Jump to content
Agent-X

Limite de dados em internet fixa irá prejudicar milhões de brasileiros

Recommended Posts

Vivo, NET e Oi, três das principais operadoras de telecomunicação do Brasil, anunciaram recentemente que todos os seus planos de internet fixa serão oferecidos com um limite de dados. Desse modo, mesmo conexões por ADSL - aquelas em que a rede aproveita a linha de telefone do usuário - funcionarão por franquia, como nos planos de internet móvel.

Em outras palavras, as operadoras poderão cortar ou reduzir a velocidade da internet quando o usuário atingir o limite. Atualmente, os planos de internet fixa são regulados por velocidade, e não há volume máximo de dados. Um consumidor pode baixar filmes, músicas e assistir vídeos o quanto quiser, pagando apenas pela velocidade com que esses dados trafegam. Com um limite de consumo, a experiência do usuário é seriamente prejudicada.

Veja o caso da Netflix, por exemplo. O serviço de streaming oferece diversos filmes e séries de TV em alta resolução, sendo que um vídeo em HD (a partir de 720p) consome algo em torno de 3GB por hora, segundo a empresa. Se você assistir a dois episódios da sua série favorita por dia, com cerca de 50 minutos cada um, e em alta resolução, ao fim do mês você terá gasto 180GB da sua franquia de dados fixa. Só com Netflix.

Acrescente ao cálculo todos os outros aplicativos da vida moderna que consomem cada vez mais dados. Pense em quantas horas de vídeos no YouTube você assiste por mês, em quantos vídeos e fotos são exibidos na sua linha do tempo no Facebook ou no Twitter, no número de imagens que você baixa no Snapchat e nas atualizações de apps que o seu smartphone exige diariamente.

Agora multiplique esse número pela quantidade de dispositivos ligados à sua rede fixa, incluindo celulares da família, computador, laptop, tablet e videogame, por cabo ou pelo Wi-Fi. Ao fim das contas, você perceberá que um plano de 130GB - o mais alto e caro oferecido pela Vivo, por exemplo - não é muita coisa.

E é justamente nesse ponto que se encontra o "trunfo" das operadoras de telecomunicações, que agora possuem argumentos não só para convencê-lo a aumentar a velocidade da sua internet, mas também a contratar uma franquia com limite maior, e, consequentemente, mais cara, ou ainda mudar-se para a fibra ótica.

Isso é permitido?

Atualmente, mais de 25 milhões de brasileiros acessam a internet por redes fixas. Com essas novas regras, muitos usuários poderiam ser prejudicados pela interrupção inesperada de serviços ou mesmo por uma queda na velocidade quando atingissem o limite de suas franquias. Mas o que a lei tem a dizer?

20160315122636.jpg

O modelo de cobrança é regulamentado normalmente pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), assim como é permitido em contratos de redes móveis. As operadoras só precisam respeitar algumas exigências, como a de oferecer ao consumidor uma ferramenta para que ele monitore o volume de dados consumido em tempo real. Além disso, as empresas devem alertar o usuário quando ele estiver perto de atingir o limite contratado.

O Marco Civil da Internet também dá liberdade para que as operadoras cobrem o cliente da maneira que acharem melhor. A única restrição, nesse sentido, se refere ao conteúdo: uma empresa não pode impedir o usuário de acessar alguns sites, mas podem, sim, interromper a conexão do consumidor em caso de "débito diretamente decorrente de sua utilização".

Como saber se serei afetado?

Por enquanto, as novas regras afetam apenas usuários de conexões ADSL, deixando "ilesos" os consumidores de internet por meio de fibra ótica. Clientes da NET também já acessam a rede pelo regime de franquia de dados há tempos, o que a empresa justifica em seu site oficial dizendo que "se preocupa muito com a qualidade dos serviços que presta".

"Um fator chave para garantir a velocidade de conexão da banda larga é ter a rede corretamente dimensionada para atender bem todos os nossos clientes. O perfil de utilização de cada cliente impacta diretamente no tráfego e com isso a NET tem consistentemente conseguido oferecer maior velocidade e menor preço", argumenta a companhia.

Já a Vivo, recém-chegada ao ramo de cobrança por franquia, estabelece as seguintes métricas:

  • Banda Larga Popular de 200 kbps: 10 GB por mês
  • Banda Larga Popular de 1 e 2 Mbps: 10 GB por mês
  • Vivo Internet de 4 Mbps: 50 GB por mês
  • Vivo Internet de 8 e 10 Mbps: 100 GB por mês
  • Vivo Internet de 15 Mbps: 120 GB por mês
  • Vivo Internet de 25 Mbps: 130 GB por mês

A cobrança franqueada começou a valer na Vivo desde o último dia 5 de fevereiro. Contratos estabelecidos antes dessa data, porém, serão mantidos ilimitados até o dia 31 de dezembro de 2016. Já os planos da Oi são um pouco mais generosos com quem possui planos de internet mais lenta, mas também são mais restritivos chegando aos valores mais altos:

  • Até 600 kbps: 20GB por mês
  • Até 1 Mbps: 40 GB por mês
  • Até 2 Mbps: 50 GB por mês
  • Até 5 Mbps: 60 GB por mês
  • Até 10 Mbps: 80 GB por mês
  • Até 15 Mbps: 100 GB por mês

A Tim, que também oferece serviço de internet por conexão ADSL, não possui planos sob franquia. Em nota, a empresa afirmou que também não pretende mudar seu modo de cobrança por enquanto.

Próximos passos

A 1ª Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor (Prodecon) do Ministério Público do Distrito Federal deu início a um processo que investigará essas ofertas da Vivo, Oi e NET. De acordo com o promotor Paulo Roberto Binicheski, a cobrança com limite de dados é desvantajosa para o consumidor.

"A proposta de alteração do sistema de cobrança reflete planos comerciais abusivos, com o propósito disfarçado de encarecer os custos de utilização da internet pelo usuário médio", disse Binicheski em nota divulgada à imprensa. Ao consumidor, resta aguardar o desenrolar dos fatos e, assim como já faz no celular, tentar restringir os gastos com internet mesmo quando estiver em casa.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Que orgulho de viver nesse país.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Imagino que já tenha passado da hora da policia federal investigar a Anatel, pois não imagino que alguém de bom grado fique dando "ok" para qualquer ideia cruel que possa surgir. Devem ser dezenas de propinas e planejamentos maliciosos.

Uma saida que estou tendo de uns tempos para cá é usar o Wifi dos lugares que frequento ao inves da franquia do celular. Confesso que no começo pareceu absurdo e esquisito, mas hoje nem sinto mais falta das franquias, claro que fica sempre aquela dúvida de, "e se algo acontecer na rua ou em um lugar sem acesso wifi?!"... bem, esse é o problema da minha estrategia. :muangief:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Esquece jogo digital se for assim né...

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Anatel é um erro. Uma merda criada pelo THC que dever ser extirpada deste pais.

Share this post


Link to post
Share on other sites

NET Virtua já praticava o lance da franquia, não? Nunca tive problemas com isso.

Nunca tinha parado pra pensar quantos gigas um filme HD no Netflix consumia. É bastante coisa.

Se aqui não existisse a ANATEL, isso não seria problema. Se uma operadora implementa o limite, outra tira ele e conquista os clientes. Mas por causa da ANATEL, o tal livre mercado não existe, TODAS as operados combinam limitar a internet, ninguém mais consegue entrar no mercado pra competir e todos nos fodemos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

gvt ta d boa?

vai lucrar com isso.... ou não, vai entrar no bonde.

GVT virou Vivo. Foi comprada faz um tempo e a marca "GVT" vai ser extinta e virar "serviços Vivo".

NET Virtua já praticava o lance da franquia, não? Nunca tive problemas com isso.

Nunca tinha parado pra pensar quantos gigas um filme HD no Netflix consumia. É bastante coisa.

Se aqui não existisse a ANATEL, isso não seria problema. Se uma operadora implementa o limite, outra tira ele e conquista os clientes. Mas por causa da ANATEL, o tal livre mercado não existe, TODAS as operados combinam limitar a internet, ninguém mais consegue entrar no mercado pra competir e todos nos fodemos.

Exatamente!

As agências reguladoras que em tese deveriam servir para regular a QUALIDADE dos serviços prestados, servem na verdade como protetoras de monopólio. É muito difícil uma empresa nova conseguir entrar no mercado e as que já estão fazem cartel de preços e modelos abusivos.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Cara não tem notícia boa pra esse país mesmo hein? Passou da hora de vazar dessa merda.

  • Like 6

Share this post


Link to post
Share on other sites

Cara não tem notícia boa pra esse país mesmo hein? Passou da hora de vazar dessa merda.

Cara não tem notícia boa pra esse país mesmo hein? Passou da hora de vazar dessa merda.

Espera vir o ajuste do Iptu que vc nao viu nada hahaha

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu não entendo o problema com o consumo de dados.

Não são as operadoras que "produzem" estes dados. Elas apenas criam as pontes de acesso e a lógica me diz que neste caso eles precisam manter e aumentar as pontes de acordo com o número de acessos.

Se querem diminuir pra agregar mais pessoas sem que haja o devido suporte e investimento na conexão, lamento muito, mas a realidade não é esta.

E tampouco devemos aceitar já que é uma afronta ao nosso direito de consumidor. Por isso que esta merda de agência reguladora precisa acabar. Quem deve regular o mercado somos nós, consumidores.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Cobrar por franquia de dados hj é tão atrasado quanto se tentassem voltar para a franquia de minutos do inicio da internet discada.

Hj vivemos na era da internet das coisas. Dados e aplicações migrando para nuvem. Os usuários perderam o controle do que sai de seu computador, o que o deixa refém em relação a consumo de franquia mensal.

Imaginem coisas como o Windows 10, que tem uma telemetria fudida, que manda tudo o que vc faz para a nuvem e que faz atualizações a todo o momento. Alie isto a Spotfy, Netflix, Dropbox e afins. Os 100 GBs que eles estão querendo dar para os planos razoáveis (25MB/s) chega a ser uma piada completa.

Já vivemos sob a ilegal venda casada dos combos (posso comprar separado? Posso. Mas o preço é tão absurdamente caro que fica quase o mesmo com ou sem TV) e agora vamos viver sob a imoral franquia.

Edited by darkshi

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aqui até pouco tempo era 15MB com limite de 60GB, mas troquei o plano para 20MB e sem limite. Espero que ao menos seja assim até o fim do contrato.

Share this post


Link to post
Share on other sites

GVT é da vivo... foi comprada a muito tempo e a marca esta para sumir do mapa...

Tenho NET em casa, assisto muito filme via netflix e via popcorntime, fora que os jogos do XONE consomem uma porrada de gbs...
Mas apesar de ter limitação, nunca identifiquei nenhum problema, lentidão ou qualquer outro problema...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×