Jump to content

Goro Daimon 7113

Membros
  • Content Count

    258
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    1

Everything posted by Goro Daimon 7113

  1. Goro Daimon 7113

    Promoções de games. Postem, postem todas!!!!

    https://sempreupdate.com.br/hitman-2-de-graca-para-linux-no-steam-play/
  2. Goro Daimon 7113

    Bolsonaristas.... Hora de virar a casaca?

    Já virei a casaca quando Bolsonaro apresentou a reforma da previdência faz séculos!
  3. A Microsoft está desenvolvendo o MSIX, um novo formato de instalação de software para Windows que conta também com suporte para iOS, MacOS, Android, Linux e até versões mais antigas do Windows. O novo formato, segundo comunicado oficial da empresa, deve ser uma alternativa aos três existentes: EXE, MSI e AppX. O formato de pacote MSIX preserva a funcionalidade de pacotes de aplicativos existentes e/ou instala arquivos, além de permitir novos recursos de empacotamento e implantação para aplicativos Win32, WPF e WinForm. O formato MSIX possui características modernas. Além dos citados Win32, WPF e WinForm, ele retém a funcionalidade de pacotes de aplicativos existentes e/ou arquivos de instalação para migrar versões antigas. Da mesma forma, como já foi dito, suporta vários sistemas operacionais. Segundo a Microsoft, os pacotes MSIX são mais versáteis e independentes de plataforma. A ferramenta de pacote MSIX está disponível na Microsoft Store, com suporte nas versões mais recentes do Windows Insider. Instaladores do Windows A Microsoft tem muitos instaladores. Cada um com pontos fortes e fracos, porém basicamente para fazer o mesmo: empacotar os aplicativos que serão instalados no Windows usando instaladores. Para o usuário, parece simples. No entanto, esse arquivo que você verá com extensões como .exe ou .msi tem um trabalho desconhecido por trás dele. MSI Eles são melhores para instalações simples, especialmente sem supervisão. Eles usam uma interface gráfica de usuário que instala ou desinstala o programa sem extras ou opções. Em essência, este instalador é um conjunto compactado de arquivos do instalador que contém todos os dados necessários para o software. O processo de instalação não detectará se o software já existe ou se algum componente estiver faltando e poderá sobrescrever qualquer arquivo no caminho da instalação. Essa simplicidade permite instalações ‘autônomas’ por padrão. Elas são simples de criar e muito fáceis de implantar pelos administradores. Eles trabalham com qualquer versão do Windows. EXE Eles são mais conhecidos do público em geral. Mais versáteis que os instaladores MSI, eles também são mais complicados de criar e gerenciar devido a seus recursos adicionais. Este instalador pode incluir opções para idiomas, complementos, detectar instalações anteriores e outras funções. Os instaladores de EXE permitem a instalação de rotas customizadas e seleção dos componentes a serem instalados. Os desenvolvedores podem adicionar sua própria marca na interface do usuário, incorporar termos de serviço específicos do idioma ou apontar para uma página da Web para receber uma mensagem de boas-vindas. A instalação autônoma é mais complicado do que com o MSI, mas para uma operação de usuário é igualmente simples: você procura um meio (CD/DVD etc.) ou Internet, baixa o arquivo .exe, executa e instala o aplicativo. Eles trabalham com qualquer versão do Windows. AppX Eles são usados para empacotar aplicativos universais do Windows e compartilhar alguns dos benefícios dos instaladores MSI. Eles são instaladores simples e diretos, com poucas opções para o usuário final. Além disso, eles permitem um caminho de atualização mais simples de versões anteriores do software para versões mais recentes e permitem uma desinstalação mais limpa. Os instaladores do AppX dependem da tecnologia de contêineres. Portanto, eles são isolados do restante do sistema operacional para melhorar a segurança. Sua principal desvantagem é que eles só funcionam na Microsoft Store oficial e estão limitados ao Windows 10 na obsessão da Microsoft em promover este sistema. MSIX, o futuro Um formato de instalador como o AppX, limitado ao Windows 10 e a um formato específico, como o UWP, dificilmente é sustentável. Isso sem mencionar o fracasso da Microsoft Store. Os programadores apostaram cada vez mais no desenvolvimento em iOS, Android e Web, nessa ordem. Portanto, o Windows, hoje, está muito atrasado. Se, como é especulado, a Microsoft eliminar aplicativos Win32 no futuro a situação deve se complicar ainda mais. Um bom começo para tentar reverter esta tendência é o instalador do aplicativo. O MSIX combina os melhores recursos do MSI e do AppX. É um formato de empacotamento direto que os administradores do sistema podem programar para instalações “não supervisionadas”. Do ponto de vista do usuário, um MSIX é instalado como um arquivo MSI, mas dentro dele funciona como um arquivo AppX. Isolamento Com base na tecnologia de contêiner, esse formato é isolado do restante do sistema. Dessa forma, permite desinstalações e atualizações sem problemas . Quando você instala um programa usando MSI ou EXE, o programa pode fazer alterações no registro e criar arquivos e pastas em todo o sistema. Quando você os desinstala, geralmente há arquivos e chaves de registro que permanecem, deixando a bagunça no sistema. Com o MSIX, os programas são instalados em um contêiner. Então, todos os arquivos necessários permanecem dentro desse contêiner ou seguem regras precisas e previsíveis sobre onde esses arquivos podem estar (na pasta AppData, por exemplo). Quando você os desinstala, todos os dados acompanham o programa, não deixando qualquer confusão. Isso significa que seu sistema estará mais limpo no futuro. Compatibilidade com Linux e outras plataformas Outro ponto importante é que é possível distribuir o MSIX fora da Microsoft Store. Isso torna muito mais fácil pegar programas antigos e reempacotá-los sob o MSIX. E o mais importante. A Microsoft lançou um SDK para melhorar a compatibilidade entre plataformas. Como vemos na sua página do GitHub, o suporte é possível para iOS, MacOS, Android, Linux e até versões mais antigas do Windows. O processo é simples. Igualmente, os desenvolvedores colocam instruções especiais nos arquivos MSIX para permitir que você identifique o sistema operacional e as etapas a seguir. A ferramenta de criação do pacote MSIX Packaging Tool está disponível para o Windows 10 versão 1809 ou superior, incluindo versões Insider. Ao mesmo tempo, o projeto e o código-fonte estão hospedados no GitHub. A Microsoft ainda está ajustando os recursos prometidos para esse formato. Assim, ele não deve demorar a ser implantado. Para o usuário final não vai mudar muita coisa. Do mesmo modo, localize o MSIX no seu meio de distribuição ou faça o download da Internet e execute. No entanto, ainda é um instalador de software direto, o que significa que teremos que cuidar da segurança. Assim sendo, permanece o risco de instalar um programa fantástico, um programa lixo ou algo pior: malware. Como nos formatos anteriores, é necessário confiar na origem de onde baixamos esses tipos de arquivos. https://docs.microsoft.com/pt-br/windows/desktop/appxpkg/interfaces https://www.muycomputer.com/2019/02/12/msix/ https://sempreupdate.com.br/microsoft-cria-instalador-de-programas-compativel-com-linux/
  4. Goro Daimon 7113

    O que você está jogando ultimamente?

    Tô jogando esse game maroto: Pokémon let's Go!
  5. Goro Daimon 7113

    O que você esta ouvindo?

    Achei essa massa!
  6. Resumo: Só mais um dia normal na Rússia! Russo com faca cravada nas costas sai de hospital para fumar um cigarro Um russo de 34 anos, identificado por Vladimir deu entrada em um hospital de Kazan na Rússia com uma faca encravada nas costas, nesta segunda feira (25), mas estava tão desesperado para fumar um cigarro que saiu para a área externa par acender o cigarro. Segundo matéria publicada no jornal Komsomolskaya Pravda, o russo só voltou para a maca depois de ouvir uma pessoa da equipe médica dize que ele estava à beira da morte. A cena foi filmada por uma enfermeira e mostram o momento em que funcionários do hospital tentam convencer Vladimir a voltar para a internação. O paciente disse que só iria fumar um cigarro. No vídeo é possível ver que o russo só de cuecas e enfrentando um frio de 10ºCsai à rua, também é possível ver nas imagens a neve caindo na calçada. A faca foi retirada pela equipe médica e, ainda segundo a matéria do Komsomolskaya Pravda, ele continua internado e seu estado de saúde é estável. Fonte: https://bahiaextremosul.com.br/artigo/cenas-fortes-video-mostra-homem-com-faca-cravada-nas-costas-saindo-do-hospital-para-fumar Falow!!!
  7. Controles para jogar games de corrida, desde os simuladores, até os arcades, existem aos montes, certo? Mas, que tal correr uma típica corrida no melhor estilo Mario Kart, dentro de um Mercedes-Benz CLA? Pois foi isso que um pessoal, responsável por desenvolvimento na Daimler Research Group fez. O sistema, que foi adaptado dentro do carro da montadora, funciona com o volante e os pedais. E estava disponível na MWC, em Barcelona. Assim como a iluminação interior, que se ativa com o game, e o cinto de segurança que é ativado logo quando você inicia a corrida. O game utilizado pelos desenvolvedores foi o SuperTuxKart, um jogo open-source no estilão do game de corridas do Mario. De acordo com a matéria do The Verge, o game não conta com uma taxa de quadros perfeita, e pessoas que não estão acostumadas com os carros de luxo da montadora alemã podem “sofrer” um pouco com a adaptação. Mas, nada que atrapalhe uma corrida insana na tela do carro, com direito a armadilhas disparadas nos adversários. É um jeito diferente de se aproveitar um carrão destes. Vale lembrar que há uma amizade interessante entre Nintendo e Mercedes-Benz. Na época do Wii U, a montadora colocou o seu SUV GLA dentro do Mario Kart 8. E depois repetiu a dose, inserindo o possante em Mario Maker. Na época, o comunicado da parceria dizia que tanto a montadora quanto o Mario “compartilham da mesma visão: de inspirar seus consumidores e fãs.” “O Nintendo Switch mais rápido do mundo” Ainda para o The Verge, Sascha Pallenberg, Chefe de Transformação Digital da Daimler, explicou que o CLA tem basicamente o mesmo hardware da Nvidia, presente no Nintendo Switch, o que permitiu que eles buscassem esta aproximação. Assim, ele o descreve como o “Nintendo Switch mais rápido do mundo”. Quem sabe a Nintendo não faz uma nova parceria e faz, de fato, isso acontecer? Imagine só como seria correr em Mario Kart, mas a bordo de um Mercedes-Benz deste. Ou de qualquer outro carrão. Mesmo sendo poucos os felizardos aptos a receber a novidade, com certeza seria uma experiência, no mínimo, curiosa. A de se jogar games de corrida, dos mais variados tipos, direto do sistema do veículo. Fonte: Arkade
  8. Passados mais de trinta anos desde o lançamento do Famicom, é possível afirmar que a distância entre o gamer oriental e o ocidental está cada vez menor. Eles aprenderam a gostar de jogos realistas e FPS, assim como nós abraçamos os RPGs e os jogos mais caricatos, frutos de mentes brilhantes como Hideo Kojima, Shigeru Miyamoto, Shigesato Itoi (Mother), Goichi Suda (Killer 7, No More Heroes) e tantos outros. Se hoje o mundo gamer está passando por um processo de miscigenação, nas décadas de 1980 e 1990 as escolas americanas e japonesas de game design claramente enxergavam os videogames de maneira bastante distinta. Um título que fazia muito sentido para nós, podia representar um fracasso de vendas para os japoneses, e vice-versa. A solução encontrada para resolver esse “problema” foi restringir alguns títulos de cruzarem os oceanos, ou adaptá-los para que se tornassem mais facilmente atraentes para outros públicos. Nesse caso, a opção mais rápida e barata era apenas trocar os sprites dos personagens e tudo certo: um jogo novinho, pronto para as prateleiras. Quem foi craque nesse processo, pelo menos por aqui no Brasil, foi a Tec Toy (hoje se escreve tudo junto, TecToy). A empresa brasileira fez diversas adaptações especiais para cativar o mercado interno, lançando títulos como Mônica no Castelo do Dragão (baseado em Wonder Boy in Monster Land), Geraldinho (personagem do cartunista Glauco, adaptado a partir de Teddy Boy) e outros. Que tal recordar com a gente dez clássicos que foram lançados em outros países com sprites, animações e até mesmo seus títulos trocados? Tem muita coisa boa na lista! 10. Super Mario Bros. 2 / Yume Kojo: Doki Doki Panic (NES/Famicom) Começamos pelo caso mais famoso de todos pra ajudar o véio leitor a entender as motivações das empresas por trás da manobra. Passado o sucesso estrondoso de Super Mario Bros., os japoneses logo receberam uma nova versão do título, mas com um nível de dificuldade ligeiramente superior. Imaginando que o público norte-americano não lidaria bem com o nível de desafio proposto, em vez de lançarem o jogo por aqui, trataram de adaptar uma versão de um outro título que nada tinha a ver com o original. Dessa forma, Yume Kojo: Doki Doki Panic teve seus quatro personagens originais (de origem árabe, bem no estilo Aladdin) trocados por Mario, Luigi, Toad e pela Princesa Toadstool. Os dois últimos, estreando como personagens jogáveis. Posteriormente, o Super Mario Bros. 2 do ocidente foi lançado nos EUA como Super Mario Bros. USA. Já o Super Mario Bros. 2 japonês, veio pra cá como Super Mario Bros. The Lost Levels, dentro da coletânea Super Mario All-Stars, do Super Nintendo. 9. Probotector / Contra III (SNES) A série Contra é considerada um dos clássicos do gênero Run and Gun, e ficou muito famosa nos arcades e consoles caseiros de todo o mundo. Mas o terceiro título da franquia, curiosamente, teve seu nome e sprites trocados no continente europeu. Probotector, como o jogo ficou conhecido por lá, trocou os personagens humanos pela dupla de robôs RG011 e RD008. Dessa forma, tanto as cenas in game quanto a introdução e o final do jogo tiveram que ser redesenhadas. Localizar os jogos na década de 90 na Europa era algo bastante difícil, já que cada país tinha suas próprias leis para lidar com certos temas. Na Alemanha, por exemplo, Contra foi barrado por ter personagens humanos atirando uns nos outros. Contra III, por acaso, não tinha nenhum inimigo humano, mas o jogo acabou renomeado e alterado para evitar problemas legais. Mais pra frente as leis nesse sentido se abrandaram e os europeus passaram a receber os jogos com o nome Contra, como no resto do mundo. 8. Turma da Mônica / Wonder Boy (Master System/Mega Drive) A heroína dentucinha dos quadrinhos brasileiros já foi citada na introdução, mas merece seu lugar de destaque por ter estrelado não apenas um, mas três jogos com sprites trocados. Em todas as três vezes, a série de origem foi Wonder Boy: Mônica no Castelo do Dragão / Wonder Boy in Monster Land (Master System); Turma da Mônica em O Resgate / Wonder Boy III: The Dragon’s Trap (Master System); Mônica na Terra dos Monstros / Wonder Boy in Monster World (Mega Drive). A série de jogos Wonder Boy mistura o clássico gênero de plataforma com algumas pitadas de RPG, permitindo que o personagem adquira novos equipamentos através do uso de moedas que caem dos inimigos. Até mesmo a espada do protagonista foi adaptada, transformando-se no fiel companheiro da Mônica, o coelho azul de pelúcia Sansão. 7. Black Belt / Hokuto no Ken (Master System) Publicado originalmente no Japão entre 1983 e 1988, Hokuto no Ken é um dos maiores ícones do gênero de luta dos mangás. Contudo, seu sucesso no ocidente foi tardio, razão pela qual a Sega decidiu adaptar o jogo para um roteiro mais genérico e, teoricamente, de fácil compreensão. Kenshiro, o protagonista do mangá, foi transformado no carateca Riki (que inclusive luta a caráter, vestindo um quimono e descalço). Sua missão é salvar a sua namorada das mãos do vilão Wang (Raoh, no original). Curiosamente, o mesmo fenômeno ocorreu com a adaptação do mangá para o Mega Drive: Hokuto no Ken – Shin Seikimatsu Kyūseishu Densetsu virou Last Battle, deixando de lado todo o roteiro da obra original. Pobre Kenshiro! (Abaixo, comparação entre Last Battle e Hokuto no Ken, feita pelo canal VC Decide) 6. Sapo Xulé vs Os Invasores do Brejo / Psycho Fox (Master System) Mais uma da Tec Toy! Dessa vez, com um rom hack de Psycho Fox, título de plataforma cheio de personalidade, mas que não fez muito sucesso por aqui. No original, você controla uma raposa que tem a capacidade de se transformar em outros animais, sendo que cada um deles tem uma habilidade diferente. O tigre é o mais ágil, o macaco salta alto e o hipopótamo é capaz de quebrar alguns blocos com sua força avantajada. O Sapinho do pé fedido ainda estrelou outros dois jogos, também via rom hack da Tec Toy: Sapo Xulé: S.O.S. Lagoa Poluída / Astro Warrior (Master System) Sapo Xulé – O Mestre do Kung Fu / Kung-Fu Kid (Master System) 5. Street Combat / Ranma ½: Chonai Gekitohen (SNES) A exemplo do item 7 dessa lista, Ranma ½ também sofreu do mal do “anime pouco conhecido”. Ou pelo menos, assim pensaram os seus produtores, ignorando que a obra máxima de Rumiko Takahashi sempre teve uma grande legião de fãs em todo o mundo, mesmo antes de a obra ser licenciada por aqui. Mesmo assim, o jogo foi adaptado para Street Combat, com o elenco reduzido a uma amálgama sem graça dos personagens de World Heroes, além de ter a trama toda descaracterizada. O Ranma na versão masculina virou Steve, enquanto a versão feminina virou… Steve, só que sem armadura. Enfim, uma piada de mau gosto. O que salva a nossa consciência é que esse não era o melhor jogo da série Ranma, já que Ranma ½ Hard Battle é muito mais divertido! 4. Dragon Power / Dragon Ball Shen Long no Nazo (Famicom) Dragon Ball Shen Long no Nazo foi o segundo jogo de Famicom baseado na franquia de Akira Toriyama e o primeiro jogo baseado na série a ser produzido e distribuído pela Bandai. Vejam bem, estamos falando do mangá de maior sucesso em toda a história, e mesmo assim nem ele foi capaz de escapar da implacável localização ocidental. No mercado americano, o jogo foi transformado em Dragon Power, com uma nova trama totalmente diferente da original, fugindo assim do licenciamento da franquia e dos personagens da série. Definitivamente, eram outros tempos… 3. Alex Kidd: High-Tech World / Anmitsu Hime: From Amakara Castle (Master System) Mais um jogo baseado em mangá que acabou transformado para vender mais. Aproveitando que o mascotinho da Sega estava em alta, decidiram lançar Princess Anmitsu por aqui como Alex Kidd, trocando os sprites e a trama. No fim das contas o jogo até conseguiu as vendas que queria, mas ajudou um pouco a queimar a imagem do pequeno herói radaxiano. O jogo não estava à altura de Miracle World e Shinobi World, outros jogos de Alex, apresentando fases em estilo RPG e outras em plataforma. Nenhuma delas merece destaque. 2. Universal Soldier / Turrican II (Multi) Outro run and gun de sucesso, mas que teve o azar de cruzar o caminho de Jean Claude Van Damme. Turrican II (Amiga, PC, Commodore 64) já estava pronto para ser portado para os consoles caseiros, quando alguém do staff da Accolade levantou a bola de transformar o título em uma adaptação do filme Soldado Universal. Se em Probotector tivemos os protagonistas humanos se transformando em robôs, aqui aconteceu o contrário: os robôs se transformaram em soldados fuzileiros navais, assim como alguns inimigos e chefes. Pior: em alguns casos os sprites sofreram ajustes de tamanho, mas as hit boxes, não. Pra fechar a tampa do caixão de bosta, três fases foram limadas do original e substituídas por outras piores, só pra amarrar a trama e deixá-la mais parecida com o filme. 1. Decap Attack / Magical Hat (Mega Drive) O sucessor espiritual de Psycho Fox, Magical Hat, também passou por uma metamorfose antes de ser lançado no ocidente. Baseado no anime de mesmo nome, lançado pelo Studio Pierrot, no original você controla um menino de turbante que precisa salvar o mundo do Jiark. Mas uma vez que a história não era conhecida fora do território japonês, a trama acabou sendo toda reestruturada para dar vida a Decap Attack, só que transformando toda a atmosfera colorida do título em algo muito mais macabro e sombrio. Afinal de contas, você agora controla Chuck D. Head, uma múmia que usa a própria cabeça como arma. Essa é uma das apropriações de engine mais bem feitas, já que a equipe de produção do jogo pelo menos se deu ao trabalho de redesenhar todos os cenários e inimigos, dando mesmo a impressão de que estamos diante de um outro jogo. Chega a ser louvável, além de ter feito bastante sucesso no ocidente. Fonte: Jogo Véio
  9. Goro Daimon 7113

    Nintendo Switch - TÓPICO OFICIAL

    Alguém daqui já cantava essa pedra. Não sei se foi o @burn ou o @Snayperskaya https://tecnoblog.net/280124/nintendo-switch-android-q/amp/ Nintendo Switch roda Android Q de forma não-oficial Ainda não dá pra jogar PUBG Mobile, mas dá pra utilizar um navegado Dois desenvolvedores, Max Keller e Billy Laws, conseguiram instalar uma versão do Android Q, que ainda não tem nome de sobremesa, dentro de um Nintendo Switch. O port ainda está em estágio inicial de adaptação, mas já oferece suporte para conexões sem fio e até para utilizar os dois Joy-cons como controladores para games. Foi o que pensaram dois desenvolvedores, que conseguiram instalar uma versão bastante preliminar do Android Q, com muito do dispositivo já funcionando sem problemas – como as conexões Wi-Fi e Bluetooth. Por outro lado, os drivers para a GPU ainda são crus e é por isso que no vídeo há pequenos travamentos e lentidão bastante alta para um console que consegue rodar até Wolfenstein II: The New Colossus. Ainda é cedo para afirmar que o Android está pronto para o dispositivo e é bem óbvio que compatibilidade não está no rol de possibilidades que a Nintendo preparou para o Switch. De qualquer forma, seria interessante transformar o console em um tablet de verdade – já que ele é um portátil, o mais potente do mercado.
  10. Goro Daimon 7113

    RESIDENT EVIL 2 REMAKE - TÓPICO OFICIAL

    Aviso! NSFW e pode conter spoilers... Nesse mostra melhor:
  11. O Mega Drive Mini, um dos mais importantes projetos da Sega atualmente, tinha lançamento originalmente marcado para o ano passado, na comemoração dos 30 anos do console. No entanto, visando a melhor qualidade possível de acabamento e construção do aparelho, a empresa adiou o lançamento para 2019, sendo que recentemente a Sega do Japão começou uma pesquisa em suas redes sociais, perguntando aos fãs para votarem em alguns jogos que gostariam de ver no mini console – pesquisa essa também disponível no site oficial da Sega. Os fãs devem escolher entre jogos de três franquias: Sonic 1 vs Sonic 2; Puyo Puyo vs Puyo Puyo 2 e Shining Force vs Shining Force 2. Os resultados serão divulgados durante o evento Sega FES 2019, que será realizado entre os dias 30 e 31 de março no Bellesalle Akihabara em Tóquio, Japão. Vale lembrar que esses jogos valem para a versão japonesa do Mega Drive Mini e eles podem não aparecer nas versões ocidentais. Até o momento, o sistema continua sendo um mistério, sem qualquer informação sobre quantidade de jogos, valor, data de lançamento, etc. Fonte: Blog Tectoy
  12. Goro Daimon 7113

    IGN bloqueou nosso vídeo de MK11

    Muito bom esse vídeo!
  13. Saturn na LCD Por muito tempo a emulação de Saturn se manteve presa aos 240p, entupida de serrilhados e dithers que nas telas LCD atuais fazem os olhos sangrarem. O Yabause abriu um caminho interessante ao permitir que os jogos emulados fossem renderizados acima da resolução nativa. A audácia do Yabause tinha um preço, instabilidade e baixa compatibilidade. Às vezes era tanta dor de cabeça que mais valia a pena jogar com serrilhados terríveis em outros emuladores. O projeto YabaSanshiro, um port não oficial do Yabause, trouxe mais qualidade e compatibilidade à emulação iniciada pelo Yabause, isso permitiu emular Saturn com os gráficos abaixo, com compatibilidade maior, de maneira estável e com 60fps: O Kronos é uma versão do YabaSanshiro. O projeto Kronos teoricamente leva a emulação do Saturn a um novo patamar, com um forte suporte aos modernos OpenGL, permite até trazer aos gráficos filtros como o famoso xbr. Já testei a versão aplicativo do Kronos. Quem quiser baixar e experimentar: http://www.tradu-france.com/download.php?emul=146 Porém, pra mim, rodou muito pouca coisa (Panzer Dragoon, Clockwork...) e ainda prefiro rodar a versão YabaSanshiro. Porém o Kronos está chegando ao retroarch: [MEDIA=twitter]1055604075683897346[/MEDIA] Isso pode ser um divisor de águas na emulação do Saturn. Matéria no site libreto: https://www.libretro.com/index.php/introducing-kronos-a-new-sega-saturn-stv-emulator/ ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Introducing Kronos: a new Sega Saturn/ST-V emulator December 23, 2018 BarbuDreadMon Kronos is a fork of YabaSanshiro, which is itself a fork of Yabause. The project was started by François, his main goal was to have an emulator benefitting from YabaSanshiro improvements, while being friendly with x86_64 architecture and desktop computers. Over time, several new features were added : [*]Sega ST-V emulation (the arcade version of the Sega Saturn) [*]Modern OpenGL Core support, it should now have a fair compatibility, even with intel GPUs, the minimum requirement is OpenGL 3.3 Core, and 4.2 if you want to benefit from gpu tesselation Additional things to know : [*]It’s using a high performance SH2 cached interpreter, albeit different from the dynarecs used in YabaSanshiro, the CPU frequency requirement is still around 30% lower than an emulator using a classic SH2 interpreter like beetle-saturn [*]It’s compatible with beetle-saturn savefiles, there is even a core option to load them from the same path [*]It’s compatible with zipped cue+bin+wav isos, you don’t need to uncompress them or convert them to CHD [*]There are several core options to improve rendering (tesselation, upscaling, …) Shining Force 3 on Sega Saturn : Cotton 2 on Sega ST-V : Things to do/fix : [*]Improve compatibility with non windows/linux platforms, in the case of MacOS X we’ll first need a retroarch with OpenGL 3.3 enabled [*]Improve input lag, we are 1 frame behind beetle-saturn at the moment [*]Add CHD support [*]Hook optional YabaSanshiro SH2 interpreters as core options, while they are not cross-platform, they could be interesting to further improve performances on their respective platforms (x86_32,arm,arm64) [*]Hook alternative input devices (lightgun, mouse, keyboard, …) [*]Fix the “toggling fullscreen/windowed” issue (it will result in a black screen if you do that while playing) [*]Fix game specific issues, detailed reports are welcome at https://github.com/FCare/Kronos/issues O core em ação: [MEDIA=youtube]mpxVIdV8KzE[/MEDIA] www.youtube.com/watch?v=mpxVIdV8KzE ---------------------------------------------------------------- Infelizmente, ainda não consegui o Core do Kronos e dizem que ele não é compatível com todas as plataformas. Tentei atualizar com o update online e nada aparece. Alguém já experimentou esse Kronos? Não lembro de ter visto comentários sobre ele por aqui.
  14. Goro Daimon 7113

    Filmes

    Esse filme foi feito nesse programa: https://sempreupdate.com.br/sony-lanca-o-opencolorio-ferramenta-livre-que-criou-homem-aranha-no-aranhaverso/ Tem para Windows! Show de bola!
  15. Goro Daimon 7113

    Filmes

    Vi WiFi Ralph: quebrando a internet. Filminho legal!
  16. Goro Daimon 7113

    Mais um jovem vítima da sociedade morre

    Jovem morre após levar uma gravata de segurança em supermercado na Barra da Tijuca RIO — Um jovem de 19 anos morreu após levar uma "gravata" de um segurança no supermercado Extra, na unidade da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. A ação aconteceu no início da tarde desta quinta-feira. De acordo com o Corpo de Bombeiros, ele foi identificado como Pedro Gonzaga. O jovem chegou a ser levado com uma parada cardiorrespiratória para o Coordenação de Emergência Regional (CER) da Barra, mas morreu na unidade. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o momento em que um dos seguranças dá a gravata no rapaz. Na cena, em que ele aparentemente está desacordado, algumas testemunhas chegaram a afirmar e alertar os seguranças: "está sufocando ele", disse uma delas. "Ele está roxo", falou outra. No registro, uma mulher pede para que ele seja solto: "não está armado". Há outros seguranças no local. Em outro vídeo também é possível ver bombeiros socorrendo o jovem. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o socorro foi acionado às 12h47m. Seguranças foram afastados Por meio de nota, o supermercado Extra afirmou que a ação do segurança foi uma reação a uma "tentativa de furto a arma de um deles": "A rede esclarece que repudia veemente qualquer ato de violência em suas lojas. Sobre o fato em questão, a empresa já abriu uma investigação interna e constatou de forma inicial que se tratou de uma reação a tentativa de furto a arma de um dos seguranças da unidade da Barra da Tijuca", diz um trecho do comunicado, que prossegue: "Após o indivíduo ser contido pelos seguranças, a loja acionou a polícia e o socorro imediatamente. A empresa já abriu um boletim de ocorrência e está contribuindo com as autoridades para o aprofundamento das investigações", finalizou a empresa. /////// Coitado do jovem, ele apenas quis tomar a arma do segurança, poxa normal neh, onde ja se viu isso... Tem que dar uma medalha pra esse segurança. Fonte https://m.extra.globo.com/casos-de-...o-na-barra-da-tijuca-veja-video-23453925.html
  17. Já vi o vídeo. Melhor que muito pornô por aí! hahahahahahahahahahahahahaha
  18. EU fiquei sabendo disso. Cada um com sua maluquice. Eu jamais deixaria comerem minha namorada. Que coisa de doido. Mais doido é um cara casado com a Juju Doidera! Esse caso parece isso aqui ó:
  19. Goro Daimon 7113

    O que você esta ouvindo?

    HAUahUAHUAhUAHUAhUAHU sensacional! Minha vez:
  20. EDIT: AQUI A PATENTE. https://patents.google.com/patent/US9892024B2/en?oq=9892024 Vcs já devem estar sabendo do rumor de que o ps5 será retro compatível com todos os playstations anteriores. Mas o que eu achei interessante nessa história é que não será uma emulação por software, e sim por hardware. A sony patenteou uma nova tecnologia de retrocompatibilidade, contida num fluxograma que está rolando pela net (infelizmente só achei ele em resoluções muito altas por isso não vou postar) Parece que o hardware analisa o disco inserido e se encarrega de emular o videogame necessário. Não sou expert neste tipo de coisa, mas me parece uma proposta bem similar a um FPGA. Isso seria a solução definitiva ao meu ver. Um playstation para todos dominar. Imagina se fizer um upscale decente de jogos de ps1 e ps2? Eu ia comprar um ps4 em abril, mas se isso se confirmar vou aguardar o ps5. Sou capaz até de vender meus ps1, 2 e 3. Eu estou bem animado com a possibilidade de ter uma solução prática e bonita para toda minha coleção de playstations. Acho que essa pode ser a maquina definitiva para quem coleciona sony. E vcs, o que acham? Será que vai rolar mesmo ou é só boato? Se rolar, temos chances de ter algo realmente bom? Ou será que só será retro compativel se for por mídia digital (meeeedo )
  21. Só falta a Nintendo querer lacrar e botar Pokémons gays!
×