que respeita seu tempo entregando uma história mirabolante e um gameplay cheio de surpresas, recomendo muito para qualquer fã de RPGs.

Pros
  • Uma excelente localização para um título que jamais foi lançado no ocidente
  • O jogo possui um tamanho excelente, sem encher linguiça
  • Trilha sonora fantástica
  • O visual novo impressiona bastante
  • Diversão garantida para os fãs de RPGs clássicos
Cons
  • Faltou mais presença feminina no elenco principal
David Signorelli
Últimos posts por David Signorelli (exibir todos)