Análises

Valkyrie Elysium

9
It Shall Be Engraved Upon Your Soul!

A Soleil conseguiu pegar a alma dos jogos Valkyrie e colocá-la em um novo recipiente. Pode parecer e jogar de forma diferente, mas certamente tem o coração da série nele.

Ser fã de uma franquia de longa data e amada pode ser um assunto frustrante às vezes. Talvez a franquia possa passar décadas sem um novo lançamento, garantindo que se torne pouco mais que uma memória nostálgica.

A publisher pode tentar tirar o máximo proveito da IP lançando um jogo gacha de celular que beira a ser totalmente abusivo. Talvez um sucessor espiritual seja feito e erre completamente o alvo, deixando os fãs preocupados que a magia simplesmente se foi. O próximo passo? Que tal um spin-off de RPG de ação de um desenvolvedor sem relação com a equipe original? Tudo isso aconteceu com a série Valkyrie. No entanto, enquanto fãs como eu estavam preocupados com a revelação inicial de Valkyrie Elysium, a desenvolvedora Soleil provaram que eles também são fãs com um grande amor pela série. Eles construíram uma base sólida, mas podem ter se contido um pouco demais.

Nibelung Valesti!

Desde o momento em que foi anunciado, Valkyrie Elysium era um jogo sobre o qual eu estava otimista. Embora a revelação tenha sido uma exibição ruim, os trailers subsequentes foram mais promissores. Como os jogos Valkyrie Profile são facilmente um dos meus jogos favoritos, foi difícil não se sentir preocupado e desapontado. Eu me preparei para uma imitação barata que vimos em outras franquias – um sentimento que os fãs das séries Front Mission , Shining e Valkyria conhecem muito bem. Embora a prévia da demo fosse promissora, era difícil não deixar de lado a preocupação. Felizmente, Valkyrie Elysium parece uma nova visão da série, mantendo-se fiel à maioria dos temas e elementos da série.

A mudança de gênero de RPG baseado em turnos para RPG de ação não é particularmente surpreendente, especialmente devido à ênfase da série Valkyrie em golpes cronometrados, malabarismos com inimigos e acumulando centenas de hits em inimigos num meio de um super combo. Os Einherjar – guerreiros caídos que lutam ao lado de uma valquíria – atuam como aliados convocados com habilidades elementares em um limite de tempo. As Artes Divinas, compostas por magia e habilidades familiares, também retornam. Existem muitas partes e peças familiares da série Valkyrie reunidas nesta nova empreitada, mas ainda parecem um pouco estranha.

Os efeitos de magia dão uma cor para esse mundo.

Embora Valkyrie Elysium seja um RPG de ação na superfície, ele se inclina muito mais para um jogo de ação/hack n’ slash do que eu esperava. Valkyrie Elysium vai mais longe no estilo Devil May Cry , expandindo continuamente a lista de movimentos, concedendo vários lançadores, estilo o Witch Time de Bayonetta , esquivas, contra-ataques perfeitos, defesas e muito mais. A lista de movimentos rapidamente se torna vertiginosa à medida que você aprende novos movimentos vinculados às suas fases de salto e esquiva. Por exemplo, ataques diferentes serão acionados dependendo se você pulou uma vez, pulou duas vezes ou se esquivou uma ou duas vezes. A variedade que o combate oferece mantém as coisas novas e divertidas, e parece que algo novo está sempre sendo adicionado graças à árvore de habilidades e ao sistema de atualização de armas.

A Valquíria é linda.

A jogabilidade de Valkyrie Elysium não é a única parte que abriga elementos familiares da série Valkyrie . A narrativa principal do jogo parece uma reviravolta no Valkyrie Profile original. Uma Valquíria aparentemente vazia é enviada a Midgard para purificar e coletar almas para o Pai de Todos Odin, mas é difícil acreditar em sua palavra. Depois de passar um tempo com os humanos, a Valquíria começa a desenvolver sua própria personalidade, questiona sua própria existência e, eventualmente, pondera a verdadeira natureza de suas ordens sagradas. O enredo principal tem muitos paralelos com o jogo original, e as histórias einherjar são igualmente tristes. Graças ao pequeno elenco de Einherjars, há muito mais foco e crescimento pessoal, e vê-los formar amizades é um toque que aprecio muito. Enquanto as histórias einherjar são melancólicas e únicas, os fãs da série Valkyrie acharão a trama principal um pouco previsível.

Hilde irá aparecer em um conteúdo adicional mais pra frente.

O estilo de arte de Valkyrie Elysium é algo sobre o qual estive em dúvida desde a primeira revelação. O jogo tem um visual muito nebuloso, quase desbotado, quase como se fosse um primo de Drakengard 3 no PlayStation 3. No entanto, os modelos de personagens e ambientes são lindos. A princípio, pode-se pensar que o jogo tinha pouca cor devido à paleta de cores suave, mas uma vez que a magia começa a voar e as almas explodem dos inimigos, o jogo realmente brilha no nível visual. Raios brilhantes de relâmpagos violeta iluminam a terra ao lançar Meteor Storm ou Thunder Bolt, o mundo se ilumina enquanto Fire Lance grita pelo ar, e a explosão de cores que vem de um inimigo caído adiciona um toque vibrante a um mundo visualmente pálido. Depois de passar muitas horas vagando pelo mundo sombrio e desbotado enquanto lançava magia sobrenatural, o estilo de arte começou a parecer tematicamente perfeito.

Seraphic Gate fará parte de um conteúdo adicional futuro.

Em Valkyrie Elysium , o mundo está morrendo enquanto Ragnarök – o fim do mundo na mitologia nórdica – se espalha pela terra. À primeira vista no mapa do mundo, grande parte do mundo já está queimada, deixando apenas ruínas murchas e cidades em ruínas. Assim, quase todos os locais visitados em Valkyrie Elysium são apenas uma casca do que já foi. Grandes cidades estão desmoronando à medida que as águas sobem, e castelos que antes eram uma silhueta ameaçadora no horizonte agora agem como pouco mais do que restos de um reino esquecido. O design do mundo em Valkyrie Elysium é intrigante, apesar da aparência sombria. A antiga glória que os reinos de Midgard – o reino do homem – já tiveram se foi há muito tempo, e o estilo de arte reflete isso. A escolha parece intencional, dado o quão brilhante e gloriosa Asgard – o reino dos deuses – realmente é.

Use o Soul Chain sempre que puder.

A música de Valkyrie Elysium também é bastante impressionante. O compositor Motoi Sakuraba criou duas faixas: uma para vagar pelo mundo e outra para combate. Essas músicas compartilham os mesmos temas, mas são tocadas em instrumentos diferentes, garantindo um tom pacífico ao explorar o mundo e um cenário emocionante quando a batalha começa(pense em Kingdom Hearts). A maneira como a música adaptável toca no jogo garante que cada faixa pareça adequada para o que está acontecendo na tela. Dito isto, embora a trilha sonora seja agradável e tenha a sensação de uma trilha sonora de Valquíria , poucas músicas se destacam entre outras. Sakuraba tem um estilo muito distinto, mas há aquele rock synthy-prog estranho encontrado nos jogos anteriores que eu certamente sinto falta. Afinal, o esquisito Sakuraba é o melhor Sakuraba.

Embora Valkyrie Elysuym acabe fazendo muitas coisas certas, não é sem seu quinhão de falhas. Embora o combate seja geralmente ótimo, caótico e emocionante, torna-se cansativo e demora demais até o final do jogo. Isso se deve à superabundância de encontros e ondas de inimigos, o que se torna relativamente exaustivo durante o último capítulo. O jogo tem muitos tipos de inimigos, cada um com movimentos únicos e fraquezas elementares. Na maioria das vezes, esses inimigos são fracos para um elemento que você não tem em sua barra ou uma arma que você não equipou. Como resultado, pode ser complicado pausar o jogo, trocar feitiços e armas e continuar. Para enfatizar ainda mais esse sentimento, são necessárias quatro jogadas do capítulo final para obter todos os finais.

Eygon é um personagem super interessante.

A desenvolvedora Soleil parece estar extremamente orgulhosa de seu trabalho, e com razão deveria estar. No entanto, embora a base seja incrivelmente sólida, parece que o jogo é restrito, talvez devido ao medo de fazer a franquia errado. Enquanto o jogo se inclina mais para o lado de um jogo de ação/hack n’ slash, simplesmente não há batalhas dramáticas ou setpiece suficientes e lutas contra chefes para fazê-lo ficar com os grandes como Devil May Cry , Bayonetta e NieR: Automata . Os tipos de armas não são tão variados quanto deveriam ser, o sistema de runas parece básico na melhor das hipóteses, e as lutas contra chefes parecem estar perdendo uma certa quantidade de espetáculo.

VEREDITO

Para muitos, Valkyrie Elysium pode ser, na melhor das hipóteses, mediano. No entanto, o que me impressiona são os temas, elementos e peças da franquia Valkyrie que eu conheço e amo. Muitos jogos tentaram copiar a série, apenas para ficarem aquém e se tornarem pouco mais do que imitações superficiais que levam o combate e pouco mais. A Soleil conseguiu pegar a alma dos jogos Valkyrie e colocá-la em um novo recipiente. Pode parecer e jogar de forma diferente, mas certamente tem o coração da série nele.

David Signorelli
Últimos posts por David Signorelli (exibir todos)