Notícias

Star Wars Jedi: Survivor

9
Para sobreviver às Guerras nas Estrelas, você precisa desse jogo!

Este é um dos melhores jogos de Star Wars de todos os tempos. O nível de personalização oferecido e o fluxo de combate e exploração são sempre revigorantes. A Respawn Entertainment também continua desenvolvendo personagens carismáticos nos quais vale a pena investir emocionalmente e envolvê-los em histórias bem escritas. Quando tudo está funcionando, a franquia é tão boa quanto jamais foi,  no entanto, os problemas de desempenho atrapalham.

Star Wars Jedi: Survivor, da EA, é o mais recente lançamento da icônica franquia e a continuação da jornada de Cal Kestis. Felizmente, Survivor corrige os erros de Fallen Order e oferece um suntuoso pacote de Star Wars, com apenas pequenas queixas que impedem a grandiosidade total.

Após um período conturbado de jogos de Star Wars, a EA e a Respawn finalmente acertaram a fórmula quando lançaram Star Wars Jedi: Fallen Order em 2019. Fomos apresentados ao recém-chegado da franquia e aspirante a Cavaleiro Jedi – Cal Kestis – e a um mundo totalmente novo da história de Star Wars e se você tinha alguma dúvida se Star Wars Jedi: Survivor poderia ou não corresponder às expectativas, não tema (como disse Yoda, o medo é o caminho do lado negro).

Uma coisa que gostei em Fallen Order foi a profunda emoção da história e o quanto me senti envolvido no final. Em um piscar de olhos, assim como em Rogue One e na nova trilogia de Star Wars, tínhamos um grupo de novos rostos aos quais podíamos nos apegar facilmente. O Survivor avançou cinco anos e as coisas mudaram. Cal tem uma nova equipe e o paradeiro de Merrin, Cere e Greez é desconhecido. Além de uma barba nova e marcante, Cal cresceu, ficou mais sábio e mais habilidoso. Sua história continua sendo uma história de autodescoberta, mas agora com a sensação adicional de conflito interno.

Seu estado mental e comportamento são agravados pela perda constante de pessoas próximas a ele e, mais uma vez, ele está sendo confortado e guiado por aqueles que o cercam. Uma dessas pessoas é Bode Akuna. Bode assume o típico arquétipo de Han Solo ou Poe Dameron, esbanjando carisma e um charme que causa inveja. Ele e Cal formam uma ótima equipe, mas a primeira hora do jogo realmente define o tema central para o resto da jornada: a tristeza. Mais uma vez, é o mundo contra o Império, mas também contra os Bedlam Raiders. A constante luta pelo poder pode ser sentida nos Datadiscs colecionáveis do jogo e nos Echoes of the Past. Se você se esforçar para encontrá-los, aprenderá muito mais sobre os novos vilões Dagan Gera e Rayvis. Os dois são excelentes adições ao mundo e suas motivações rígidas os tornam temíveis. Você irá encontrar segumentos de ação, enfrentará batalhas difíceis contra chefes e entrarás continuamente em uma narrativa de ritmo acelerado.

Dito isso, a história toma decisões questionáveis no meio do jogo e trunca vários elementos que antes eram bem tratados. Ela também se torna bastante previsível no final, mas ainda assim me deixou satisfeito depois de tudo o que foi dito e feito. Uma área em que o Survivor se destaca é a forma como Cal se comporta e luta. Seus movimentos são fluidos e dinâmicos – graças ao salto duplo e a várias outras habilidades desbloqueáveis – e ele parece uma arma imparável – como deveria. Cal é um Jedi, o equivalente a um assassino habilmente treinado, mas com uma pitada de humildade e moralidade. A Respawn realmente dá a você todas as ferramentas necessárias para enfrentar Stormtroopers, Battle Droids e outras ameaças em constante evolução que o jogo lança sobre você.

A jogabilidade, assim como a de seu antecessor, tem uma suntuosa vantagem – em mais de um aspecto. Agora, você pode equipar duas posturas a qualquer momento, podendo escolher entre Lâmina Única, Guarda-Cruzada, Lâmina Dupla, Empunhadura Dupla e a introdução da Blaster de Cal! Há uma série de habilidades a serem adquiridas, todas para ajudá-lo a combater os elementos leves de Souls que a série continua a incorporar. É claro que o combate nunca foi o problema em Fallen Order. Grande parte dessa ira foi desviada para a natureza árdua e trabalhosa de backtracking do jogo e da falta de viagens rápidas. Esses problemas foram relegados à história com a chegada das viagens rápidas, além de muito mais atalhos e algumas montarias modificáveis para facilitar a travessia da terra.

Fiquei um pouco decepcionado com o fato de Koboh ser a única área de mundo aberto de verdade, mesmo com Jedah também sendo razoavelmente grande. Fora isso, porém, há vários outros planetas com seções longas e lineares que se assemelham à construção de Fallen Order. Há uma tonelada de atividades para se ocupar fora da exploração. Você tem a aventura da campanha, recompensas para eliminar, criaturas lendárias para derrubar, peixes para encontrar, um jardim para cultivar, inúmeros rumores para investigar e uma verdadeira montanha de itens colecionáveis para encontrar.

Em minhas 35 horas com o jogo, ele prendeu minha atenção com firmeza e me deixou com vontade de jogar mais. O Survivor supera o Fallen Order em praticamente todos os aspectos, exceto por um elemento-chave.Fui pego de surpresa pelo desempenho fraco de Star Wars Jedi: Survivor, que transformou designs de fase mpressionantes e uma arquitetura ambiental deslumbrante em uma bagunça.

Em seu estado de pré-lançamento, Survivor não lida bem com o modo de desempenho. Com frequência, ele ficava visivelmente abaixo de 60FPS no PS5, especialmente em locais amplos.O jogo também apresenta alguns dos piores pop-in que já vi em um lançamento AAA de grande porte nos últimos anos. Pode levar de 5 a 10 segundos para que as texturas se materializem, enquanto a iluminação e as sombras podem ser irregulares às vezes.

O modo de qualidade de 30 FPS bloqueado resolve um pouco a situação, mas você ainda pode esperar entrar em contato com alguns dos problemas acima. Quando funciona, funciona. O Survivor tem a sensação de ser um ótimo jogo de Star Wars. A trilha sonora é maravilhosamente encantadora e gera um ar de qualidade orquestral inspirado nos temas clássicos de Guerra nas Estrelas. Cada planeta é repleto de personalidade, desde a conversa espirituosa dos dróides iludidos em Shattered Moon até a tagarelice sem sentido dos Jawas em Kobah. Não há dúvida de que o desempenho do jogo melhorará com os patches subsequentes, mas parece que poderia ter sido feito com mais um atraso, apenas para melhorar as coisas.

VEREDITO

Este é um dos melhores jogos de Star Wars de todos os tempos. O nível de personalização oferecido e o fluxo de combate e exploração são sempre revigorantes. A Respawn Entertainment também continua desenvolvendo personagens carismáticos nos quais vale a pena investir emocionalmente e envolvê-los em histórias bem escritas. Quando tudo está funcionando, a franquia é tão boa quanto jamais foi,  no entanto, os problemas de desempenho atrapalham.

[i2pc pros_icon=”icon icon-thumbs-up” cons_icon=”icon icon-thumbs-down” show_title=”false” title=”Pros & Cons” show_button=”false” pros_title=”Pros” cons_title=”Cons” ][i2pros]Excelente personagens carregam uma trama bem elaborada
Gráficos belos
Jogabilidade precisa e gostosa
Boa longevidade, muitas coisas pra explorar
Som de excelente qualidade como de praxe da franquia[/i2pros][i2cons]Performance deixa bastante a desejar
Alguns bugs chatinhos[/i2cons][/i2pc]

 

 

David Signorelli
Últimos posts por David Signorelli (exibir todos)